Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Moros y Cristianos

Muito depois de ser o cara da "Garota de Berlim" e muito antes de ser o baterista do Brothers of Brazil, Supla era a invenção de um apresentador de TV: o rei dos piores clipes do mundo. Na época, Eduardo Smith de Vasconcelos Suplicy, atendia também pelo singelo apelido de Papito e, fruto dessa exposição, bombou na venda do seu disco "Charada Brasileiro" em bancas de jornal do país inteiro.

Numa dessas, em um talk show famoso, o personagem contava sobre suas experiências na terra do Tio Sam e, quando perguntado sobre seus hábitos alimentares não titubeou: comia arroz e feijão todo dia. Ou melhor, Moros y Cristianos, como o prato é chamado em Cuba, país da vizinha firmeza com quem o papito compartilhava as refeições.

Mais famosa pela revolução e pelo beisebol, a ilha do caribe voltou a ganhar projeção mundial quando o guitarrista Ry Cooder e o bandleader Juan de Marcos González lançaram o disco Buena Vista Social Club, em 1997. A história deste disco reaviva a tradição do clube de Buena Vista, trazendo intérpretes de sua fase áurea como Compay Segundo, Rubén González, Ibrahim Ferrer, Pío Leyva, Anga Díaz e Omara Portuondo. Tempos depois, em 1999, o diretor alemão Win Wenders rodou um documentário sobre os músicos e a apresentação que fariam no Carnegie Hall.

O que pouca gente atenta é que, o clube pertencia ao bairro de Buenavista, pródigo na tradição de revelar músicos e grandes intérpretes. Dentre esses intérpretes, a cantora, compositora e multi instrumentista Yusa se destaca - e não é de hoje. Despontando para o mundo em 2002, Yusa nasceu em Buenavista e foi criada na comunidade de Alamar, lugar que sustenta o título de berço e força da cena hip hop em Cuba. Quando perguntada sobre a influência do ritmo na sua música, a cantora prefere dizer que Alamar está em seu som pois está em tudo que faz, sem privilegiar ritmo ou amarrando seu som a qualquer rótulo.


No entanto, faz questão de ressaltar a matriz africana do som que faz e de como isso a conecta com a música brasileira e a música feita na América Latina - e isso tudo não foi tirado de algum lugar na internet, está tudo no podcast abaixo, no qual a cubana faz questão de dizer que há mais do que arroz e feijão em comum a Cuba e o Brasil.

A cantora se apresenta no Sesc Belenzinho neste sábado, 7/junho, às 21h30. Você pode garantir o seu ingresso aqui. Enquanto isso, tem som à vontade no podcast pra você curtir!


Outras programações

Música

Clarianas - Lançamento do disco Quebra Quebranto

Clarianas - Lançamento do disco Quebra Quebranto

SESC Pompeia

à venda na unidade a partir de
13/11

Saiba mais