Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Exposição inédita PORTOS – Processos Orientados via Território e Ocupações Santistas apresenta obras de 61 artistas do território da Baixada Santista

Exposição PORTOS – de 17 de junho a 20 de novembro de 2021, no Sesc Santos.
Exposição PORTOS – de 17 de junho a 20 de novembro de 2021, no Sesc Santos.

Mostra tem abertura online no dia 17 de junho, às 19h, no YouTube e
visitação presencial, com agendamento prévio, a partir do dia 18

De 17 de junho a 20 de novembro de 2021, o Sesc Santos realiza a exposição PORTOS – Processos Orientados via Território e Ocupações Santistas, idealizada pela equipe técnica da programação da unidade em parceria com a curadora Ilana Goldstein, antropóloga e professora da Universidade Federal de São Paulo, que já realizou exposições como Terra Paulista: História, Artes e Costumes (2005, Sesc Pompeia) e Jorge, Amado, universal (2012, Museu da Língua Portuguesa; Solar do Unhão MAM/Bahia). A curadoria também contou com a colaboração de Cristine Takuá e Carlos Papá, curadores convidados da Aldeia do Rio Silveira. 

A exposição inédita apresenta obras de 61 artistas (55 não-indígenas e 6 indígenas) do território da Baixada Santista, trazendo um panorama da arte contemporânea da região, com trabalhos de diferentes linguagens artísticas – como xilogravura, cerâmica, videoarte, desenho, arte indígena, arte naïf, entre outras. O percurso é dividido em quatro núcleos: o primeiro, chamado e dedicado ao mar, à navegação e ao porto; o segundo e o terceiro, interligados, focados nas maneiras de habitar a terra, na paisagem natural e urbana; o quarto e último aludindo à diversidade étnica e social do território, aos diferentes sujeitos que aqui habitam e suas relações. Além de Santos, estão representadas as cidades de São Vicente, Guarujá, Praia Grande, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe e Cubatão, bem como seus territórios indígenas.

 

Cestarias e miniaturas em madeira de animais silvestres em pedestais expositivos -  modelo cubo na cor laranja.
Cestaria(ajaká), 2021, de Elida Andreia Escobar; Bichinhos, 2021, de Thiago Vera Benites da Silva e de Elizeu Werá Tukumbo da Silva. Foto: Bruna Quevedo

 

O primeiro objetivo do projeto é dar visibilidade aos artistas da Baixada Santista, que contam com poucos espaços destinados aos artistas e coletivos de arte contemporânea do território.

O segundo objetivo é discutir as relações entre produção artística e território, ou seja, de que maneira as diferentes formas expressivas são fruto de experiências ligadas à vida no litoral, nas cidades da Baixada, em meio à arquitetura histórica, à mata atlântica, aos modos de se relacionar específicos de suas populações. Um terceiro objetivo é questionar as hierarquizações no sistema da arte, que costuma separar a arte contemporânea “legítima”, profissional, valorizada pelo mercado, avalizada pela crítica, da arte popular, autodidata, e do artesanato, desprezado por seu caráter utilitário. Na verdade, as fronteiras entre essas categorias são móveis e questionáveis, e a exposição propõe diálogos temáticos e formais entre trabalhos feitos por pintores amadores, artistas premiados, entre outros sujeitos.

 

Imagem de uma pessoa saindo do meio de escombros.
Sem Titulo, 2010, de Fred Casagrande

 

crianças pulam de um deck na água.
Mergulho, 2017, de Fabiano Ignacio

 

Uma dimensão transversal que perpassa toda o projeto é a importância da formação. Não por acaso, o projeto conta com uma curadoria educativa, que foi envolvida desde o começo do processo, pensada pela arte-educadora Flávia Paiva. Além disso, o aspecto educativo do projeto se apresenta também mesmo antes da abertura da exposição. Para potencializar esse viés, foram pensadas duas incubadoras-formativas continuadas e processuais para acontecerem ao longo da concepção e montagem da exposição, seguindo os eixos de curadoria de exposições e curadoria educativa.

O curso Curadoria Educativa: processos de construção ocorreu de 2 de março a 8 de abril com 12 encontros e apresentou ao público interessado os processos que permeiam a concepção e construção de um programa educativo em exposições de arte. Foi ministrado pelas arte-educadoras Flávia Paiva e Renata Sant’Anna.

Já no curso Curadoria de Exposições: compartilhando experiências, proposto pelas curadoras Ilana Goldstein e Ana Kalassa, durante 12 encontros, no período de 4 de março a 15 de abril, a ideia foi discutir sobre o papel do/a curador/a, que é responsável em uma exposição ou museu, entre outras coisas, pela pesquisa e seleção de obras e artistas, por definições relativas ao espaço e pela criação de narrativas. O curso ofereceu uma visão introdutória e panorâmica desse rico universo e, ao mesmo tempo, constituiu um momento de compartilhamento de experiências concretas em curadorias de exposições.

