Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Um dia com o Mesa Brasil

7h30 da manhã de um sábado. A equipe do Mesa Brasil da Unidade Santo André se organiza para mais um dia de trabalho; de um lado, motoristas e ajudantes uniformizados e com os equipamentos de segurança, de outro, nutricionista e estagiária de jaleco, carregando as pastas recheadas de recibos de doação e entrega. A proposta é acompanhar a retirada das doações e entrega dos alimentos nas instituições atendidas pelo programa na região e, para tanto, nossa equipe sobe em um dos dois caminhões que percorrem o ABC nesta missão


Galeria de fotos da visita | Foto: Thais Amendola

No caminho, o motorista explica que o sábado é o dia de visitar apenas um doador – o CRAISA, que é a Central de Abastecimento (semelhante ao CEASA) de Santo André –, onde são recolhidos hortifrútis destinados às instituições sociais que abrigam moradores permanentes (crianças, adultos e idosos), portanto abertas aos finais de semana. De segunda a sexta, a dinâmica do trabalho é outra: as doações concentram-se em supermercados, indústrias e confeitarias, onde os produtos que não são aproveitados integramente em processos industriais (aparas de bolos, pães amassados) ou por não estarem em condições de comercialização (sem rótulos, com pequenas danificações nas embalagens, próximos do vencimento), mas que estão totalmente próprios para o consumo, são retirados para entrega também nas creches, que funcionam somente de segunda a sexta.

Chegando ao destino inicial, os grupos separam-se; uma parte segue para os boxes de legumes, verduras e hortaliças, enquanto seguimos para a área das frutas. Os comerciantes conhecem as pessoas da equipe por seus nomes, e durante as breves saudações, nos mostram o cenário das arrecadações daquele dia: poucos informam que não há nada que poderá ser levado; alguns já deixam separados os alimentos e dizem que estavam aguardando a visita, uns separam quando avistam que o grupo se aproxima e outros ainda decidem apontando as caixas que poderão ser levadas (alimentos que ainda estão disponibilizados para venda). Logo, fica claro que a grande parte dos alimentos é de boa qualidade e quase não necessitam de seleção. Mesmo assim, todos os alimentos passam pelo olhar criterioso da equipe do Mesa Brasil, garantindo que cheguem ao destino final totalmente apropriados para o consumo. Após percorrermos a área de frutas, nos juntamos, na sequência, ao grupo que passeava por entre os outros boxes; ali, os doadores, que também reconhecem e conhecem a equipe, gritam, chamam, fazem piadas e entregam suas doações.

Ao fim desta primeira etapa, motoristas e ajudantes dos dois caminhões de responsabilidade do Sesc Santo André aguardam a contabilização dos alimentos, feita pela nutricionista responsável e pela estagiária.

Os 1421kg arrecadados mostram a verdadeira diversidade de alimentos que existem: laranja, caqui, banana, mamão, limão, salsa, chuchu, vagem, alface, escarola, tomate e até o inusitado caxi.

No sábado, 11 instituições são visitadas e a distribuição dos alimentos, pensada nesse momento, conforme o que fora arrecadado, contempla o perfil e quantidade do público atendido pelos respectivos receptores. O roteiro dos caminhões também é decidido na hora, sempre divididos em região e respeitando o melhor percurso a ser percorrido. Com os caminhões carregados, organizados com as caixas seguindo a sequência do itinerário proposto, partimos para a segunda parte do trabalho: a entrega.

Seguimos para Rio Grande da Serra e São Bernardo do Campo, com destino a seis instituições. Ao chegarmos na primeira, os adultos atendidos nos recepcionam com as caixas que recebem as doações. Discretos e silenciosos, não escondem a boa vontade em carregar aquilo que assegurará as refeições nos próximos dias. O responsável, após assinar o recibo de entrega, nos cumprimenta e, assim, nos despedimos.

Na segunda instituição, identificamos logo na chegada o público que ali vive: os gritos e palmas das crianças que brincam no parquinho, ao avistar o caminhão, ecoam pelo jardim, em meio às árvores, às flores e aos lençóis estendidos no varal. As cozinheiras nos agradecem com o sorriso estampado no rosto, cada uma delas evocando as graças de suas respectivas religiões. Nossas próximas quatro visitas são em abrigos e casas de idosos; em uma delas, encontramos com muitos deles pelos corredores e pátio, e eles nos acenam e pedem para ficarmos um tempinho com eles. Com o tempo curto, oferecemos alguns abraços e apertos de mão e partimos. Na penúltima receptora, um idoso recolhe uma banana da caixa de doações e come, enquanto outra moradora nos mostra seus colares, brincos e pulseiras. Na última instituição, é o dia de visita; famílias celebram em uma festa regada à comida e música. Alguns idosos nos param, mostrando seus entes e contando histórias – inclusive sobre uma peça de teatro que encenarão na semana seguinte, da qual um personagem tem o mesmo nome do ajudante do Mesa Brasil.

No regresso, por volta das 16h, após 80km rodados, retornamos ao Sesc Santo André da mesma maneira que saímos: com o caminhão vazio. Porém, com a imensa sensação de missão cumprida, pois além de combatermos a fome e o desperdício, compartilhamos da felicidade e alegria de muitas pessoas.

Em Santo André, faz cinco anos que o programa atua na região do ABC, Ribeirão Pires e Mauá, atendendo 31 instituições e contando com 144 parceiros doadores. Contudo, além da retirada dos alimentos onde sobra e a entrega onde falta, o programa Mesa Brasil realiza ações educativas constantemente, através de orientações diretamente nas instituições, cursos, palestras e oficinas sobre segurança alimentar e nutricional, saúde e culinária, além de outras ações (como a atuação da equipe da Odontologia nas instituições, o Encontro Anual de Parceiros e Doadores, etc), sempre aproximando e estreitando o relacionamento entre o Sesc e esses públicos.

Implantado no Sesc São Paulo em 1994 – há exatos 20 anos - o programa inspirou o Sesc Nacional, que implantou o Mesa Brasil Sesc, expandindo a ação para diversos outros estados brasileiros. Em São Paulo, além de Santo André, as Unidades Carmo, Itaquera, Interlagos, Osasco, Santos, São José dos Campos, Bauru Piracicaba, São José do Rio Preto, Taubaté, Campinas e Ribeirão Preto também executam as mesmas ações, garantindo o compromisso educativo e transformador do Sesc também na área da saúde e alimentação.