Sesc SP

postado em 08/03/2016

A invenção da política cultural

Destaque 728x410 invencao3

Com lançamento marcado para 15/03 no Centro de Pesquisa e Formação Sesc São Paulo, livro de Philippe Urfalino apresenta trajetória e desdobramentos do Ministério da Cultura na França

 

A invenção da política cultural, do sociólogo e professor na Escola de Estudos Avançados em Ciências Sociais (EHESS), Philippe Urfalino, apresenta um estudo sobre a criação do Ministério da Cultura na França e o desenvolvimento de um repertório técnico para a administração da cultura no âmbito do Estado. Fazendo uso de uma extensa documentação histórica e, especialmente, por meio de entrevistas, Urfalino acompanhou o processo de afirmação do Ministério e a tentativa de consolidação da política cultural francesa. 

O livro relata a criação do Ministério da Cultura, com André Malraux em 1959 e a história do quadro normativo e conceitual deste órgão, referente ao mesmo período, a partir de sua construção até a formação de uma nova filosofia de ação sob o impulso de Jacques Duhamel, Ministro da Cultura de 1971 a 1973, até a gestão de Jack Lang, também Ministro da Cultura durante a gestão do presidente François Miterrand.

A primeira parte do livro apresenta a filosofia de ação da gestão Malraux, de 1959 a 1969, e as etapas que serviram à definição da política de implantação das Casas de Cultura e de sua exemplaridade. Para o autor, Malraux não só inaugurou o Ministério, mas desenvolveu o primeiro modelo de políticas culturais com grande repercussão nos países Ocidentais. A segunda parte mostra que o modelo de ação criado pelo Ministério, através das Casas de Cultura fundou-se sobre a excelência artística e sobre a exclusão das práticas e experiências culturais não reconhecidas pelo órgão. A terceira relata os dois pilares do funcionamento das Casas de Cultura: sua arquitetura e a autoridade dos homens de teatro que as dirigiram. Já a quarta parte tem como tema a desestabilização da filosofia de ação do Ministério pelos acontecimentos de maio de 1968 e sua reformulação pela equipe de Jacques Duhamel. A quinta e última parte examina a transformação nos referenciais definidores da arte e a diversificação de obras, espaços e públicos da política cultural, em 1981, sob o impulso de Jack Lang.

O autor se dedica a mostrar ao longo do livro que as políticas culturais são constituídas por projetos estéticos, ideológicos e reformadores que, muitas vezes, excluem outras formas de percepção da cultura e de compreensão dos contornos e do lugar da arte na experiência humana.

 

Serviços: 

o que:

Lançamento do livro A invenção da política cultural.
Palestra com o autor Philippe Urfalino e mediação de Isaura Botelho, gestora cultural e consultora do Sesc.

onde:

Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo | Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar – Bela Vista. São Paulo / SP

quando:

15 de março de 2016. Terça-feira, a partir das 19h30 

quanto:

Grátis

 

Veja também:

:: Trechos do livro

 

 

 

Produtos relacionados