Sesc SP

Matérias da edição

Postado em

Fome, tem que ter ação para interromper

Programa Mesa Brasil Sesc São Paulo beneficia 143.000 pessoas assistidas em 730 instituições sociais
Programa Mesa Brasil Sesc São Paulo beneficia 143.000 pessoas assistidas em 730 instituições sociais

Direito Humano à Alimentação Adequada é previsto em tratados internacionais de Direitos Humanos, a exemplo do Pacto Internacional dos Direitos Econômicos, Sociais e Culturais. No Brasil, a Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional (Lei nº 11.346/2006) e a Emenda Constitucional nº 64/2010 garantem a exigibilidade da alimentação adequada e saudável como um direito fundamental, dada a essencialidade da alimentação para a existência do ser humano, para que suas capacidades sejam desenvolvidas e para que participem plena e dignamente da vida em sociedade. Esse direito está intrinsecamente ligado ao conceito de Segurança Alimentar e Nutricional, que defende o “acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, tendo como base práticas alimentares promotoras de saúde que respeitem a diversidade cultural e que sejam ambiental, cultural, econômica e socialmente sustentáveis”.

O Sesc, desde sua criação, em 1946, desenvolve de maneira sólida e reconhecida ações voltadas ao campo da saúde. Entre elas, destacamos os serviços oferecidos pelas Comedorias, que têm como premissa oferecer uma alimentação adequada aos trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e à comunidade em geral por meio do fornecimento de refeições a preços acessíveis e cardápios elaborados com alimentos saudáveis, brasileiros e contemporâneos, equilibrando os princípios da nutrição e da gastronomia. Evidenciamos também a realização de seminários, cursos, palestras, bate-papos, exposições, oficinas e intervenções com abordagem de temas ligados à saúde, alimentação, nutrição, sustentabilidade, gastronomia e destaque para a valorização da culinária brasileira e o respeito à diversidade cultural.

Inspirado por pensadores como Josué de Castro – “o problema da fome mundial não é, por conseguinte, um problema de limitação da produção por coerção das forças naturais, é antes um problema de distribuição” – e instigado pelo elevado índice de famintos no Brasil, o Sesc SP debruçou-se na missão de desenvolver ações que ajudassem a minimizar a desigualdade social e na busca por soluções que atendessem às necessidades alimentares da população. Não se limitou ao trabalho que o Programa de Alimentação já oferecia, excedeu e vislumbrou a possibilidade de criar uma rede operacional aliada à formação de pessoas e à conscientização da importância do combate ao desperdício.

Experiências oriundas dos serviços de alimentação e das ações sócio-comunitárias que o Sesc já desenvolvia desde sua criação, somadas ao desafio da busca por conhecimento especializado e por programas existentes em outros países, tornaram possíveis a ampliação da atuação da instituição com a criação, em 1994, do Programa Mesa São Paulo, hoje intitulado Mesa Brasil Sesc São Paulo.

Já se vão 20 anos de trabalho. Com o compromisso renovado de minimizar o desperdício de alimentos e a insegurança alimentar e nutricional da população, o Programa Mesa Brasil, que atende hoje 42 cidades paulistas, funciona como um elo entre empresas e instituições sociais. A busca por alimentos nos lugares com sobra minimiza carências. A equipe do Programa, nutricionistas, motoristas, ajudantes, escriturários e voluntários, organiza uma logística diária para se dirigir aos locais de doação – supermercados, mercados municipais, feiras livres, centrais de abastecimento, padarias, confeitarias e indústrias – receber os alimentos, fazer a seleção e encaminhar esta arrecadação para as instituições sociais cadastradas.

Desde a sua criação, mais de 47 milhões de toneladas de alimentos já foram arrecadados e doados para abrigos, albergues, creches, casas de convivência, casas de repouso e casas de atendimento a pessoas com necessidades especiais. Só em 2013, 3.500 toneladas de alimentos foram arrecadados em 540 empresas e beneficiaram 143 mil pessoas atendidas em 730 instituições sociais.

Nesta trajetória, o Programa não se limitou a coletar e entregar alimentos. O Mesa Brasil inovou quando propôs a transmissão de conhecimentos, difundindo ações educativas para os empresários, voluntários, funcionários das instituições receptoras e das empresas doadoras. Essenciais para que o Programa ultrapasse o assistencialismo, as atividades realizadas envolvem assuntos diversos, desde orientações acerca de boas práticas de manipulação e armazenamento de alimentos e elaboração de cardápios até temas mais amplos relativos às questões culturais ligadas à alimentação.

Tanto abordagens teóricas quanto práticas são levadas às entidades a fim de incentivar hábitos alimentares adequados por meio, sobretudo, do desenvolvimento e divulgação de receitas saudáveis com o uso do conceito de aproveitamento integral dos alimentos. Não basta receber as doações, compostas em sua maioria por frutas, legumes e verduras. Os cozinheiros precisam adquirir conhecimentos e habilidades para prepará-los adequadamente e até mesmo serví-los, como é estimulado durante as oficinas culinárias e cursos ministrados. O estreitamento constante com as instituições receptoras é considerado vital para a conscientização dos assistidos pelo Programa.

Hoje o Mesa Brasil está implantado em cinco unidades do Sesc na grande São Paulo (Carmo, Itaquera, Interlagos, Osasco, Santo André), na cidade de Santos e nas cidades interioranas de Bauru, Campinas, Piracicaba, Rio Preto, Ribeirão Preto, São José dos Campos e Taubaté. Frente aos dados atuais fornecidos pela FAO, de que 1 em cada 9 pessoas no mundo ainda passa fome e é desnutrida, o Sesc compartilha da lição deixada pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho: “Só a participação cidadã é capaz de mudar o país”. Considerando esta premissa, além de criar parcerias consolidadas e incentivar a expansão do próprio programa, o Mesa Brasil também tem o papel de mostrar que a sociedade precisa construir mais redes de solidariedade e incentivar não apenas a colaboração com as organizações já existentes, mas, para muito além disso, indicar os caminhos contra o desperdício e a favor do ser humano.

O “poeta” Aldir Blanc, um dos maiores letristas da canção brasileira, ao compor O Ronco da Cuíca com João Bosco, sentenciou que “A raiva dá pra parar, pra interromper/A fome não dá pra interromper/A raiva e a fome é coisas do home”. Mas os parceiros da Música Popular Brasileira não imaginavam que o Sesc, um “irmão do Henfil” e tantos outros cidadãos desse Brasil fossem capazes não só de minimizar a fome, mas principalmente de deixar um legado para a população e para outras instituições que anseiem enfrentar este desafio.

Vida longa ao Mesa Brasil, que mantém a gana de interromper a fome da população brasileira.

 

Gerência de Saúde e Alimentação

Outras programações

Ações para a Cidadania

Gastronomia Social: A Gastronomia Usada como Ferramenta de Transformação Social

Gastronomia Social: A Gastronomia Usada como Ferramenta de Transformação Social

SESC Avenida Paulista

Saiba mais

Alimentação

Cultura no prato | Culinária Peruana

Cultura no prato | Culinária Peruana

SESC Bom Retiro

à venda na unidade a partir de
19/11

Saiba mais

Alimentação

Cultura no prato | Culinária Peruana

Cultura no prato | Culinária Peruana

SESC Bom Retiro

à venda na unidade a partir de
19/11

Saiba mais

Alimentação

Cultura no prato | Culinária Peruana

Cultura no prato | Culinária Peruana

SESC Bom Retiro

à venda na unidade a partir de
19/11

Saiba mais