Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Jovens refugiados e brasileiros em um intercâmbio de experiências

Roda de conversa entre os jovens brasileiros e refugiados / foto: Lúcio Érico - Sesc
Roda de conversa entre os jovens brasileiros e refugiados / foto: Lúcio Érico - Sesc

Em junho deste ano, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) divulgou relatório em que constatou um aumento recorde no deslocamento global provocado por guerras, conflitos e perseguições. O número de refugiados subiu de 51,2 milhões de pessoas em 2013 para 59,5 milhões em 2014.  Em busca de paz e proteção, essas pessoas são obrigadas a deixar seu país e suas famílias. Atualmente, vivem cerca de 7,3 mil refugiados no Brasil, segundo relatório da ACNUR em 2014. Uma realidade que parece distante do Brasil, mas que na verdade está muito próxima.

Para discutir essa realidade, o Sesc Consolação realizou no dia 19 de junho uma roda de conversa entre jovens refugiados da República do Congo, Colômbia, Síria e participantes dos programas Tribo Urbana e Estrelas do Basquete. Danças, músicas tradicionais e principalmente, relatos de vida conduziram o encontro.

H.T., de 20 anos, é congolês e vive no Brasil desde 2012. Após participar de uma manifestação contra o governo, ele foi preso e seria encaminhado para se tornar um “soldado menino”. H.T conseguiu fugir, embarcando clandestinamente em um navio, sem saber o destino da viagem; após semanas a bordo, desembargou no porto de Santos (SP). Com a ajuda, chegou à cidade de São Paulo. Após várias dificuldades, o jovem foi recebido por uma família congolesa que assumiu sua tutela até que completasse a maioridade. Hoje H.T vive com alguns parentes, que também conseguiram fugir do Congo, trabalha em tempo integral e está cursando o nível superior. “Sair da sua terra e pensar em morar no Brasil é algo que nunca pensei, deixei tudo para trás”, desabafa H.T.

Além das histórias de fuga e reconstrução de vidas, algo em comum entre os jovens refugiados é a dificuldade em aprender a língua portuguesa, sendo um dos entraves para adaptação no Brasil. Neste ponto, desde 1995, o Sesc SP possui um convênio com o Senac, Caritas Arquidiocesana de São Paulo e o ACNUR, que tem como objetivo oferecer aos refugiados condições básicas de integração à vida social. A atuação do Sesc SP se dá na organização do curso básico de português, no subsídio para refeições durante o período de 6 meses e no incentivo à participação de pessoas em situação de refúgio nas atividades socioculturais oferecidas em suas unidades.

Os jovens refugiados presentes na roda de conversa são alunos do curso de português organizado pelo  Sesc, na unidade Carmo. O curso de português é essencial nesta relação com refugiados porque além de prover um conhecimento mínimo da língua, ele aborda questões de convivência, pois está pautado em situações enfrentadas no cotidiano. Os brasileiros que participaram da conversa relataram que o encontro foi interessante, e tornou possível entender um pouco mais sobre as situações que levam alguém ao refúgio e conhecer um pouco mais sobre a cultura dos envolvidos. “Foi bem interessante, pois aprendi um pouco mais sobre as culturas e o motivo da sua vinda para cá”, contou Manuel de Campos, 16 anos, participante do programa Estrelas do Basquete no Sesc Consolação. Para Sofia Silva, 17 anos, que participa do Tribo Urbana, a roda de conversa foi “bem legal, principalmente porque no encontro os refugiados souberam compartilhar um pouco da cultura deles e escutar um pouco da nossa. Além disso, você entende que as pessoas são unidas por algo bem universal que é a cordialidade e alegria ”.

Promover este conjunto de ações, além de auxiliar pessoas em situação de refúgio na reconstrução de suas vidas, permite desmistificar preconceitos que muitas vezes podem associar refugiados à criminalidade. Perseguidos por suas crenças, origem étnica ou posicionamento político, os refugiados são pessoas que tiveram que deixar família, história e raízes. 

Gostou? Acompanhe nossa programação e participe dos próximos encontros.

 

o que: Roda de Conversa com jovens Refugiados
quando:

08 de agosto, às 15h

onde:

Sesc Rio Preto | Avenida Francisco das Chagas Oliveira, 1333 | 17 3216-9300

ingressos:

Grátis.

 

Outras programações