Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Como viver com saúde hoje?

Como viver com saúde hoje, em meio à cidade, ao transito, ao estresse, ao isolamento e à poluição?

Para marcar o início da primeira edição do Inspira - Ações para uma vida saudável, o médico Paulo Saldiva, o urbanista Carlos Leite, o cientista social Nelson Filice e o diretor regional do Sesc SP, Danilo Santos de Miranda, reuniram-se no Sesc Pompeia para debater os desafios atuais da saúde.

Em meio aos diversos questionamentos que surgiram desse encontro, saímos com uma certeza: abrir diálogos transversais, em que diferentes áreas do conhecimento se unem para olhar a realidade e compartilhar propostas faz bem para a saúde – tanto a nossa individual, quanto a de onde vivemos.

A seguir destacamos 10 insights inspiradores sobre o assunto:

1. O século XXI é o século do planeta urbano. No Brasil, cerca de 90% da população vive hoje em cidades, apontou Carlos Leite, urbanista e professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Por isso é tão importante pensar em como a cidade afeta a a nossa saúde.

2. As cidades proporcionaram diversos avanços, exceto em três coisas: obesidade, saúde mental e câncer, ressaltou o médico patologista e diretor do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo, Paulo Saldiva. “É preciso transformar a cidade, de obstáculo para encontro”, completa.




3. Para Saldiva, as unidades do Sesc SP são pontos que transformam a cidade no que ela deveria ser: a troca contínua de experiência humana.

4. Além do Sesc há diversos bons exemplos a serem seguidos, no Brasil e no Mundo, como mostrou Carlos Leite. O urbanista citou o prefeito de Bogotá, Enrique Peñalosa, que defende que a cidade deve ser pensada para os mais vulneráveis: os mais pobres, as crianças, os cadeirantes, os idosos. Se for boa para eles, será boa para todos.

5. “A gente fez tudo errado no século XX: canalizamos os rios, fizemos as cidades para os carros, deixamos a cidade se espraiar. Esse é o momento de corrigir. Não existe solução mágica em urbanismo, mas tem que começar. Envolve politica pública corajosa, interdisciplinar e mudança de hábito” – afirmou Carlos.

6.  E, por falar em mudar hábitos: “De tudo o que se pode fazer, depois dos 60, o que mais aumenta a expectativa de vida – comparando com perder peso, parar de fumar ou fazer esporte – é manter as relações afetivas e sociais”, afirmou Paulo Saldiva.


7. Nelson Filice, cientista social e professor do departamento de saúde coletiva da Faculdade de Medicina da Unicamp, também destacou a importância das relações sociais para a saúde. Para ele, o cuidado é um exercício de socialização. Afinal, médico cuida, mas mãe também cuida, pai cuida, namorado(a) cuida, amigos cuidam. “Todos nós no processo de cuidado temos redes de cuidado, sendo que o profissional de saúde que faz a clinica é um dos atores dessa rede”, afirmou.

8. Nesse contexto, Filice enxerga como desafio construir uma cultura de cuidado emancipador, que tome o respeito, a autonomia e a dignidade de cada um como um imperativo ético, e não um favor que podemos ou não conceder uns aos outros.

9. Essa cultura se contrapõe à cultura vigente, medicamentosa, em que muitas pessoas preferem tomar remédios a perceber e entender os recados que o corpo dá quando adoece. “No Brasil, tem mais farmácia do que padaria. São grandes redes, grandes lojas, em que as pessoas pegam uma cestinha e saem como se estivessem no supermercado”, completou.

10. A construção da autonomia passa pelas relações sociais, pelas experiências, pelas escolhas e pela educação. Com o Inspira – Ações para uma vida saudável, o Sesc procura oferecer aos seus públicos oportunidades de se reunir, vivenciar e refletir sobre o assunto. “Educar para a saúde, assim como educar para a alimentação, para atividade física e para a cultura, é a missão da instituição. Nesse momento, estamos cumprindo o nosso objetivo. O propósito é inspirar caminhos que possam facilitar o percurso nos atuais desafios que enfrentamos na saúde, com uma ação que percorre transversalmente todas as nossas atividades”, afirmou o diretor regional do Sesc em São Paulo, Danilo Santos de Miranda. 


>>>  De 6 a 22 de abril, o Inspira – Ações para uma vida saudável promove mais de 300 atividades de saúde integrada em todas as unidades do Sesc em São Paulo. Conheça a programação completa e inspire-se!

>>>> Música para inspirar:

No Spotify

 

No Deezer

 

 

Outras programações