Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Fotografia: construindo imagens com novas ferramentas e jeitos antigos

Foto-Colagem é um dos temas abordados nas oficinas. Foto/Arte: Manuela Eichner
Foto-Colagem é um dos temas abordados nas oficinas. Foto/Arte: Manuela Eichner

Com a chegada dos smartphones e o fácil acesso aos equipamentos digitais e profissionais, a fotografia ganhou adeptos e interessados por toda parte. O compartilhamento instantâneo nas redes sociais também é um bom motivo para que todos possam se tornar construtores de imagens.

As fotos têm o poder de fazer eterno (e compartilhável) cada pedaço de tempo, por menor que seja. Vale congelar um abraço, um almoço com os amigos, um sorvete num sábado de sol, a primavera na praça da esquina, o batom novo no sorriso de canto, o look da festa, o brinde de aniversário, a fofura do animal de estimação ou apenas um olhar diferente, seja da janela do quarto ou entre os prédios da cidade. São ângulos e formas de transmitir o que vemos e vivemos todos os dias.

Registrar momentos é uma delícia. Construir imagens contando com ferramentas novas e jeitos já conhecidos é ainda melhor.

Pensando nisso o Sesc Carmo oferece uma série de oficinas ligadas ao universo da fotografia. São cursos que abordam a arte de fotografar na esfera digital, analógica e artesanal, como Foto-Colagem, PinHole, Lightpainting, Fotografia com Smartphone, Modos de Circulação, HackPhoto e Ensaio Fotográfico – Construção de Imagem e Processo Criativo.

Falamos um pouco com a artista multimídia Manuela Eichner, que usa fotografias e páginas de revistas em colagens em seu processo artístico. Ela é uma das profissionais que irá trazer um pouco da sua experiência para as oficinas da programação De Olhos Bem Abertos.

EOnline: Conte sobre seu primeiro contato com a arte e as influências que recebeu ao longo da carreira.
Manuela Eichner: Eu nasci numa cidade de 10 mil habitantes, Arroio do Tigre o que me traz influências por todos os lados do que sou. O fato de minha mãe ser professora de português e literatura e recitar poemas pra gente quando pequenos...ela também recebia muitos livros e revistas pelo correio o que era a nossa internet na época. Meu pai é um super designer de nascença e um "faça você mesmo" o tempo todo. Durante um tempo tivemos uma gráfica nos fundos de casa. Então esse universo da minha família é minha primeira referência artística. Já meu irmão seria a parte mais atualizada das minhas influências, sempre me trouxe referências de ponta do universo da dança, teatro, literatura etc. Permaneço nesse primeiro bloco porque se for citar todos os contágios e grupos que me formaram precisarei de algumas páginas, (risos).

Você é uma artista multimídia! Fale pra gente das plataformas que atua e em que tipo de trabalho se sente mais à vontade para criar.
Trabalho com colagem para a mídia impressa, jornais e revistas, e para cada novo projeto eu procuro um novo meio. Sou formada em escultura na UFRGS e tenho uma grande paixão pela matéria. Tive um grupo chamado MERGULHO onde experimentamos o vídeo, a performance e novas iniciativas com o que é ou pode ser uma exposição de arte por uns cinco anos. Desta forma eu me sinto muito a vontade com a instalação, com o espaço e no momento é o que mais desejo fazer. Já na colagem é onde me sinto mais a vontade porque foi onde encontrei meu lugar, minha técnica, minha história.

Em um dos dias na oficina de Foto-Colagem que vai dar no Sesc Carmo você usa o tema 'Imagem de si'. Conte sobre como se reconhecer em páginas de revistas e sobre o processo de desconstrução/reconstrução presente nas suas colagens.
Diante do acúmulo de imagens que vivemos e essa não relação com elas eu sempre proponho durante a oficina um estudo das imagens. O ato de retirá-las de revistas, rasgar, recortar já é o início deste processo de desconstrução, justamente para exercermos o poder sobre a imagem. O tema "imagem de si" vai caminhar por um momento de edição do que foi "bagunçadamente" escolhido que tem a ver com o que a pessoa acha que é.


A fotografia digital está cada vez mais presente da vida das pessoas e principalmente na internet. Como você faz uso das ferramentas móveis para seu trabalho?
Uso muito a internet tanto para pegar imagens quanto para distribuir a minha "reciclagem". A internet é um ótimo local de pesquisa de imagem bem como de como estamos nos relacionando com elas. O instagram tem sido meu local de contato com muitos outros artista do mundo. (Manuela no Instagram: @manuelaeichner

Manuela trabalha com experiências artísticas em colaboração, produz colagens para diversos jornais e revistas, apresenta seu trabalho em exposições e compartilha o que sabe em oficinas. Conheça um pouco do seu trabalho:

o que: De Olhos Bem Abertos
quando:

Julho e Agosto 2015

onde:

Sesc Carmo | Rua do Carmo, 147 | 11 3111-7000

Inscrições:

Informações na Central de Atendimento

 

Outras programações