Sesc SP

postado em 22/03/2018

Fala de bicho, fala de gente

fala-bicho-fala-gente-dest

Além dos estudos sobre a língua e a cultura do povo yudjá, mais conhecidos como juruna, livro traz as partituras e um CD com cantigas de ninar gravadas com as vozes das mulheres da tribo

 

Escrito pela linguista e musicista Cristina Martins Fargetti, com participação da compositora, cantora e pesquisadora da cultura indígena brasileira Marlui Miranda, o livro Fala de bicho, fala de gente é fruto de uma pesquisa inédita sobre o povo tupi da família juruna. Estudo a um só tempo específico e universal, a obra aborda as cantigas de ninar entre os juruna e trata desse gênero musical entre as comunidades indígenas, trazendo novas informações mesmo quando versa sobre as cantigas de origem europeia.

Também conhecidos como yudjá, os juruna são sobreviventes de um processo de genocídio que, na década de 1960, reduziu sua população a cerca de 50 pessoas. Hoje aproximadamente 500 indivíduos vivem no Parque Indígena do Xingu, em Mato Grosso. Ciosos da língua que conseguiram preservar, eles perceberam a necessidade de registrar e documentar sua música a partir de oficinas realizadas com Cristina, que desde 1989 realiza estudos linguísticos com essa etnia. Foram essas oficinas que deram origem à pesquisa e, posteriormente, à ideia do livro.

A obra foi dividida em três partes. A primeira retrata o povo juruna e suas particularidades, discute aspectos antropológicos e linguísticos e procura definir o que difere gente de bicho-gente, distinção importante para se compreender boa parte das cantigas. A segunda parte apresenta um breve estudo sobre o gênero cantigas de ninar e, mais especificamente, as características destas na cultura juruna. 49 cantigas recuperadas pela comunidade indígena e organizadas por Cristina foram transcritas em língua indígena e contam com uma proposta de sua interpretação. A segunda parte se encerra com um capítulo escrito por Marlui Miranda, também responsável pela transcrição das partituras de todas as cantigas compiladas na terceira parte.

O livro também traz um CD encartado com a gravação da versão original das cantigas cantadas pelas mulheres yudjá, o que permite uma melhor compreensão sonora das letras. Além de ser um estudo de interesse para áreas como musicologia, antropologia, linguística e educação, trata-se de um título igualmente acessível a qualquer entusiasta das questões indígenas. Em última análise, Fala de bicho, fala de gente contribui para a preservação da memória e da identidade dos diferentes grupos étnicos e sociais presentes em todo o Brasil.

 

Veja também:

:: CD Fala de bicho, fala de gente | Lançado pelo Selo Sesc, projeto é a recriação musical de 15 cantos da tradição juruna, adaptados e arranjados pela cantora e compositora Marlui Miranda e pelo músico Surman

:: vídeo

:: trecho do livro

 

 

*Serviços:

o que:

Lançamento do livro Fala de bicho, fala de gente

Bate-papo com Cristina Martins Fargetti, Marlui Miranda e Betty Mindlin seguido de sessão de autógrafos e pocket show com Marlui Miranda (voz e violões); Paulo Bellinati (violões); Rodolfo Stroeter (contrabaixo); Ricardo Mosca (bateria) e Caíto Marcondes (percussão), com repertório baseado no disco de Marlui Miranda lançado pelo Selo Sesc.

onde:

Sesc Ipiranga | Rua Bom Pastor, 822, Ipiranga, São Paulo / SP.

quando:

18 de abril de 2018 - quarta-feira, às 20h.

quanto:

Grátis.


:: @edicoessescsp | facebook, twitter, instagram, youtube

Galeria

Produtos relacionados