Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Nova saga de Cacilda Becker sob o olhar de Zé Celso

Foto: Jennifer Glass
Foto: Jennifer Glass

“Heróis dos TBCs sambamos hoje pra vocês (...)
Vamos sonhar pros heróis do teatro (...)
Derradeira diversão, vereda da viração”

Dirigido por Zé Celso e Marcelo Drummond, a maxisérie Cacilda foi construída desde 1990, quando foi escrita, chega agora ao seu quarto ato, com sua estreia no Sesc Santo André. Após a breve passagem pelo ABC, em duas apresentações, o musical segue para o Sesc Piracicaba, na semana seguinte.

Retratando a passagem da década de 40 para 50, esta montagem revela uma dimensão ainda desconhecida da vida da atriz: sua maturidade de grande estrela do Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), companhia paulistana responsável por trazer técnicos e diretores da Itália para a formação de um grupo de alto nível e repertório sofisticado, consolidando o teatro moderno brasileiro. A peça também traz o entusiasmo crescente da atriz, em um período da sua curta vida em que corpo, dança e fala, mesclados com sua história, são responsáveis pelo resultado do trabalho da atriz, que verdadeiramente devorava suas personagens.

O espetáculo, que tem 5h30 de duração, acontecerá nos dias 30 de novembro e 1 de dezembro, às 18h, no Sesc Santo André e segue no final de semana seguinte, dias 7 e 8 de dezembro, para o Sesc Piracicaba, em apresentações às 19h e 18h, respectivamente.

Segundo a companhia, as estreias dos recentes espetáculos acontecem depois do elenco ter treinado, ensaiado, devorado, incorporado e animado a matéria prima que contém o ser/corpo-alma da peça. Essa epopeia, trabalhada há meses, tem o processo de criação retomado após a estreia, pois cada apresentação é estudada e criada, de forma pulsante, na relação entre elenco e plateia.

As 4 Cacildas

Para narrar a infância da atriz, estreou em 1998 a primeira parte do espetáculo: Cacilda!; com uma exclamação – que ganhou vários prêmios e obteve sucesso de crítica e de público.

Estrela Brasyleira a Vagar - Cacilda!! narra uma década de vida da atriz, justamente a década de seus 20 anos, onde, no Rio de Janeiro, ela passeia pelas Companhias de Teatro, aventurando-se no início da carreira. A capital carioca é também o palco da estreia desta segunda parte, realizada em 2009.

Recentemente, em agosto deste ano, a terceira composição da maxisérie chega aos palcos; Cacilda!!! mostra o início da carreira da atriz no Teatro Brasileiro de Comédia (TBC). Concomitantemente, o público acompanha a comemoração do 4º Centenário de São Paulo e a criação de importantes símbolos culturais da cidade.

Cacilda!!!! – com 4 exclamações para sinalizar a quarta parte – com o subtítulo A Fábrica de Cinema & Teatro, é a montagem que chega agora aos palcos. Nela, Cacilda Becker torna-se protagonista absoluta e reina no TBC com suas palpitações de Entusiasmo, mesclando intérprete e personagens no momento de devorar peças emblemáticas do Teatro mundial – como “Nick Bar – Álcool, Brinquedos, Ambições”, de Willian Saroyan, “Desgraças de uma Criancinha”, de Martins Penna,”Entre Quatro Paredes”, de Jean Paul Sartre, “A Ronda dos Malandros”, de John Gay, e “Paio Velho”, de Abílio Pereira de Almeida, entre muitas outras. Neste novo musical, a  grande atriz, vivida em cena por Camila Mota e Sylvia Prado, conduz também à criação da Vera Cruz, primeira Fábrica de Cinema Nacional, idealizada pelo mesmo criador do TBC: Franco Zampari, vivido por José Celso Martinez Corrêa".

Todos os espetáculos da tetralogia colocam em pauta o poder humano, retratando o encontro deste com a energia que transforma a vida.

Sobre Cacilda Becker

Nascida em 1921 em Pirassununga, no interior de São Paulo, Cacilda Becker é um dos grandes nomes do teatro brasileiro. A atriz, que faleceu em 1969, deixou um legado para a classe artística, frutos que conquistou como protagonista de vários espetáculos, encenados em seus 30 anos de carreira.

Associação Teat®o Oficina Uzyna Uzona

Surgido em 1958 na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, o grupo passou por diversas fases – dos anos dourados, passando pela ditadura militar até o processo de levantamento do teatro nacional. A profissionalização da companhia deu-se a partir de 1961 e, no final da década de 60, revolucionaram a moderna dramaturgia brasileira com alguns espetáculos.

De 2000 a 2007, o Oficina abriu-se mais para as questões sociais e, em 2002, surgiu o Movimento Bexigão, com a realização de trabalhos artísticos com crianças e jovens em situação de risco da região do Bexiga, bairro paulistano onde localiza-se a sede do grupo.

Em 2008, na comemoração dos 50 anos de existência da companhia, quatro montagens estrearam, inclusive a primeira peça escrita por José Celso.

Sobre Zé Celso

Encarado como um dos principais diretores, atores, dramaturgos e encenadores brasileiros, José Celso Martinez Corrêa, quando estudava na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, criou o Teatro Oficina, associação que hoje preside e dirige.
O diretor, quando suspeitou ter contraído o vírus HIV, fez uma promessa: se não estivesse contaminado, encenaria nos palcos a vida de sua amiga Cacilda Becker.

Diante do resultado de exame negativo, ele escreveu, junto de Marcelo Drummond, quase mil páginas que resultaram na maxisérie encenada, então, desde 1998.

O trabalho do diretor, caracterizado pela inovação, muitas vezes é encarado como orgiástico e antropofágico, mas simplesmente representa sua inquietude e irreverência.

Nascido em 1937, na cidade de Araraquara, interior de São Paulo, Zé Celso chegou na capital paulista em 1955, onde vive desde então.

:: Leia a entrevista que o diretor concedeu ao Centro de Pesquisa e Formação, em julho deste ano; clique aqui.

:: Confira na íntegra o mais recente ensaio do espetáculo no Live Stream do grupo.

o que: Cacilda!!!! - A Fábrica de Cinema e Teatro
30/novembro e 1/dezembro

Sesc Santo André | Rua Tamarutaca, 302, Vila Guiomar, Santo André | 11 4469-12000
preços disponíveis na programação

7 e 8/dezembro

Sesc Piracicaba | Rua Ipiranga, 155, Centro, Piracicaba | 19 3437-9292
preços disponíveis na programação

 

Outras programações