Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Se essa Arena fosse minha...

O bairro do Bixiga, um dos mais tradicionais da cidade de São Paulo é conhecido pelas suas cantinas, pela sua miscigenação cultural,  e por sua forte ligação com o samba, afinal, abriga uma das mais tradicionais escolas de samba da cidade: a Vai-Vai, que já conquistou 15 títulos do Carnaval Paulista.
Como todo bairro tradicional, o Bixiga é repleto de histórias e personagens ímpares.

A história  que vamos contar nessa matéria começou em 2016, quando dois amigos amantes do esporte bretão e moradores da região, Antônio Carlos Pereira Lima (que atuou na várzea e passou o bastão para o filho, que hoje distribui seus dribles país afora) e Gilson Souza Santos (que jogou profissionalmente e rodou o mundo com a chuteira nos pés), decidiram se juntar para criar um espaço em que as crianças do bairro pudessem ir atrás do sonho que permeia a mente de muitos brasileiros: se tornar jogador de futebol.

Quando Antônio procurou Gilson para que esse treinasse seu filho - garoto que já demonstrava ter talento, mas não tinha um espaço físico e nem orientação para lapidar seu dom - foi embaixo do viaduto Júlio de Mesquita Filho, em meio a pichações, restos de materiais de construção e tapumes (que em algum momento serviram como moradia para pessoas em situação de rua), que nasceu então o Projeto Social Arena Bela Vista.

O espaço contava com 2 goleiras adquiridas de um ferro-velho e tapetes bem surrados, obtidos do descarte de uma quadra de Futebol Society e no princípio eram 2 crianças.

Na semanas seguintes, passou a ter 30.

Hoje em dia conta com 250 meninos e meninas de 6 a 16 anos, que participam da escolinha e das equipes disputando torneios e campeonatos pelo Brasil.

Mas como em toda boa história, nem tudo são flores: Mesmo com as conquistas dentro de campo, em 2018 com a conquista da primeira Copa Zico do seu time sub 9 recebendo o troféu das mão do próprio Galinho de Quintino e de toda a sua repercussão, eles ainda lidam com a desconfiança de algumas pessoas.

Para os fundadores do projeto, que costumam se emocionar quando recordam das dificuldades que enfrentaram e ainda enfrentam, ao longo dos quase 3 anos da Arena, as alegrias e as boas recordações são superiores aos momentos de tristeza e dificuldades. Tanto que Gilson não consegue conter as lágrimas quando lembra da ocasião em que Antônio chegou até ele com um pedaço de grama, olhou em seus olhos e disse que um dia, aquele espaço (onde está localizada a risca central do gramado) um dia teria revestimento de grama sintética.

O futebol como espelho do Mundo

Eduardo Galeano, escritor uruguaio apaixonado pelo esporte costumava dizer que o futebol é um espelho do mundo,  e ele reflete uma realidade não muito animadora nesse período em que as empresas e as federações se esforçam para transformar a paixão nacional em um produto rentável, aumentando ainda mais as desigualdades e faz com que, enquanto uma minoria deita e rola em gramados europeus,  outros tantos jogadores vivam em condições sub-humanas, vítimas de empresários e dirigentes mal intencionados. Isso sem falar no futebol feminino, que além de passar por todos esses percalços, ainda tem que lidar com o preconceito, com a falta de patrocínio e a baixa exposição midiática.

Por isso o projeto não pretende formar apenas jogadores, mas também cidadãos responsáveis e com pensamento crítico, que contribuam para a construção de um mundo melhor.

Futuro promissor

A Arena Bela Vista não para de crescer e ser reconhecida.

Em 2018, com o apoio da Prefeitura pode enfim substituir o tapete surrado e as traves enferrujadas por uma estrutura capaz de dar inveja às melhores quadras particulares da cidade de São Paulo. Em breve o espaço contará também com um vestiário para seus frequentadores.

Hoje aquele sonho de revestir o concreto embaixo do viaduto com grama sintética, que soava um tanto quanto ambicioso na época, é uma realidade que orgulha e emociona a todos que de alguma forma contribuem para sua existência.

Para saber mais sobre o projeto, acesse o site oficial.

Ou dê uma passada na quadra, e confira de perto a força de um projeto que nasceu em um local inóspito e se mantém firme graças à persistência e a luta diária de seus idealizadores.

O esporte pode transformar espaços e pessoas, desvende novos olhares e viva novas experiências com a programação do Sesc Verão, são diversas atividades gratuitas em todas as unidades do Sesc São Paulo.

Outras programações