Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Conheça algumas das exposições que o Sesc apresenta em 2020

Exposição sobre a obra de Fernando Lemos, aberta até 26/01 no Sesc Bom Retiro | Foto: Pedro Abude
Exposição sobre a obra de Fernando Lemos, aberta até 26/01 no Sesc Bom Retiro | Foto: Pedro Abude

O Sesc São Paulo realiza dezenas exposições por ano em suas unidades na capital, no interior e no litoral do estado. São mostras coletivas e individuais, em diversos formatos e dimensões, de artistas de diferentes gerações, também daqueles em meio ou início de carreira, mostras sobre diferentes assuntos relacionados a todas as linhas de atuação do Sesc.

Falar do que vem por aí, então, contar só um pouquinho do que estamos preparando para o programa de exposições de 2020, não é nada fácil.

Algumas mostras abertas nos últimos meses de 2019 viram o ano e oferecem ainda oportunidades para quem não as visitou ou gostaria de conferir uma segunda ou terceira vez, recomendar aos amigos e trazer a família. Entre elas, estão a exposição PretAtitude (Sesc Santos), a 21ª Bienal de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil (Sesc 24 de Maio), Gold – Mina de Ouro Serra Pelada (Sesc Guarulhos), O Pasquim 50anos (Sesc Ipiranga), Entrevendo – Cildo Meireles (Sesc Pompeia), My Name Is IVALD GRANATO Eu Sou (Sesc Belenzinho), EntreMeadas (Sesc Vila Mariana), Anna Bella Geiger: Brasil Nativo/Brasil Alienígena (Sesc Avenida Paulista e MASP), Xilo: Corpo e Paisagem (Sesc Pinheiros) e a Mostra de Arte da Juventude (Sesc Ribeirão Preto).


E o que prevemos pra 2020?

A lista é longa, então, separamos, por enquanto, somente alguns destaques. O título e o período das exposições abaixo ainda podem sofrer algum tipo de alteração.
 

Sesc Interlagos
Pasteur, o cientista
A exposição que chega a São Paulo em janeiro foi realizada anteriormente em Paris, pela Universcience, e é dedicada à vida e às contribuições de Louis Pasteur (1822-1895) para a ciência – em especial, para a farmácia e a medicina. A mostra apresenta o contexto em que se deram suas pesquisas, revela suas descobertas e os usos e aplicações delas, tanto no passado quanto na contemporaneidade, incluindo suas relações e contribuições para o desenvolvimento da ciência no Brasil.
Curadoria: Eric Lapie e Astrid Aron
Curadoria científica: Maxime Schwartz
Curadoria nacional: Fiocruz
fevereiro a julho de 2020
 

Sesc Araraquara
Marcelo D’Salete: A História Negra em Quadrinhos
Realizada anteriormente no Museu Afro Brasil, a exposição que chega ao Sesc Araraquara traz pranchas originais dos desenhos produzidos pelo artista brasileiro Marcelo D’Salete para seus livros Angola Janga (2017) e Cumbe (2014), publicações que dialogam fortemente com a história de resistência à escravidão no Brasil pela ótica dos povos negros. Quadrinista, ilustrador e professor, D´Salete, recentemente conquistou, por Cumbe, a edição 2018 do prestigiado Eisner Awards de melhor edição americana para uma publicação de HQ estrangeira.
Curadoria: Emanoel Araujo
março a junho de 2020


Sesc Pompeia
Farsa. Língua, fratura, ficção: Brasil-Portugal
A exposição apresenta cerca de 160 obras produzidas a partir da década de 1960, de artistas do Brasil e de Portugal, em sua maioria mulheres. Apresenta trabalhos gráficos, colagens, poesias visuais, publicações, objetos e instalações que examinam as relações entre linguagem, arte, poesia, política, discriminação e questões de gênero. Aborda o poder da linguagem em contextos coloniais, em especial o caso Brasil-Portugal, em que a mesma pode se caracterizar como ferramenta de opressão, mas também como vetor de liberdade expressiva.
Curadoria: Marta Mestre
Curadoria adjunta: Pollyana Quintella
abril a julho de 2020


