Sesc SP

postado em 04/12/2019

Desavergonhadamente

Cena da peça Um circo de rins fígados. Foto: Flávio Colker
Cena da peça Um circo de rins fígados. Foto: Flávio Colker

      


Livro Um circo de rins e fígados: o teatro de Gerald Thomas reúne a íntegra de 24 peças do dramaturgo e encenador cuja obra desnuda o sem sentido da condição humana

Por Gustavo Ranieri*

 

Gerald Thomas, 65, já declarou certa vez que seu verdadeiro papel como artista é o de se posicionar na vanguarda da sociedade, como um experimento. Se não fosse assim, exposto nu e vulnerável, seria “só um artesão com faniquitos”. A força dos seus textos teatrais e respectivas montagens são prova inquestionável disso. Quem o assiste sabe: está diante de trabalhos prontos a quebrar paradigmas, costumes e a provocar sensações diversas, incluindo o desconforto.

 

 

Para celebrar sua trajetória, iniciada em Nova York, no fim dos anos 1970, quando adentrou a metafísica da encenação com o grupo La MaMa E.T.C., acaba de sair do prelo o livro Um circo de rins e fígados: o teatro de Gerald Thomas, reunião de peças escritas e montadas pelo criador no Brasil e no exterior. Organizado por Adriana Maciel, foram selecionados 24 textos, acompanhados de suas respectivas críticas de época. Entre eles estão os de espetáculos como Eletra com creta, The Flash and Crash Days, Unglauber, Um circo de rins e fígados, Asfaltaram a terra e Dilúvio – esse último encenado no Teatro Sesc Anchieta no final de 2017.

 


The Flash and Crash Days. Foto: Lenise Pinheiro.

 

“Pensamos em uma crítica para cada peça e escolhemos as que tinham uma abordagem mais profunda e abrangente ou mais intimidade com o teatro de Gerald, como as do Haroldo de Campos, por exemplo. Algumas delas são realmente importantes no sentido de que alargam a percepção do público e levantam questões relevantes, inclusive para o autor”, ressalta Maciel, que também compôs a publicação com um ensaio do jornalista Dirceu Alves Jr. e outro da professora de teoria do teatro Flora Süssekind.

 


Trecho do livro

 

Apesar de Gerald Thomas ter iniciado no teatro mais proficuamente com o La MaMa E.T.C., sua história com essa arte começou muito antes, em 1969, quando o adolescente de 14 anos – filho de uma galesa e de um alemão, ambos refugiados de guerra, e nascido nos Estados Unidos em 1954 – ficou extasiado com a apresentação em São Paulo de O balcão, peça dirigida por Victor Garcia. Nos anos 1980 foi trabalhar em Paris com o cultuado dramaturgo Samuel Beckett, mesma época em que se tornou amigo de Julian Beck, fundador do Living Theatre, e do compositor americano Phillip Glass. E um pouco mais tarde fundaria, em Londres, a Dry Opera Company (Companhia Ópera Seca).

 


Samuel Beckett e Gerald Thomas em Paris, 1984. Foto: Acervo pesssoal de G.Thomas.

 

Diante dos 24 textos presentes em Um circo de rins e fígados: o teatro de Gerald Thomas – parte dos mais de 80 espetáculos que traz no currículo – fica visível que suas peças são elementos vivos, como se fizessem parte de um processo construtivo. E embora não seja possível apontar de forma objetiva os pontos que unem tais criações, Adriana Maciel destaca que, seguindo a ordem cronológica, “há alguns elementos cênicos que se repetem e tornam-se uma espécie de assinatura. Mas, para além disso, Gerald imprime em suas montagens um entrelaçamento crítico entre o real e o ficcional que se mantém constante, além de esgarçar o limite entre o humor e a tragédia”.

 


Unglauber. Foto: Lenise Pinehiro.

 

Outra boa razão para se dedicar a leitura dos textos de Gerald Thomas é ter a oportunidade de desvincular sua grandiosidade como dramaturgo e encenador da imagem pessoal provocativa – e não menos interessante – que, por vezes distorcida ou incompreendida, acaba por tirar o foco da sua arte. “A vida é o espaço cênico de Gerald. Com intensidade, seu teatro quebrou padrões e ainda quebra, desconcerta o bom gosto e o senso comum. Gerald provoca, sempre. Sua inteligência arguta, junto à imensa diversidade de experiências às quais se joga, reais e ficcionais, fazem com que sua produção cênica, textual, musical e visual rasguem a superfície cotidiana e explicitem o desavergonhadamente humano”, conclui Maciel.

*Gustavo Ranieri é jornalista e escritor.

 

*Serviço:

o que:

Lançamento do livro Um circo de rins e fígados: o teatro de Gerald Thomas

Bate-papo com Gerald Thomas e Dirceu Alves Jr., seguido de leituras de textos e sessão de autógrafos. Participação de Bete Coelho, Edi Botelho, Fabiana Gugli e Ney Latorraca. 

onde:

Sesc Avenida Paulista | Av. Paulista, 119 - Bela Vista, São Paulo - SP

quando:

11 de dezembro de 2019 - quarta-feira, 20h

quanto:

Grátis. Vagas limitadas. Retirada de ingressos 1h antes, no térreo.

o que:

Lançamento do livro Um circo de rins e fígados: o teatro de Gerald Thomas

Bate-papo com Gerald Thomas e Luis Felipe Reis – jornalista, curador e dramaturgo, seguido de sessão de autógrafos. 

onde:

Casarão Sesc Flamengo | Rua Marques de Abrantes, 99, 1º andar - Flamengo - Rio de Janeiro - RJ

quando:

12 de dezembro de 2019 - quinta-feira, 19h

quanto:

Grátis. 

 

Produtos relacionados