Sesc SP

Matérias da edição

Postado em

Notas da Programação

Índice do Dossiê

• Projeto sociocultural Gaúchos e Gauchos

• Livro Imagina! O Teatro de Gabriel Vilela - Edições Sesc

• Exposição 120 x 115: O Ouro em Indianápolis no Sesc Consolação

• Trilogia Placas Tectônicas no Sesc Bom Retiro

• Sesc no Museu de Louvre

• Projeto Na Margem no Sesc Pinheiros

• Exposição Armazém do Brasil no Sesc Parque Dom Pedro II

__________________________________________________

 

 

Diversidade que vem dos Pampas

Mostra abrange exposição fotográfica, bate-papo, shows e oficinas que mergulham na cultura gauchesca e contrariam estereótipos


Foto: Christian Delgado

O Sesc Interlagos recebe, entre os dias 8 de julho e 10 de setembro, a programação Gaúchos e Gauchos, que apresenta uma cartografia sociocultural de gaúchos brasileiros, uruguaios e argentinos a partir de seus saberes, ofícios, artesanato, vestuário, culinária, poesia popular, música e intercâmbio de idiomas. Dentre as atividades previstas está uma exposição de 57 fotografias. Os visitantes também poderão participar de rodas de chimarrão, oficinas de culinária típica e churrasco, contação de histórias e espetáculos musicais.

“Idealizado no âmbito do Programa Povos e Comunidades Tradicionais, esse projeto compreende a vulnerabilidade em que se encontra esse povo tradicional e sua resistência diante dos embates da modernidade”, explica Marina Herrero, assistente da Gerência de Estudos e Programas Sociais do Sesc.

A proposta começou em 2015 e partiu de uma pesquisa de campo que contou com três expedições realizadas nos últimos dois anos a áreas rurais da Argentina, do Uruguai e do Brasil. À frente do projeto, estão o pesquisador e curador Guillermo David, o fotógrafo Christian Delgado (ambos argentinos), a equipe do Sesc São Paulo e o produtor brasileiro Ulysses Fernandes. Entre os apoiadores, a Biblioteca Nacional, o Sesc Rio Grande do Sul, o Museo de Bellas Artes da Argentina, o Consulado de Argentina en Rocha, Sociedad Criolla “Batovi e Bonura”, do Uruguai, e o folclorista uruguaio Boby Aliano.

Desse contato com comunidades gauchescas, emergiram necessidades e demandas específicas de grupos cuja identidade e tradição estão ameaçadas de esquecimento. Para isso, foi feito um trabalho de captação de imagens e coleta de dados que serão apresentados aos visitantes no Sesc Interlagos. As fotografias alertam para o desaparecimento da cultura gauchesca, dada a mudança da atividade econômica de criação de gado para plantio de soja em grande escala, além da dificuldade na transmissão cultural, o que aparta velhas e novas gerações.

Os curadores também buscam mostrar as mazelas dessas comunidades – faceta completamente oposta à imagem exótica ilustrada pela indústria cultural. “Essa é uma cultura que ultrapassa fronteiras e se mantém estável há pelo menos 200 anos na região denominada Pampa”, complementa Marina Herrero.
   

“IDEALIZADO NO ÂMBITO DO PROGRAMA POVOS
E COMUNIDADES TRADICIONAIS, ESSE PROJETO
COMPREENDE A VULNERABILIDADE EM QUE
SE ENCONTRA ESSE POVO TRADICIONAL E SUA
RESISTÊNCIA DIANTE DOS EMBATES DA
MODERNIDADE.”

Marina Herreroassistente da Gerência
de Estudos e Programas Sociais do Sesc


Veja a programação completa no portal Sesc São Paulo
 

Voltar para índice

 

 

Faces de um criador


Foto: Guto Muniz
 

A obra do diretor, cenógrafo e figurinista Gabriel Vilela é retratada com minúcia no livro Imagina! O Teatro de Gabriel Vilela, lançamento das Edições Sesc São Paulo. Organizado pelo jornalista e dramaturgo Dib Carneiro Neto e pelo ator Rodrigo Audi, a publicação faz um registro das memórias por trás de cada montagem, referência, bastidores, parcerias e processo criativo do diretor. Somam-se a esse recorte artigos de críticos e depoimentos de artistas e parceiros sobre diferentes aspectos do trabalho de Vilela, como a criação de cenários e figurinos, métodos de preparação de elenco e a relação do diretor com o universo circense.