Sesc 24 de Maio
Infinito Vão: 90 Anos de Arquitetura Brasileira
A exposição realizada anteriormente na Casa da Arquitectura, em Portugal, compreende um período de nove décadas de produção arquitetônica brasileira, abrangendo desde a conclusão da primeira das três casas modernistas de Gregori Warchavchik – a Casa da Rua Santa Cruz, concluída em 1928 – até o presente. Além de projetos de arquitetura, a exposição reúne produções cinematográficas desse mesmo período que lidam, de alguma forma, com questões relacionadas à cidade e à arquitetura.
Curadoria: Fernando Serapião e Guilherme Wisnik
abril a junho de 2020


Sesc Pompeia
Kader Attia – Irreparáveis Reparos
Exposição individual do artista franco-algeriano, cuja produção lida com questões históricas, sociais e de identidade, em contextos de opressão, violência e em processos descoloniais. O artista fundou o La Colonie, em Paris, focado em discussões sobre descolonização, não apenas dos povos, mas também dos conhecimentos, atitudes e práticas. Suas pesquisas o levaram a desenvolver a noção de reparação, que ocupa lugar central no conjunto de sua obra.
Curadoria: Carolin Köchling
abril a julho de 2020


Sesc Belenzinho
Biblioteca: Floresta
A exposição parte do embate arte/literatura, como um gesto feminino/feminista, cujas obras de arte expostas são fruto de experimentações de novas narrativas, ficções e traduções.
Artistas: Aline van Langendonck, Andréa Tavares, Fernanda Porto, Janina McQuoid, Laura Berbert, Lívia Aquino, Lucia M. Loeb, Maíra Dietrich, Mayra Martins Redin, Natalie Salazar, Paloma Durante, Raphaela Melsohn, Raquel Stolf, Regina Parra, Renata Cruz, Santarosa Barreto, Simone Barreto e Simone Moraes.
Curadoria: Galciani Neves
abril a julho de 2020


Sesc Vila Mariana
Encontros Ameríndios
Exposição dedicada às produções artísticas de povos indígenas do continente americano, focada especialmente nas regiões da Amazônia, do Caribe e da Colúmbia Britânica, a mostra investiga novas possibilidades dialógicas a partir do encontro entre as artes dos povos Haida e Tahltan (Canadá), Guna (Panamá), Shipibo Konibo (Peru) e Huni Kuin (Brasil). Será apresentada uma seleção de obras, incluindo pinturas, desenhos, serigrafias, bordados e entalhe em madeira feitos nos últimos trinta anos, enfocando a criatividade individual dos artistas, as mudanças em suas obras ao longo do tempo, o universo temático abordado por elas, as preferências plásticas e estéticas e as questões filosóficas e cosmológicas que as artes desses povos ameríndios apresentam.
Curadoria: Sylvia Caiuby e Aristóteles Barcelos Neto
abril a julho de 2020
 

Sesc Pinheiros
Transbordar: Transgressões do Bordado na Arte
A exposição apresenta artistas e obras históricas e contemporâneas, nacionais e internacionais que discutem o lugar do bordado na arte do século XX e XXI. São obras que merecem atenção pela capacidade de operar subversões dos sentidos tradicionalmente atrelados a tais faturas, vistas como sensíveis, delicadas, “femininas”. Tais produções estimulam novas formas de olhar e de pensar, extremamente críticas às hierarquias dos gêneros (artísticos e sociais) que vigoram tanto nas práticas cotidianas, quanto nos mundos das artes.
Curadoria: Ana Paula Cavalcanti Simioni 
abril a agosto de 2020
 

Sesc Avenida Paulista
A magia do manuscrito
Exposição de um recorte da coleção de Pedro Corrêa do Lago, composta por correspondências, autógrafos, partituras, manifestos, estudos, entre outros, originais de diversas localidades do mundo, de muitas temporalidades e conteúdos relacionados à uma ampla gama de áreas de conhecimento. Realizada anteriormente na The Morgan Library & Museum, em Nova Iorque, a curadoria da mostra será adaptada para São Paulo, contemplando um maior número de documentos de artistas e personagens importantes para história e atualidade do Brasil.
abril a agosto de 2020

 

