Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Compulsão por desenho e narração

Detalhe de Lucas Gehre desenhando a obra
Detalhe de Lucas Gehre desenhando a obra "Lugar Proibido" | Foto: Camila Picolo

A exposição Compulsão Narrativa une desenho e narração, no Sesc Vila Mariana, em obras de 12 artistas que trabalham o desenho em suas mais diversas linhas, mas que têm em comum a narrativa dentro de seus trabalhos

Os artistas a exibir seus trabalhos na exposição Compulsão Narrativa são: André Valente (SC), Carlos Contente (RJ), Diego Gerlach (RS), Eduardo Belga (DF), Elisa Carareto (SP), Frederico Lamas (Buenos Aires), Júnior Suci (SP), Nazareno (SP), Pedro Franz (SC), Silvan Kälin (nasceu na Suíça, mas trabalha em Recife) e Tiago Judas (SP). A exposição fica no Atrium, espaço reformulado recentemente e que antes abrigava a sala de leitura, agora instalada no 5º andar da mesma torre.

A ideia da mostra surgiu quando a equipe do Sesc Vila Mariana analisou a produção de desenhos no circuito de publicações independentes e percebeu diversas possbilidades. Foram reunidos diferentes artistas que trabalham com ilustração e, ao observar o conjunto selecionado, notou-se uma compulsão narrativa, como o próprio nome da exposição sugere, como ponto de contato entre esses trabalhos. Assim, foi lançado o desafio aos artistas de como eles poderiam transpor seus trabalhos para um espaço expositivo.

Contar Histórias
Os trabalhos podem ser vistos em papel, pintura, lambe-lambe, nas paredes e mesas. Foram pensados diferentes sentidos da palavra “desenho” para escolher o mote da exposição. A equipe responsável buscou artistas que trabalhem desenho como imagens mentais suscitadas pela criação de ficções.

Os artistas escolhidos transitam pelos mais diversos segmentos do desenhos. Alguns são figuras conhecidas em galerias de arte, já a outra parte do grupo que integra a mostra está mais familiarizada com o mundo das publicações digitais ou impressas. Esses perfis, juntos, conseguem dar ao público a amplitude do alcance e do perfil diversificado do desenho.

Entre as obras, destaque para Está Tudo Aqui, de Nazareno, reconhecido por suas esculturas em pequenos formatos e por explorar a caligrafia como uma forma de desenho. Nesse trabalho, o artista apresenta pequenas camas colocadas ao lado de frases.

Júnior Suci usa o grafite em todas as seis obras que expõe. Em Meu Primeiro Disfarce, o paulista usa, além do grafite, tinta acrílica para desenhar sobre tecido.

Solta ou Prende, de Silvan Kälin, poderá ser observada pelo público pelo vidro do Atrium, pois fica na parede de um terraço do prédio da unidade. É uma série de lambe-lambe com desenhos de alimentos que, como o próprio nome sugere, soltam ou prendem o intestino.

O argentino Frederico Lamas leva para a exposição a sua Visão Infernal, uma série de desenhos em que a cor vermelha predomina. Personagens variados se transformam quando o público usa uma lâmina vermelha pendurada em frente à obra para observar o desenho de uma maneira diferente. Um exemplo é o desenho da Rainha Elizabeth que vira em uma empregada doméstica com o uso da tela especial.

Uma mesa no centro do espaço da mostra abriga a obra de Tiago Judas, batizada de Banquete do Bufão, que conta também com cadeiras equipadas com “almofadas de pum”, remetendo o público a o segmento mais lúdico do universo das HQs e será utilizada para oficinas e outras atividades para o público.

Programação Paralela
Além da exposição, que segue até o final de fevereiro, o Sesc Vila Mariana também presenteia o público com uma programação paralela, batizada de Nós Narradorxs. Em novembro, os artistas Tiago Judas e Júnior Suci e o criador da comunicação visual da mostra, Victor Gáspari, farão a oficina “Cuspindo Histórias em Quadrinhos”. Crianças e seus pais poderão montar sua própria história em um papel que será distribuído por meio de uma geringonça batizada de cuspideira. Em dezembro, atividades com bordado, animação em celular e criação de fanzines complementam o projeto. As oficinas também são gratuitas e acontecem no Atrium.

Até fevereiro, a programação paralela terá ainda sessões de cinema de animação (infantil e adulto), contação de histórias, oficinas e bate-papos abordando as questões da narrativa e do desenho.

Veja algumas fotos da montagem e da abertura da exposição:



Navegue pelo material gráfico produzido com outras obras dos artistas (disponível para retirada na exposição):

 

Outras programações