Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Mulheres no mapa - 6 formas de empoderamento

O Festival de Turismo Mulheres no Mapa acontece entre 21/out e 6/nov, com uma série de atividades sobre a relação das mulheres com o universo das viagens. Ainda não planejou sua participação? Preparamos uma lista com 6 fomas de empoderamento da programação para você embarcar neste evento:

1 - Saber mais sobre grandes personagens femininas que marcaram a história dos lugares

Na excursão Mulheres do Vale o viajante poderá conhecer a região de Vassouras através da história das personagens femininas Marianna Crioula e Eufrásia Teixeira Leite que marcaram a história na região.

Em Diálogos Ficcionais a visita é na Chácara Sapucaia, em Arararaquara, onde moravam Heleieth Saffioti e Gilda de Mello e Souza, importantes intelectuais feministas.

A cidade de São Paulo é o cenário de vários roteiros do  festival, tais como o passeio A Resistência Feminina Na Ditadura Militar que visita os pontos e edificações que marcaram a repressão política no Brasil durante a ditadura; e o roteiro São Paulo da Lina que destaca no mapa da cidade as criações inovadoras da arquiteta e artista Lina Bo Bardi. 

2 - Conhecer a história de mulheres que protagonizam o desenvolvimento do turismo em suas comunidades

As lideranças femininas da Ilha Diana apresentam a cultura caiçara e a natureza da região. Nas caminhadas pela comunidade, no percurso de barco pelo manguezal e no almoço típico o visitante se surpreende com esta pequena comunidade tão próxima ao porto de Santos. 

O compartilhamento destas experiências de base comunitária é a proposta do encontro Mulheres Protagonistas No Turismo De Base Comunitária, que reúne as lideranças femininas da Ilha Diana, do bairro Caruara e de Paquetá, em Santos, e do bairro Cota 200, em Cubatão. Todas estas comunidades integram a programação com passeios que apresentam as iniciativas sociais e artísticas realizadas para fomentar o turismo e o desenvolvimento sustentável.

3 - Descobrir o feminino no mundo por meio da experiência de mulheres viajantes

Samira Lemes é uma artista circense que viaja o Brasil de carona, Bruna Castro, autora do blog Abra a Janela, é uma redatora que recebe pessoas do mundo inteiro em sua casa por redes de hospedagem compartilhada, e Dani Krugets, autora junto com André Motta do blog Viagem Criativa, relatam suas experiências inusitadas de se deslocarem e de se relacionarem com o turismo e as peculiaridades em serem mulheres viajantes na atividade Novas formas de viajar.

Maria Denise e Maria Clara, contam as belezas e desafios de viajar juntas pelo Brasil no bate-papo Mãe E Filha Viajam. A blogueira e estilista Michele Simões, responsável pelo blog “Guia do Viajante Cadeirante”, estará na atividade Rodando Pelo Mundo para bater um papo sobre turismo e acessibilidade.

E como nem sempre tudo dá certo nas viagens! O bate-papo Cômicas De Viagem, vai trazer os relatos engraçados de Amanda Noventa, autora do blog “Amanda Viaja”; Jana Rosa, autora dos livros “Como Ter uma Vida Normal Sendo Louca” e “Enfim 30”; e Marina Capriotti com seu “Projeto Caracol”, no qual faz viagens onde visita e presta serviços em locais onde a permacultura e a bioconstrução são aplicadas.

4 - Refletir sobre os desafios na busca pela equidade de gênero no turismo

A Equidade De Gênero E As Mulheres No Turismo é o tema do Bate-papo com a doutora em História Cultural pela Unicamp, Carô Murgel, mediado pela animadora cultural Roberta Scatolini, que viajou por cerca de dez anos trabalhando com a formação de educadores populares.

O turismo, setor econômico fortemente feminizado, contribui para a emancipação da mulher? Eis uma das questões abordadas no encontro Viagem: Substantivo Feminino que acontece com a cientista social Carla C. Garcia, Aline Campbell, autora do livro ‘Portas Abertas’, e a guia de turismo Maria Pinho.

“Nossa, você viaja sozinha?” Quando uma mulher declara que viaja sozinha é comum ouvir comentários sobre os riscos. Cecília Arbolave e Clara Averbuck, autoras do livro Queria Ter Ficado Mais, e Helga Bevilacqua do Blog Espaços Invisíveis, refletem sobre o aspecto real e o que está por trás destes tipos de advertências no bate-papo Elas Viajam Sozinhas. As três viajantes também participam do Sarau Delas , um encontro no qual o público é convidado a recitar poemas do projeto “Queria Ter Ficado Mais”, que reuniu 12 histórias escritas por mulheres em diferentes cidades do mundo.

5 - Vivenciar coletivamente e expressar artisticamente as memórias afetivas de viagens

Útero Urbe é um projeto da artista Carolina Teixeira, que já percorreu cidades do Nordeste do Brasil, de São Paulo e a capital do México, emocionando muitas mulheres que participaram da vivência. É um encontro destinado ao público feminino para imersão em sentimentos íntimos expressos através da arte.

As experiências cotidianas e as memórias de deslocamento dos participantes da atividade Cartografia E Memórias De Gênero: trajetos, pontes e conexões, realizada pelo Coletivo Fala Guerreira, resultarão em um mapeamento coletivo que desenha as aproximações e distanciamentos das visões estereotipadas sobre gênero.

Lígia Maria conduz a vivência Colcha De Memórias que propõe o resgate e valorização das memórias afetivas de viagens ao longo de encontros onde serão orientadas e mediadas ações artísticas em artes plásticas, na percepção musical e na expressão corporal.

6 - Mergulhar no cinema, teatro e literatura por meio de narrativas que abordam a relação das mulheres com o universo das viagens e do turismo

Como é, para uma mulher, viajar sozinha? As escritoras Lívia Aguiar e Gaía Passarelli vão compartilhar suas experiências de viagem e mostrar como isso se reflete na escrita, além de comentar esse gênero de literatura e dar dicas para escrever um bom texto de viagem na atividade Mulheres na Estrada.
A documentarista Eliza Capai estará na programação do festival com a exibição do filme Tão longe é aqui em várias unidades, e encontra com o público nos bate-papos #Partiu e Feminino no Mundo para relatar sua experiência como mulher viajante em paralelo com as tantas situações das mulheres pelo mundo que reatratou como jornalista.

Na oficina Mulheres No Cinema, os participantes conhecerão as etapas de produção de um curta-metragem road movie, o mercado e a posição da mulher na área audiovisual. O objetivo final é a produção de um ou filme de estrada, escrito, dirigido e interpretado pelas participantes de maneira coletiva. Com Mariana Zani, atriz, fundadora da RZP Filmes e organizadora do blog MNCS (Mulheres no Comando Sempre).

O documentário Cinderelas, Lobos E Um Príncipe Encantado registra as intenções e experiências das mulheres que saem do Brasil, com o sonho de encontrar seus “príncipes encantados” estrangeiros, tornando-se, muitas vezes, peças de um sistema complexo de turismo sexual e tráfico de pessoas. O diretor do filme Joel Zito Araújo estará  presente para um bate-papo após as exibições.
Elizete é a personagem condutora da história na peça teatral Salamaleque, interpretada por Valéria Arbex. Ela volta para a cozinha da sua infância e, enquanto prepara pratos árabes, resgata sua memória familiar a partir de um relato franco como descendente de sírios. A narrativa aborda a imigração árabe, a resistência de costumes, a tolerância e o empoderamento da mulher.

 

Confira aqui a programação completa do Festival de Turismo Mulheres no Mapa.

 

Outras programações