Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Programe suas noites: agenda astronômica para o segundo semestre de 2018

Foto: Warachai Krengwirat/Shutterstock
Foto: Warachai Krengwirat/Shutterstock

Confira entrevista com o palestrante Marco Antonio C. Goiato, que estará na programação do projeto Cosmos. Marco é médico cardiologista e astrônomo recreacional autodidata, com ênfase na área de cometas, tendo 1900 observações publicadas de 132 cometas diferentes.

Quais os principais eventos para este ano e os mais visíveis?
Destaco entre tais eventos o eclipse total da lua concomitante a uma grande aproximação do planeta Marte, além da visibilidade simultânea dos 5 planetas mais brilhantes. Tudo ao mesmo tempo! Teremos ainda um cometa provavelmente visível a olho nu no mês de Dezembro, o cometa periódico 46 P.

É preciso de algo ou algum lugar específico para observar?
Os eventos a serem abordados serão todos visíveis a olho nu. Claro que um instrumento óptico pode ser de grande utilidade em alguns casos, como detalhes do disco marciano ou até mesmo a identificação do cometa 46 P - Wirtanen. Quanto ao lugar, para estes eventos é importante um local com horizontes livres de obstáculos (especialmente leste e oeste) para permitir a visibilidade de objetos a baixa altura. Céus escuros, com pouca poluição luminosa e atmosférica, permitem melhor apreciação dos objetos de pouco brilho, como algumas estrelas cadentes e cometas, assim como permitem identificação de grande quantidade de estrelas de menor brilho, conferindo por si só, ao observador, um belo espetáculo celeste.

Os brasileiros se interessam pelos eventos astronômicos? 
Sim, porém de forma muito superficial. A própria mídia não ajuda, dando informações geralmente inadequadas, por vezes fonte de frustração e desestímulo aos potenciais interessados. No Brasil, o apreciador de astronomia tem que ser autodidata e sempre procurar as fontes mais limpas das quais poderá beber.

Você acha que falta explorar temas ligados à astronomia nas escolas? 
Sem dúvida, pois poucas escolas têm a preocupação em divulgar mais que o parco obrigatório constante nos currículos oficiais.

O que isso acrescentaria na vida dos estudantes?
A astronomia é uma ciência que requer disciplina e dedicação. É necessário estudar, programar suas atividades com antecedência, executar as observações e não raramente, lidar com frustrações, como clima ruim ou evento abaixo da expectativa. Assim sendo, o jovem obtém noções fundamentais de pesquisa e das melhores formas de adquirir o saber, pragmatismo, determinação e resiliência, pois nem sempre as coisas acontecem como queremos e nunca devemos desistir de nossos sonhos. Outrossim, constatando a grandeza do universo deste maravilhoso palco que nos circunda, é inevitável o pensamento filosófico e teológico, eliminando a arrogância do ser humano, dando ao mesmo humildade e a certeza de ser parte de algo muito maior.