Ao longo da exposição também será desenvolvido o trabalho de mediação por meio da equipe educativa, tanto no espaço expositivo, quanto no ambiente online via redes sociais do Sesc Santos. Para completar, de junho a novembro, estão previstas programações paralelas incluindo bate-papos, oficinas e performances, como forma de ativação da exposição nas plataformas digitais.

 

Ao centro a obra Perequê,  e ao fundo, a obra Mar.
Perequê, 2021, de Mauricio Adinolfi; Mar, 2021, de Izaura Campos (ao fundo). Foto: Bruna Quevedo

 

Imagem parcial de uma balsa com guarda-corpo amarelo e assoalho de madeira. À esquerda, uma boia laranja suspensa num suporte cilíndrico, uma corda preta abaixo apoiada no guarda-corpo. À direita, uma pessoa de costa usando sunga e touca azuis, os braços para trás e as mãos juntas, uma pulseira azul no punho direito. Ao fundo, imagem parcial de um cone laranja com duas faixas brancas, uma corda posta no guarda-corpo, uma larga faixa da água, uma mureta cinza e preta, alguns postes de iluminação, árvores e prédios.
Sem Titulo, 2011, de Fred Casagrande

 

Artistas participantes
Alyson Montrezol; Ana Akaui; Augusto Pakko; Biga Appes; Carlos Papa; Chico Melo; Coletivo (a)gente; Cris Alonso; Eleonora Artysenk; Élida Andréia Escobar; Elisabeth Ruivo; Elizeu Werá Tukumbo da Silva; EVORA Coletivo; Fabiano Ignácio; Fabiola Notari; Fabrício Lopez; Fred Casagrande; Fulvia Rodrigues; Gaio; Geandré; Gilda Martins de Figueiredo; Ildefonso Torres Filho; Ivy Freitas; Izaura Campos; Jhoni Morgado; José Maria da Costa Villar; Joyce Farias; Juliana do Espírito Santo e Lelê Lótus; Kátia Miyahira; Kelly Alonso Braga; Laércio Alves; Lidia Malynowskyj; Lucia Quintiliano; Ludemar Victor; Luiz Marq's; Mai-Britt Wolthers; Márcia Santtos; Marcos Piffer; Marcus Cabaleiro; Mari Lucio; Maria Inês Veríssimo; Marina Guzzo; Maurício Adinolfi; Maurício Ianês; Nenê Surreal; Paulo Climachauska; Paulo von Poser; Rachel Midori; Raphaella Gomez; Renata Salgado; Roberta Lima; Rodrigo Munhoz a.k.a Amor Experimental; Sr. Domingos; Thiago Verá Benites da Silva; Tomzé Scala; Tubarão Dulixo; Ubiraci Gomes; Uwerá Nimangá Dju Gomes; Wadson Silva; Wilis Graffiti; Wilson Santos.

 

Serviço:

PORTOS – Processos Orientados via Território e Ocupações Santistas
De 17 de junho a 20 de novembro de 2021
Convivência
Grátis | Livre

Local: Sesc Santos
Rua Cons. Ribas, 136 – Aparecida – Santos/SP
Mais informações em: sescsp.org.br/faleconosco 
Telefone: (13) 3278 9800
sescsp.org.br/santos

 

Abertura online 
17 de junho de 2021, quinta, às 19h
Assista no canal do YouTube do Sesc Santos
youtube.com/sescemsantos
 

Visitação com agendamento 
18 de junho a 20 de novembro de 2021
Horários de visitação:
Terça a sexta: 12h45, 14h, 18h30, 19h45
Sábados: 11h, 12h15, 13h30, 14h45 

Planeja sua visita! Agende seu horário

A visitação da exposição é acompanhada pela equipe educativa e permite a entrada de até seis pessoas por horário.

 

Orientações para sua visita:

Protocolos de segurança

Em todas as unidades estão sendo adotadas medidas para diminuição do risco de contágio e propagação do novo coronavírus, conforme as orientações do poder público. Procure não se atrasar, nem chegar com muita antecedência à unidade para não formar filas.

 

Acesso à unidade

A entrada na unidade será permitida apenas após confirmação do agendamento feito no portal do Sesc São Paulo.

A utilização de máscara cobrindo boca e nariz durante toda a visita, assim como a medição de temperatura dos visitantes na entrada da unidade serão obrigatórias.

Não será permitida a entrada de acompanhantes sem ingressos.

Seguindo os protocolos das autoridades sanitárias, os fraldários das unidades seguem fechados nesse momento e, portanto, indisponíveis aos visitantes.

Todas as unidades permanecem fechadas para visitação espontânea, exceto Interlagos e Itaquera.

A proteção de todos é prioridade! Sugerimos que pessoas dos grupos de risco, conforme definido pelas autoridades de saúde, sejam preservadas neste momento.

 

Protocolo em caso de sintomas

Se você apresentar os sintomas relacionados à Covid-19, procure o Serviço de Saúde e permaneça em isolamento social.

Outras programações