Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

10 motivos para visitar os Quilombos do Ribeira

Panorâmica no Quilombo de Ivaporunduva | Divulgação Acervo Sesc SP
Panorâmica no Quilombo de Ivaporunduva | Divulgação Acervo Sesc SP

Já pensou em viajar diferente?

Dentro do programa do Turismo Social, o Sesc realiza um roteiro que visita as comunidades quilombolas situadas no Vale do Ribeira. A excursão é uma experiência única para se encantar não só com as belezas naturais da região mas, principalmente, para vivenciar um outro modo de vida, típico de uma comunidade tradicional, além de conhecer um pouco mais sobre a cultura afro-brasileira através de seus costumes, gastronomia, música, dança, artesanato e outras tantas manifestações.

Se você ainda está se perguntando por que deve conhecer um lugar desses, elencamos 10 motivos para você embarcar com a gente nesta viagem :

1 – Tenha uma experiência de vida e não faça apenas uma viagem
Conhecer uma comunidade é compartilhar com ela o seu cotidiano, sua cultura, se envolver com histórias de vida e se encantar com a hospitalidade das pessoas além das belezas naturais do lugar.


Panorâmica do Vale do Ribeira | Foto: Divulgação Acervo Instituto Sócio Ambiental (ISA) 

2 - Dormir numa pousada comunitária em um quilombo
O que muitos querem saber quando saem de casa é onde vão dormir. Se hospedar em um quilombo é algo que com certeza poucos fizeram. A melhor coisa está na possibilidade de uma verdadeira imersão no dia-a-dia da comunidade.


Pousada Comunitária | Foto: Paola Scaff

3 - Refletir sobre o tempo
O tempo é um elemento precioso e relativo. Pensar sobre a relação que temos com ele, sobretudo nos momentos em que abandonamos nossa correria cotidiana, proporciona vivenciar um tempo diferente, mais ligado aos ciclos naturais.


Rio no Vale do Ribeira | Foto: divulgação Acervo Instituto Sócio Ambiental (ISA) 

4 - Fazer amigos, não apenas conhecer pessoas
Viajar é sempre uma oportunidade de conhecer muitas pessoas, com histórias e experiências que você nem imagina. No Vale do Ribeira, quem lá chega já cria laços pois, como eles dizem, os turistas não são apenas grupos, mas sim amigos da comunidade.


Festa de São Pedro | Foto: Felipe Leal 

 
5 - Conhecer um lugar diferente com uma natureza exuberante
O Circuito Quilombola fica no Vale do Ribeira e envolve 7 territórios: André Lopes, Ivaporunduva, Mandira, Pedro Cubas, São Pedro e Sapatu. A beleza natural da região apresenta uma diversidade de cavernas, cachoeiras, rios e extensas áreas de mata atlântica ainda preservada.


Foto: Cachoeira "Queda de Meu Deus" | Foto: Acervo Sesc

6 - Aprender novas habilidades e conhecer um modo de vida mais próximo da natureza
Neste roteiro, o contato com a natureza não fica apenas na contemplação; é possível participar de uma oficina de pau a pique e conhecer as ervas utilizadas em chás e remédios - uma verdadeira farmácia verde! Também é possível aprender a produzir artesanato com materiais extraídos da natureza, como a fibra de bananeira.


Artesanato com fibra | Foto: Felipe Leal 

7 - Participar de uma "Missa Afro" e da "Nhá Maruca"
Você sabia que em uma missa afro todos precisam levar um prato doce ou salgado para oferecer aos orixás? E já ouviu falar da Nhá Maruca, dança tradicional que é uma variação do fandango batido? No roteiro, você pode participar de ambas!


Dança "Nhá Maruca" | Foto: Tatiana Arantes

 
8 - Apreciar a gastronomia local
A banana é um ingrediente sempre presente nos pratos e doces regionais do Vale do Ribeira, mas o prato mais procurado e famoso da região é o saboroso frango caipira, assado no vapor do fogão à lenha. Também é emocionante ver o processo de preparo da farinha de mandioca, que é uma verdadeira tradição nas comunidades. E você terá inúmeras oportunidades de saborear essas delícias.


Preparo da farinha de mandioca | Foto: Caio Vilela

 
9 - Conhecer a cultura afro-brasileira e sua história de perto
Ao caminhar pela trilha do ouro, você pode conhecer mais detalhes da cultura afro-brasileira - principalmente aquelas histórias que não foram contadas nos livros - por meio de seus protagonistas. Estas narrativas podem fazer o seu coração bater mais forte, no ritmo dos tambores que embalam as celebrações da comunidade.


Tambor no Quilombo de Ivaporunduva | Foto: divulgação Acervo ISA - Instituto Sócio Ambiental

 
10 - Descobrir na prática o verdadeiro significado da palavra Quilombo
A palavra quilombo é africana e significa “sociedade formada por jovens guerreiros que pertenciam a grupos étnicos desenraizados de suas comunidades”. O que você vai encontrar em Ivaporunduva, Sapatu e outras comunidades que fazem parte deste Circuito Quilombola é realmente uma história de muita luta e resistência na conservação dos seus territórios e tradições - memórias que fazem qualquer um se emocionar.


Quilombo de Ivaporunduva | Foto: divulgação Acervo Sesc SP

 

Essa viagem faz parte da programação Brasileiro Que Nem Eu, que traz roteiros inspirados no turismo de base comunitária, onde o turista, além de conhecer novos locais, pode vivenciar o modo de vida das comunidades, numa rica experiência.

 

o que:

Circuito Quilombola: Quilombos do Vale do Ribeira

quando:

De 29 a 31/07 
Saída às 07h do Sesc São Caetano e às 8h30 do Sesc Interlagos

onde:

Sesc São Caetano e Sesc Interlagos

inscrições:

Inscrições abertas | Informações na Central de Atendimento das Unidades        

o que:

Circuito Quilombola: Quilombos do Vale do Ribeira

quando:

De 22 a 25/09
Saída às 07h do Sesc São Carlos e às 9h do Sesc Bauru

onde:

Sesc São CarlosSesc Bauru

inscrições:

Inscrições abertas | Informações na Central de Atendimento das Unidades        

 

Outras programações