Sesc SP

Esta atividade faz parte da

Festival Sesc de Música de Câmara 2016 - Em sua segunda edição, o festival apresenta um repertório que vai do mundo antigo ao contemporâneo em abordagens inovadoras saiba mais

Trio-Apaches Foto-Patrick-Allen-(1)
Tendo como alicerce uma grande camaradagem entre três colegas que trabalharam juntos em várias ocasiões, o Trio Apaches remete, desde sua origem, ao prazer e à amizade envolvidos na prática de música de câmara. Integrado por Matthew Trusler (violino), Thomas Carroll (violoncelo) e Ashley Wass (piano), o grupo formou-se oficialmente em 2012, quando os músicos se encontraram mais uma vez, durante o Festival Internacional de Música de Câmara de Lincolnshire. O trabalho foi tão produtivo que resolveram formalizar a parceria.

Em comum, esses experientes e respeitados solistas do Reino Unido tinham o desejo de centrar-se em projetos inovadores e em colaborações de gênero híbrido, assim como apresentar obras consagradas do repertório para trio com piano em contextos inusitados. O primeiro disco foi lançado em 2014 pelo selo Orchid Classics e concretizou a intenção de criar projetos fora do universo tradicional, com uma versão recentemente transcrita pela compositora Sally Beamish (1956) de La Mer, de Debussy, além de peças originais da própria Beamish. O Trio Apaches rapidamente se destacou na cena internacional por sua alegria no fazer musical e pela natureza inovadora de seus programas. Seu nome remete a um um grupo de artistas que vivia em Paris por volta de 1900. Os “Apaches” daquela época, considerados inovadores e controversos, incluíam os compositores Ravel, Stravinsky e Manuel de Falla, bem como pintores, poetas e críticos de música.

PROGRAMA


Magnus Lindberg (1958)

Trio com Piano (2008 / ca. 20’)

Ljud Stort, Ljud (Soe Grande, Som)

Som det Stilla vi Söker (Como a Tranquilidade que Buscamos)

Sla Vag, Sla (Quebre Onda, Quebre)


Arno Babajanian (1921-1983)

Trio com Piano em fá sustenido menor (1952/ca. 25’)

Largo. Allegro Espressivo

Andante

Allegro vivace


Claude Debussy  (1862-1918) / transcrição para trio de Sally Beamish (1956)

La Mer (O Mar) (1905/ca. 24’)

De l'Aube à Midi sur la Mer (Da Alvorada ao Meio-dia no Mar)

Jeux de Vagues (Jogo das Ondas)

Dialogue du Vent et de la Mer (Diálogo do Vento com o Mar)


SOBRE O PROGRAMA

O programa do Trio Apaches é formado por obras fincadas na tradição do século XX e que dialogam com o início música moderna. Nascido em 1958 em Helsinki, na Finlândia, Magnus Lindberg é um dos mais destacados compositores da atualidade e possui uma extensa produção, na qual se sobressaem grandes obras orquestrais e uma variedade de peças de câmara. Seu Trio é uma obra de 2008 originalmente escrita para clarinete, violoncelo e piano. A versão apresentada, para violino, violoncelo e piano, foi feita pelo próprio compositor entre 2012 e 2013. Lindberg em várias ocasiões já se manifestou sobre a influência da obra de Debussy em sua própria produção, que nesta peça pode ser observada já nos subtítulos.

Admirado por Shostakovich como pianista e professor, o compositor armênio Arno Babajanian era ativo na maioria dos gêneros e escreveu inclusive canções populares, em colaboração com poetas como Yevgeny Yevtushenko e Robert Rozhdestvensky. Sua música é fortemente influenciada pelo folclore armênio, ao mesmo tempo em que seu estilo composicional se aproxima de Rachmaninov, Khachaturian e até mesmo Prokofiev e Bartók. Seu Trio com Piano em fá sustenido menor é considerado uma de suas obras mais importantes. Raramente ouvida por aqui e mesmo em palcos do exterior, é uma peça densa nas quais se nota tanto a influência do legado romântico quanto de autores como Debussy e Ravel.

Fazer um arranjo de La mer para trio com piano foi um dos maiores desafios da minha carreira”, afirmou Sally Beamish, que fez a transcrição a pedido do Trio Apaches. Ao invés de reproduzir nota a nota a obra de Debussy, ela preferiu reinventar a peça, tendo em mente seu novo meio – o trio com piano. Certamente não deve ter sido fácil transcrever La mer, peça orquestral composta em 1905 e uma das obras-primas do início da música moderna. A música de Debussy, assim como a de Ravel, é intrinsecamente ligada ao meio, ao timbre para o qual ela foi concebida. Por tudo isso, trata-se de uma audição mais do que especial.

INTEGRANTES

Matthew Trusler, violino
Thomas Carroll, violoncelo
Ashley Wass, piano

Limitado a quatro ingressos por pessoa.

Teatro

(Foto: Patrick Alen)
 

saiba mais

Música

Trio Apaches (GBR) 12

Essa atividade aconteceu em 25/11/2016 no Sesc Vila Mariana.

Mas nossa programação não para!
Quer fazer uma nova busca?
Clique em Programação e fique por dentro de tudo o que está acontecendo nas Unidades do Sesc em São Paulo