Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Cinco livros indispensáveis por Cia do Tijolo

Ledores no Breu | Foto: Alécio Cézar
Ledores no Breu | Foto: Alécio Cézar

O espetáculo “Ledores no Breu” passou pelo palco do Sesc Sorocaba em agosto. Com atuação de Dinho Lima Flor e direção de Rodrigo Mercadante, a história se desenha a partir de um fenômeno que atinge cerca de 11 milhões de brasileiros: o analfabetismo.

O espetáculo traz, ainda, referências literárias que, além de notórios escritores, são também grandes nomes nas práticas pedagógicas, como Paulo Freire e Maria Valéria Rezende.

Pensando na importância da leitura e seus reflexos positivos, Dinho Lima Flor e Rodrigo Mercadante elencaram, em entrevista, os livros que consideram indispensáveis na cabeceira. Conheça as obras citadas por eles:

1. A Rosa do Povo, de Carlos Drummond de Andrade


“A rosa do povo” une 55 poemas de cunho político e social

Indicado por ambos, “A Rosa do Povo”, de Drummond, é um livro aclamado por inúmeros setores da crítica literária. Nesta obra, estão reunidos 55 poemas fortemente embalados pelo lirismo social e uma poética engajada. Para Mercadante, a obra se destaca, pois “é a demonstração de que o engajamento político não impede a criação de obras extraordinárias”.

2. Pedagogia da autonomia, de Paulo Freire


Paulo Freire é um dos pilares literários em “Ledores no Breu”

Mais um título que apareceu na lista de Dinho e Rodrigo, “Pedagogia da Autonomia”, do patrono da educação brasileira, Paulo Freire, é uma das bases de “Ledores no Breu”. Para os artistas do espetáculo, não é possível pensar a educação sem a ética da escuta, do cuidado e do respeito presente no pensamento freiriano.

3. Contos Negreiros, de Marcelino Freire


“Contos Negreiros” foi vencedor do Prêmio Jabuti, em 2006

Citado por Dinho Lima Flor, a publicação de Marcelino Freire foi a vencedora do Prêmio Jabuti, em 2006. Neste livro há contos com a nudez literária clássica do estilo de Marcelino, que expõe de forma singela os anseios de personagens negros. Temáticas como racismo e homossexualidade são motes dos textos de “Contos Negreiros”.

4. Os Irmãos Karamazov, de Fiódor Dostoievski


Clássico da Literatura Russa reflete a complexidade do ser humano

Referência na Literatura Russa, Dostoievski é mais uma indicação dos artistas. A obra traz aos holofotes a relação entre Fiódor Karamazov e seus três filhos: Aliócha, de personalidade tranquila e mística; Ivan, um intelectual de gênio perturbado, e Dmitri que, por vezes é orgulhoso, mas acima de tudo, romântico e apaixonado. Para Mercadante, a importância desta obra está nas reflexões sobre a complexidade do ser humano.

5. O voo da guará vermelha, de Maria Valéria Rezende 

Com personagens singelos, “O voo da Guará Vermelha” se faz grande na simplicidade

A paraibana Maria Valéria Rezende aparece como referência no enredo de “Ledores no Breu”. Na história, o leitor é apresentado a dois personagens principais: o pedreiro Rosálio e a prostituta Irene, lidando com a complexidade do amor e da vida na cidade.

Para Dinho Lima Flor, os livros citados podem despertar coragem nos leitores “para atuar no mundo tão desigual”. Ele também ressalta que são títulos que despertam poesia e beleza. “Livros que nos dizem ‘tá osso’, mas lute, não esmoreça. Nascer no Brasil é fácil, difícil é se tornar cidadão, mas os sonhos não morrem”, finaliza.

Outras programações

Tecnologias e Artes

Escrevendo histórias - Produção Literária: da Ideia à Publicação

Escrevendo histórias - Produção Literária: da Ideia à Publicação

SESC Bauru

Saiba mais