Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Toda luta é importante

Quando iniciei a prática do boxe não havia nenhuma mulher no clube que frequentava
Quando iniciei a prática do boxe não havia nenhuma mulher no clube que frequentava

Ela poderia ter se tornado uma advogada, mas acabou trocando o estudo das leis pelos golpes, assim como deixou a sala de aula para entrar no ringue. Rose Volante era estudante de direito, mas hoje é atleta profissional e professora de boxe.  Carrega em seu currículo os títulos de Campeã Paulista, Campeã Internacional da WIBA (Women’s International Boxing Association) e Campeã Latina WBC (World Boxing Council) no esporte.

A lutadora participará da atividade de boxe olímpico que acontecerá nos dias 29 e 30 de janeiro, respectivamente, no Parque do Povo, em Birigui, e na Praça Getúlio Vargas, em Araçatuba. A vivência e o bate papo com a atleta integram a programação do Sesc Verão 2016. Em entrevista para a EOnline, Rose contou como o boxe foi fundamental para a sua mudança de vida e falou sobre a carreira repleta de vitórias e títulos.

PESO
"Comecei a prática do boxe em 2008, em busca de perda de peso. Na época pesava 105 kg e já tinha tentado de tudo para emagrecer, mas não tinha conseguido. Um dia li uma matéria que falava que o treino de boxe ajudava a eliminar até 1.200 kcal e decidi procurar um centro esportivo da minha cidade. Com determinação consegui eliminar 40 kg com os treinos. Para acelerar a perda de peso eu também corria três vezes por semana e fui reduzindo a minha alimentação".

TREINOS
"Quando comecei a prática, treinava todos os dias, por duras horas, mas agora que luto profissionalmente o treino é mais puxado. Hoje eu alterno durante as aulas que ministro o meu treinamento e minha preparação física. Quando vou competir tenho que cortar o carboidrato, principalmente à noite, porque usualmente peso 65 kg e o peso da minha categoria é de 61. Sempre tenho alguns quilinhos para eliminar antes das lutas."

VANTAGENS
"Com a prática do esporte os principais benefícios são em questão de saúde, sem contar os estéticos. Eu tinha pressão alta, colesterol e me cansava facilmente para subir escadas. Aos poucos fui eliminando todos esses problemas e hoje tenho um ótimo condicionamento físico".

LUTA
"Não me imaginava lutando profissionalmente, mas em uma Virada Esportiva fiz a minha luta de estreia. Venci por nocaute e com toda a empolgação causada pela vitória, acabei buscando uma equipe para integrar e treinar."

VITÓRIAS
"Toda a luta é importante. Encaro cada uma delas como se fosse a melhor do mundo e uma das mais difíceis que enfrentei. Na categoria boxe olímpico/amador, de 67 lutas disputadas venci 60. E enquanto boxeadora profissional, venci as seis lutas que disputei, sendo 5 delas por nocaute".

TÍTULOS
"No ranking brasileiro estou em 1º lugar das atletas femininas na categoria 61 kg. Entre meus títulos, sou campeã sulamericana (2011), Tricampeã brasileira (2010/2011/2013) e Vice-campeã Panamericana (2012). Também já participei de lutas internacionais na França, Chile, Inglaterra, Austrália e Estados Unidos".

ESTUDO
"Além dos treinos, aprendemos muito assistindo vídeos de lutas e lutadores na internet. Tem dia que fico horas buscando conteúdo para aprender a arte de tocar e não ser tocado. Aos poucos vamos tendo noção de golpes e quais os melhores momentos de usá-los".

MULHER
"Quando iniciei a prática do boxe não havia nenhuma mulher no clube que frequentava, em Pirituba (SP). Cheguei ao local e perguntei se tinha boxe feminino, me responderam que havia boxe. Fui ver como era e quando perguntei para o treinador, ele me questionou se estava vendo alguma mulher lá, e realmente eu era a única no local. Ele olhou pra mim, ainda gordinha, e disse que não tinha nenhum treino e me mandou ficar correndo em volta do ginásio. Alguns homens devem ter ficado com dó de mim e aos poucos foram me passando algumas coisas, ensinando alguns golpes, até que ele passou a me treinar. Agora a academia está lotada de mulheres que buscam qualidade de vida".

IDADE
"Diferente de outros esportes, não há uma idade limite para a prática do boxe. Alguns indicam que o esportista fique no máximo até os 40 anos na categoria olímpico/amador, mas ele pode fazer a transição para a profissional antes desse tempo. Já na categoria profissional, é possível permanecer até quando tiver resistência e aguentar lutar".

VIVÊNCIA
"A vivência em Birigui e Araçatuba será uma ótima oportunidade para diminuir o preconceito contra a prática, mostrando as pessoas que o boxe não é um esporte agressivo. Apesar de ser uma prática que tem contato físico, a intenção não é machucar. É uma nobre arte, como é conhecido".

 

Para ver Rose Volante em ação, uma busca rápida no Youtube te dá várias opções. Olha só aqui.

 

o que: Boxe Olímpico com Rose Volante
quando:

29 e 30 de janeiro, às 18h30

onde:

Dia 29, no Parque do Povo, em Birigui
Dia 30, na Praça Getúlio Vargas, em Araçatuba

Programação realizada pelo Sesc Birigui

ingressos:

Grátis.

Outras programações