Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Jovens artistas negros

Tuyo formada por Machado, Lio e Lay Soares se apresenta no Sesc Itaquera. Foto: Luciano Meirelles
Tuyo formada por Machado, Lio e Lay Soares se apresenta no Sesc Itaquera. Foto: Luciano Meirelles

"Segura na âncora e pula no mar", canta o trio Tuyo, em Conselho do Bom Senso. Josyara entoa na música título do álbum Mansa Fúria: “Na mansidão mansa fúria como o mar”. Já Mahmundi, em ritmo de bossa nova, declama: “Eu quero ser o mar. Cruzando a rebentação”.

O mar é um dos elos entre Josyara, Tuyo e Mahmundi, mas não é o único. Eles são jovens, músicos e negros, que estão despontando no cenário musical com álbuns e EPs lançados em 2018. Cada um tem uma pegada musical própria, mas todos têm algum flerte com a música eletrônica. 

As três atrações sobem no palco da Praça de Eventos do Sesc Itaquera no mês de novembro, marcado pela Consciência Negra. Com letras que refletem pensamentos existenciais, cotidiano e experiências pessoais.   

 

O mar de estilos de Mahmundi
Da bossa nova ao reggae, com pitadas de música eletrônica, Mahmundi funde gêneros musicais. A miscelânea resulta em ritmos pops dançantes. A carioca apresenta Para dias Ruins, show homônimo ao disco lançado em 2018. Entre a mistura de sons, destacam-se sintetizadores e batidas inspiradas na música brasileira da década de 1980. 

Show gratuito no dia 10/11, às 15h30.

 

 

O mar sertanejo de Josyara
Nascida em Juazeiro, no interior da Bahia, Josyara apresenta o show do álbum Mansa Fúria, produzido por Junix (BaianaSystem). Com uma mistura de som de voz e violão, que dialoga com texturas eletrônicas, a cantora e compositora transita por cenários que fazem parte da sua vivência: sertão, litoral e metrópole.

Nas letras das canções, esses trajetos ganham texturas e coloridos com a descrição das frutas locais, o encontro com o mar, Yemanjá e Nanã. 

Show gratuito no dia 17/11, às 15h30.

 

 

O mar introspectivo do trio Tuyo
A banda é formada pelos paranaenses Machado, Lio e Lay Soares. O trio despontou em 2017 com o lançamento do EP Pra Doer, com temática sobre rompimentos e frustações que foram transformados em letras poéticas repletas de metáforas. No ano passado, a banda lançou o álbum Pra Curar, que manteve a atmosfera contemplativa das composições. 

Show gratuito no dia 24/11, às 15h30.

 

Outras programações