Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Cultura e tradição Indígenas

Baré, Povo do Rio. Foto: Pisco Del Gaiso
Baré, Povo do Rio. Foto: Pisco Del Gaiso

O SescTV exibe, à partir do dia 2 de julho, o documentário Baré, povo do rio, com direção de Tatiana Toffoli. O filme retrata o cotidiano da etnia Baré, que habita as comunidades localizadas ao longo do Médio e Alto Rio Negro, na Amazônia. O documentário concorre à premiação nas categorias de Melhor documentário Unitário e Relevância Social na Edição 2015 dos Prêmios TAL -  promovidos pela  TAL - Televisión América Latina, a ser realizado de 27 a 30 de julho em Montevideo, Uruguai.

Dirigido por Tatiana Toffoli, o filme aborda o cotidiano, costumes e lendas da etnia Baré, cujo território se estende em várias comunidades ao longo do Médio e Alto Rio Negro, na Amazônia, próximo à Venezuela, nas proximidades com o Rio Orinoco. Com realização do Sesc, o documentário é parte integrante de uma ação que visa estimular o conhecimento da variedade cultural dos povos indígenas brasileiros. A obra compõe o projeto Baré, povo do rio que inclui uma publicação pelas Edições Sesc São Paulo, organizada por Marina Herrero e Ulysses Fernandes, com o objetivo de registrar e divulgar a cultura do povo Baré - sua identidade, suas memórias, histórias, costumes e experiências, bem como apresentar análises com viés acadêmico, pesquisas arqueológicas e depoimentos sobre suas lutas e conquistas.

O documentário ilustra panorama sobre o ambiente natural e aspectos geográficos do Médio e Alto Rio Negro, na Amazônia, região habitada pela comunidade da etnia Baré. Oriundos da família linguística Aruak, atualmente, os Barés falam uma língua geral, difundida pelos missionários carmelitas e jesuítas, no século XVIII, chamada Nheengatu. Apesar de ser uma língua imposta, foi incorporado pelos Barés. Segundo o filme, apenas a partir de 1914, o sistema religioso-educacional dos Salesianos difundiu a Língua Portuguesa entre os índios da região. Atualmente, os Barés são bilíngues, falam Nheengatu e o português. Entretanto, a língua Baré desapareceu por volta de 1950.

A narrativa circula pelo cotidiano das comunidades e apresenta os principais hábitos na vida comunitária. Outro hábito registrado é o preparo das diversas modalidades de mandioca, bem como sua diversidade de uso na alimentação da comunidade. Alguns condimentos, como a pimenta também são bastante utilizados, como ingrediente e preservação de alimentos.

Outro aspecto cultural desvelado é a qualidade do artesanato indígena, presente na confecção de peneiras, com tipos diferentes de tramas para serem utilizadas na culinária. Um capítulo importante nos hábitos alimentares dos Barés é sua integração com o potencial hídrico da região, revelado na variedade de peixes que compõem a alimentação local.

Na sequência, o filme mostra o ritual do Kariamã, de extrema importância na vida social da comunidade, por se tratar de um ritual de iniciação para a vida adulta, destinado aos meninos da comunidade. Esse ritual se baseia em uma série de ensinamentos de habilidades que serão de extremo uso ao longo da vida dos jovens. Também são repassados conselhos e ensinamentos sobre como viver no ambiente da floresta. Outros rituais são apresentados, como o Dabucuri, ritual de oferecimento de alimentos e bens entre os povos da região.

Um aspecto importante é o registro de depoimentos de pessoas da comunidade que relatam mitos indígenas sobre a criação do mundo, inclusive um dos mais conhecidos mitos indígenas existentes no Brasil, originalmente elaborado pelos Barés: o Curupira, entidade que habita as florestas.

O filme mostra ainda a relevância do papel do ancião da aldeia que faz preleção aos participantes do ritual para dar significado e conselhos aos jovens ao término do Kariamã.

Baré, povo do rio foi selecionado pela TAL - Televisión América Latina concorrendo às categorias de Melhor Documentário Unitário e Relevância Social, em premiação criada para favorecer a difusão de conteúdo cultural e educativo na América Latina.

Você também pode votar direto no link abaixo para colaborar na votação popular. Participe e venha refletir sobre as contribuições da cultura indígena na formação brasileira, bem como a preservação de seu patrimônio imaterial.


Vote aqui nos indicados dos Prêmios TAL TV.


Documentário: Baré, povo do rio
Dia 02/07, às 12h
Classificação Indicativa: Livre
Reapresentações: 04/07, às 11h; 07/07, às 7h, 08/07 às 4h e 09/07, às 5h.

Outras programações