Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Dia do Desafio: 10 dicas para repensar as cidades

O tema democratização das cidades tem múltiplas possibilidades de abordagem, não é mesmo? Neste ano, esse foi um dos principais assuntos discutidos pelo Dia do Desafio durante o Sorteio das cidades participantes do evento.

Para mostrar a importância da discussão, o Sesc convidou Carlos Leite, professor da USP e autor do livro “Cidades sustentáveis, Cidades Inteligentes”, para realizar uma palestra no evento do Sorteio do Dia do Desafio 2016 (que você pode assistir abaixo). 

Além da palestra, a partir dos assuntos abordados na conferência relacionados ao tema, separamos nesta lista os principais tópicos sobre a democratização das cidades. Essas dicas trazem as principais ideias para ter em mente quando o assunto é ressignificação das cidades, de modo a torná-las espaços mais democráticos, mais possíveis e mais divertidos.

1 - O metabolismo de nossas cidades deve ser reinventado

Para o professor, cidades são como pessoas. Às vezes aceleram e às vezes desaceleram. Por isso, é preciso fazer uma leitura do contexto em que vivemos e adequar o funcionamento das cidades a esse pensamento.

2 - As iniciativas pipocam pelo mundo afora e também por aqui

Nem só de exemplos estrangeiros é feito o planejamento urbano voltado para as pessoas. No Brasil, também temos exemplos bem-sucedidos. Em São Paulo, as ocupações do Minhocão, Paulista aos domingos, Praça Roosevelt e diversas ruas são um sucesso. O recente Parque Linear de Sorocaba rapidamente se tornou referência na cidade.

3 - Falar em lazer e atividades físicas no século XXI é, cada vez mais, falar em usar as cidades

Os espaços urbanos podem e devem ser utilizados como lazer e exercício coletivo, público e democrático.

4 - Valorizar os espaços públicos é causa de imediata aderência da população

Segundo Carlos Leite, a população está cada vez mais preocupada em se encontrar, viver momentos de lazer coletivo e ocupar lugares vivos e dinâmicos.

5 - Não há solução mágica

Para construir as cidades que queremos, são necessárias ações planejadas e concretizadas junto aos órgãos públicos.

6 - Cidades equilibradas e eficientes são aquelas que oferecem oportunidades para requalificar as suas áreas deterioradas

Com isso, o professor alerta para a urgência de entendermos a cidade como uma extensão de nossa própria casa.

7 - As cidades são como nós, organismos vivos que precisam de cuidados e podem se requalificar

A metáfora ajuda a pensar na forma como as nossas ações enquanto usuários da cidade influenciam na saúde dos espaços públicos.

8 - O século XXI é o século das cidades

Para o urbanista, o desejo de humanizar as cidades é uma tendência mundial e pode ser observada em projetos implantados nos mais diversos lugares do mundo.

9 - Exercitar o corpo, a mente e alma através da urbanidade

Beira-rios, parques, praças, calçadas: tudo isso é urbanidade e espaço de ocupação em potencial. Extrair da cidade o máximo de bem-estar e qualidade de vida deve ser uma preocupação da iniciativa pública.

10 - Pensar a cidade como a nossa sala de estar

Estimular o pertencimento dos cidadãos com o lugar onde eles vivem é muito importante para a criação de espaços comuns democráticos e confortáveis.

Veja abaixo a palestra do professor Carlos Leite:


Carlos Leite é urbanista com mestrado e doutorado pela FAU-USP e pós-doutorado pela Universidade Politécnica da California. É professor na Universidade Presbiteriana Mackenzie e professor visitante em diversas instituições internacionais (CalPoly, IaaC Barcelona). É diretor de Stuchi & Leite Projetos e Consultoria em Desenvolvimento Urbano (www.stuchileite.com). Autor do premiado livro Cidades Sustentáveis, Cidades Inteligentes (Bookman, 2012). Autor do referenciado Plano de Desenvolvimento Urbano Estratégico de Nova Friburgo 2050 (incluindo a revisão do Plano Diretor). Membro no Núcleo de Estudos Urbanos da ACSP (Associação Comercial de SP). Membro do Conselho da Cidade do Rio de Janeiro. Atua na promoção de planos e ações para promover a revitalização urbana e a urbanidade/vitalidade urbana (“cidades para as pessoas").

Leia mais sobre o assunto no Portal SescSP:

Revista E - Cidade Palco

Revista E - Eua na Prática

SOBRE O DIA DO DESAFIO

O Dia do Desafio é uma campanha mundial que começou em 1995 com o objetivo de incentivar a prática de atividades físicas em prol do bem-estar e da qualidade de vida, além de estimular a formação de redes entre diversos setores da sociedade no desenvolvimento de projetos permanentes de incentivo à prática física e esportiva.

O Sesc São Paulo promove diversas atividades gratuitas para movimentar o maior número de pessoas, em uma extensa programação em todas as Unidades da capital, interior e litoral.

Acompanhe mais notícias e a programação completa do Dia do Desafio no Sesc em São Paulo no Portal:

>>> Confira o resultado do sorteio das cidades do Dia do Desafio 2016

>>> Futebol de Rua: inclusão social por meio do esporte

>>> Dia do Desafio e atividade física na infância

>>> Vida Corrida: inclusão social por meio do esporte

>>> Dia do Desafio: Água e atividade física

Outras programações