Sesc Piracicaba
15ª Bienal Naïfs do Brasil
Originada das mostras anuais realizadas pelo Sesc Piracicaba de 1986 a 1991, a Bienal teve sua primeira edição em 1992 na mesma cidade. Desde então, consolidou-se como uma referência para aqueles que possuem algum vínculo com sua proposta, voltada para as expressões artísticas de caráter popular, autodidata e espontâneo. Atualmente, a seleção dos artista participantes ocorre via edital aberto, bem como por convite, a partir da formação de uma comissão composta por curadores, artistas e pesquisadores. Seus principais objetivos são incentivar a produção artística popular e oferecer espaços para sua apreciação, além de estimular o pensamento crítico a seu respeito.
Curadoria: Ana Avelar e Renata Felinto
agosto a dezembro de 2020


Sesc Sorocaba
Frestas – Trienal de Artes (3ª edição)
Frestas é uma iniciativa trienal composta por três eixos: projeto, programa e exposição. É, sobretudo, uma plataforma transdisciplinar que promove novas atuações e reflexões num campo mais amplo das artes visuais, trazendo também a atenção do público e do circuito de maneira mais descentralizada. Desde sua primeira edição, em 2014, a exposição já apresentou mais de 170 artistas das mais diversas gerações e origens, em diferentes contextos curatoriais e recortes programáticos. Seu leque abrangente de participantes permite constituir um intercâmbio entre artistas locais, regionais e internacionais e promover instâncias dialógicas com diversos profissionais da área, como curadores, pesquisadores, professores, agentes e demais profissionais da cultura, e os mais diversos públicos. Essa terceira edição conta com um trio de curadores brasileiros que, nos últimos anos, tem se dedicado a explorar as práticas curatoriais de forma ampla, em plataformas discursivas de caráter experimental e democrático.
Curadoria: Beatriz Lemos, Diane Lima e Thiago de Paula Souza
agosto a dezembro de 2020


Sesc Pompeia
Um Maravilhoso Emaranhado | Isaac Julien
Instalação audiovisual composta por nove telas, com cada tela ocupando o espaço de exibição em um sistema que reflete as qualidades arquitetônicas inerentes ao espaço. O design do som da instalação também corresponde a essa lógica. Julien propõe uma reflexão aberta sobre Lina Bo Bardi, uma introdução à cultura brasileira e como se relacionar com a história recente do país. Filmado em sete locações durante o mês de junho de 2018, Um Maravilhoso Emaranhado apresenta Fernanda Montenegro e Fernanda Torres, diferentes interpretações de Lina Bo Bardi, em seus edifícios em São Paulo e na Bahia. Zé Celso Martinez Corrêa também atua ao lado de Montenegro. O filme, que inclui duas apresentações coletivas da Bahia (Balé Folclórico e Araka Collective), foi produzido e filmado por uma equipe exclusivamente brasileira. A mostra no Sesc Pompeia é realizada em parceria com o Paço das Artes.
agosto de 2020 a janeiro de 2021


Sesc Carmo | Sesc Interlagos | Sesc Pompeia                                               
Sesc e a 34ª Bienal de São Paulo 
Em 2020, o Sesc e a Bienal de São Paulo dão continuidade à parceria histórica por meio da realização de exposições conjuntas, simultaneamente à 34ª Bienal de São Paulo: Faz escuro mas eu canto. No Sesc Carmo, a artista carioca Eleonora Fabião desenvolverá trabalhos especialmente para o local. No Sesc Interlagos, será apresentado um conjunto de obras do artista colombiano Abel Rodríguez, sob curadoria de José Roca. No Sesc Pompeia, acontecerá uma grande mostra individual do artista chileno, Alfredo Jaar, sob curadoria de Moacir dos Anjos.
setembro a dezembro de 2020


Sesc 24 de Maio
Tatuagens e Tatuados (título provisório)
A exposição, criada pelo Musée du Quai Branly, de Paris, apresenta as origens da tatuagem, suas histórias e características contemporâneas, por meio de fotografias, objetos, vídeos, obras de arte, documentos de época e réplicas de corpos humanos. Aborda seus diversos papéis sociais, religiosos, ritualísticos, identitários e ornamentais em diferentes sociedades e temporalidades, contemplando um núcleo sobre a  tatuagem no Brasil, concebido especialmente para a exposição em São Paulo.
Curadoria geral: Anne & Julien, HEY!
Curadoria do núcleo brasileiro: Gustavo Wanderley
agosto de 2020 a janeiro de 2021


São essas e tantas outras. Acompanhe a programação atualizada de exposições no portal do Sesc São Paulo.

Outras programações