Sesc SP

Esta atividade faz parte da

Festival Sesc de Música de Câmara 2016 - Em sua segunda edição, o festival apresenta um repertório que vai do mundo antigo ao contemporâneo em abordagens inovadoras saiba mais

Pera-Ensemble foto-divulgacao-(2)
Narração: Carla Candiotto (Les Plat du Jour)

Você gosta de café? Provavelmente ainda não, certo? Mas aposto que tem um tio, avó ou pais que gostam muito. Pois é, o café hoje é conhecido e tomado no mundo todo, mas nem sempre foi assim. Ele já foi muito raro e muito precioso. Foi descoberto há cerca de mil anos num lugar chamado Kaffa, uma região que hoje faz parte da Etiópia. O nome “café” deve ter vindo de lá. E há uns quinhentos anos ele foi levado da Etiópia para a Arábia e depois para a Pérsia e o extinto Império Otomano, que hoje é a Turquia. Naquela época, quase ninguém na Europa conhecia o café – quase, pois havia uma exceção. Hoje vamos descobrir como o café foi parar na Alemanha, muito antes dele chegar aqui no Brasil e passar a ser amado por muita gente também.

Vamos descobrir uma série de outras coisas. Por exemplo, como era a música que se tocava na Europa antigamente, no século 17? Era um tipo de música conhecida como “Barroca”: esse período foi muito importante pois nele surgiram as bases da música que ouvimos até hoje. Nessa época, havia alguns instrumentos musicais bem diferentes como a teorba, a viola da gamba, o violino e a percussão barrocos; isso sem falar nos instrumentos que eram usados em outras partes do mundo, no Oriente, e que tinham nomes estranhos como  oud e qanun. Mas não se preocupe porque você vai conhecer todos eles hoje. Isso porque vamos acompanhar a história de como o café se espalhou pela Europa a partir de um reino governado por Teodoro I.

Numa ocasião, o rei ganhou sacas de café de um sultão da Constantinopla e se apaixonou pela bebida. Depois de alguns meses, quando o café acabou, Teodoro ficou furioso, e nem mesmo os músicos da corte conseguiram distraí-lo. Para agradar o monarca, os músicos decidem ir pessoalmente a Constantinopla  para conseguir novos grãos da bebida. A partir daí, uma grande aventura se inicia... Agora não dá pra contar mais nada pra não estragar a surpresa. Vamos aguardar, pois o espetáculo já vai começar!

PROGRAMA

Café para o Rei

Andrea Falconieri (1585-1656)

Corriente (01:48)

La suave melodia (03:44)


Antonio Cesti (1623-1669)

Ballo d'Eunuchi (01:27)

Improvisação ao violino (01:00)


Autor anônimo

Ciaccona paradiso (02:06)


Lorenzo Allegri (1567-1648)

Canario (02:16)


Autor anônimo

Semai (peça turca) (02:11)

Rehavi Semai (02:00)


Antonio Vivaldi (1678-1741)

Largo do Concerto Inverno (As quatro estações) (02:15)

INTEGRANTES
 
Daniel Zapico, teorba e guitarra barroca
Mehmet Yesilcay, oud/colascione
Serkan Mesut Halili, kanun
Volkan Yilmaz, ney
Yahya Geylan, cantor
Ozan Pars, percussão
Sarah Perl, viola da gamba
Dmitry Lepekhov, violino
Maria Kaluzhskikh, violino
Massimiliano Toni, cravo
Yaman Hadi, percussão
Francesca Lombardi Mazzulli, soprano
Hasan Esen, kemence/viola d'amore

Participação especial: Carla Candiotto (narração)

Teatro

(Foto: Divulgação)

 

saiba mais

Música

Pera Ensemble (ALE/TUR) para crianças Café Para o Rei L

Essa atividade aconteceu em 27/11/2016 no Sesc Vila Mariana.

Mas nossa programação não para!
Quer fazer uma nova busca?
Clique em Programação e fique por dentro de tudo o que está acontecendo nas Unidades do Sesc em São Paulo