Sesc SP

postado em 04/04/2018

Alexandre Basa - Black Bossa

BLACK BOSSA BASA

Professor, produtor e multi-instrumentista, Alexandre Basa tem uma carreira bastante frutífera na música. Com músicos na família, desde pequeno se viu envolvido neste ambiente de estúdio e de lá para cá vem alçando voos novos, principalmente na produção musical. Agora, ele lança pelo Selo Sesc duas faixas de seu primeiro projeto, BLACK BOSSA que pode ganhar um disco com novas faixas.

Os singles que chegam ao público via plataformas digitais são April Child (Maracatu, Nação do Amor), obra do pernambucano Moacir Santos, tido como um dos principais compositores e arranjadores do Brasil e Cidade Vazia, do grande violonista carioca Baden Powell, que inclusive foi aluno de Santos. Ambos são referências para muitos músicos brasileiros e não poderia ser diferente com Basa, que os define como “entidades” da nossa cultura. A proposta do projeto é revisitar clássicos da Bossa Nova com uma releitura a partir de ritmos da Black Music, como o Groove e o Funk.

“É uma entrega de coração para a própria música, para a cultura do meu país e para a história da música mundial, que deve ser cuidada como uma pedra preciosa. Com esse trabalho terei a oportunidade de falar sobre os valores da educação musical e sua importância na formação do ser humano, na lapidação da alma e também como veículo de superação pessoal”, diz Basa, que também dedica o projeto à família, em retribuição à dedicação e ao investimento em sua formação.

 

 

O álbum tem três grandes participações. Uma delas é a baterista Lilian Carmona, de quem Basa é sobrinho e que teve grande influência na sua infância. Outros convidados são o pianista Michel Freidenson e o trombonista Raul de Souza.

Alexandre Basa já integrou importantes projetos da cena musical do Brasil e exterior. Dentre suas atuações, estão a produção do disco Babylon By Gus volume 1, de 2004, do rapper Black Alien, além de co-produzir e realizar três turnês na Europa com o grupo Turbo Trio, do cantor BNegão. Basa ainda trabalhou durante quatro anos com a banda Instituto, da qual participava o rapper Sabotage e, na Holanda, produziu e lançou o grupo de rap Wallbangaz, pelo selo Earth Like Music. Também fez turnês com Otto e shows com Planet Hemp e Nação Zumbi.