Sesc SP

postado em 13/07/2017

No Mundo dos Sons - Hermeto Pascoal & Grupo

Esq. para dir: Fabio Pascoal, André Marques, Ajurinã Zwarg, Hermeto Pascoal, Itiberê Zwarg e Jota P.
Esq. para dir: Fabio Pascoal, André Marques, Ajurinã Zwarg, Hermeto Pascoal, Itiberê Zwarg e Jota P.

Depois de 15 anos, Hermeto Pascoal volta ao estúdio com seus parceiros e nos presenteia com o álbum duplo, No Mundo dos Sons! O disco chega primeiro no streaming e você já pode conferir no serviço que preferir! A turnê de lançamento do disco vai passar pelo interior no festival Jazz & Blues (9/8, Jundiaí; 10/8, Piracicaba; 16/8, Taubaté; 18/8, Sorocaba; 19/8, Bauru; e 23/8, Presidente Prudente) e também pela capital, no Jazz na Fábrica, 12 e 13/8! Por enquanto, o texto de Luiz Chagas apresentando o disco - segura!

 

capa_hermeto

Encarte do disco "No Mundo dos Sons" de Hermeto Pascoal & Grupo


Há 15 anos Hermeto Pascoal não lançava um disco com seus amigos, aqueles próximos mesmo, que vivem à sua volta fazendo música de manhã à noite. Para sanar essa tremenda falta em nossas vidas o Selo Sesc apresenta o álbum No Mundo dos Sons (2 CDs) com Hermeto Pascoal & Grupo. Nesse período o músico fez inúmeras apresentações com o seu grupo no Brasil e no exterior, colaborou com músicos de universidades estrangeiras, participou de gravações e manteve a agenda aberta para as mais variadas formações, de solo à big band.


No mundo dos sons retoma a conversa entre Hermeto e seus músicos, interrompida em Mundo verde esperança, de 2002. Eram eles, o baixista Itiberê Zwarg, no grupo desde 1977, e o pianista André Marques, filho do célebre guitarrista Natan Marques. O baterista Márcio Bahia cedeu seu lugar para Ajurinã, filho de Itiberê, e o mestre dos sopros Vinícius Dorin, que nos deixou no ano passado, teve seu lugar assumido por Jota P., igualmente um prodígio. Para completar, Hermeto chamou seu filho Fabio para a farra da percussão.

 

 


E a festa está completa. Responsável pela direção musical, composições e arranjos, pilotando com maestria desde apitos, escaletas e berrantes a teclados, chaleiras, colheres e pianos preparados, Hermeto está no auge da criatividade e quer dividir isso com o mundo.


Começa homenageando São Paulo e não se esquece de ninguém, do amigo Dorin ao parceiro Sivuca, Miles Davis, Ron Carter e Chick Corea, que ele chama de “Chiquinho Corrêia”, de Tom Jobim, com direito a um solo máster de Itiberê, a Piazzolla, citando trechos de Adios Nonino. O disco se encerra com a tocante Rafael Amor Eterno dedicada ao bisneto de Hermeto e neto de Fabio.


Hermeto é chamado de “Campeão” ou “o Bruxo”, mas poucos sabem que seu apelido de família já era “Senhor”, ou seja, emanava algo de superior daquele menino. Parece clichê mas, diante da imaginatividade das músicas e do frescor dos arranjos, é impossível não pensarmos que “Hermeto é um dos maiores músicos do mundo”.


E estaremos repetindo declarações de Miles Davis e Gil Evans.

 

Luiz Chagas, jornalista.

 

Produtos relacionados