Confira a Livraria Sesc online
 

Voltar para índice

  

Basquete vale ouro


Foto: Arquivo CBB

De 4 de julho a 2 de setembro, a exposição 120 x 115: O Ouro em Indianápolis celebra, no Sesc Consolação, a maior conquista do basquete brasileiro. O público poderá conferir a história da Seleção Brasileira masculina de basquete no Pan-Americano de Indianápolis, que há 30 anos trouxe a medalha de ouro para o país. O acervo é composto de vídeos, fotos, painéis, materiais esportivos da época e acervos pessoais dos integrantes da comissão técnica e de atletas. A curadoria é do jornalista Marcelo Duarte. Paralelamente à exposição, serão realizadas outras atividades, como torneios, bate-papos e encontros sobre o atual cenário do basquete no Brasil.

Saiba mais no portal Sesc São Paulo

Voltar para índice

 

 

Calderoni em trilogia


Chorume | Foto: Pedro Bonacita e Renata Terempis
 

O diretor e dramaturgo Vinicius Calderoni leva ao Sesc Bom Retiro, de 1º a 30 de julho, a trilogia Placas Tectônicas, sobre aspectos da vida que não costumam ser retratados no teatro. A programação abrange as montagens de Ãrrã, Não nem Nada e a estreia do espetáculo Chorume, concebido com base em livros de autoajuda, manifestos políticos, bulas de remédio, placas de trânsito e outros textos nada ortodoxos. O projeto também contará com atividades de formação, tais como ciclo de debates, oficinas e performances referentes ao processo de criação dessa trilogia.

Confira a programação no portal Sesc São Paulo

Voltar para índice

 

 

Sesc no Museu do Louvre


Foto: Divulgação 

O Diretor Regional do Sesc em São Paulo, Danilo Santos de Miranda, participou, no dia 19 de junho, da 18ª edição do Communicating the Museum, realizado no Museu do Louvre, em Paris (França). A convite das organizadoras do evento, Catherine Scharf e Corinne Estrada, Miranda falou sobre o trabalho do Sesc no campo das artes visuais a uma plateia de profissionais de comunicação de museus de várias partes do mundo. A edição de 2017 do evento teve como tema O Poder da Educação e debateu a importância da ação educativa como parte da missão social dos museus.

 

Voltar para índice

 

 

Palavras na mira


Foto: Catriel Remedi

A palavra ganha outros alcances no projeto Na Margem, dias 21 e 22 de julho, no Sesc Pinheiros. Foram convidados artistas que se expressam pela palavra dita, lida e performada em torno de temas do cotidiano como intolerância e direito. Os participantes atuam em saraus, slams, coletivos de teatro e dança do Brasil. Entre os convidados, poetas de Moçambique, Argentina, Portugal, França e México. Com curadoria do poeta Emerson Alcade, na sexta, dia 21, às 20h, apresentam-se o grupo paulista de dança contemporânea Cia [-MOS], MC Marcello Gugu (mediador) e o rapper mexicano Roberto Mendoza Gomez, que ainda compartilha sua experiência no poetry slam do México em um encontro no sábado, dia 22, às 14h30.

Saiba mais sobre esta programação

Voltar para índice

 

 

Armazém do Brasil


Foto: Alexandre Nunis
 

Parceria entre o Sesc São Paulo e o Museu da Pessoa, a exposição Armazém do Brasil – Memórias do Comércio da Zona Cerealista, em cartaz na unidade do Sesc Parque Dom Pedro II, até o dia 25 de outubro, retrata a história sobre o comércio no centro paulistano.

Confira mais informações da exposição

Voltar para índice

 


__________________________________________________

 

“Gosto de ouvir músicas complexas. meu avô estudava as tonalidades, eram até 12 tons em cada composição. não quero falar mal de ninguém, mas a música que se faz hoje no brasil é ruim, monótona.”

Daniel Jobimem entrevista ao jornal Folha de S. Paulo. O pianista, neto de Tom Jobim, se apresentou nos dias 3 e 4 de junho no Sesc Belenzinho.

 

“[A exposição] nos apresenta de forma ampla o percurso desse desbravador de geografias em embate com os mapas existenciais do artista contemporâneo e que é praticamente desconhecido em são paulo.”

Livio Tragtenbergcompositor, saxofonista e produtor musical em coluna no jornal O Estado de S. Paulo, sobre a exposição Guilherme Vaz – Uma Fração do Infinito, no Sesc Pompeia, até 6 de agosto.

 

:: @sescrevistae | facebook, twitter, instagram

Outras programações