Sesc SP

Esta atividade faz parte da

Festival Sesc de Música de Câmara 2016 - Em sua segunda edição, o festival apresenta um repertório que vai do mundo antigo ao contemporâneo em abordagens inovadoras saiba mais

GIS MORE
O Duo GisBranco é formado por duas pianistas, compositoras e cantoras que trazem em sua trajetória uma afinidade musical rara. Com um repertório único para dois pianos, Bianca Gismonti e Claudia Castelo Branco desenvolvem um trabalho no qual exploram ao máximo a sonoridade do instrumento. Ao longo de uma década de carreira, lançaram os CDs “Gisbranco”(2008) e “Flor de Abril” (2011), e se preparam para lançar ainda em 2016 um DVD comemorando os dez anos de carreira e o CD “Pássaros”. Ao longo desse tempo já se apresentaram em importantes espaços como Concertgebouw de Amsterdã, o Festival de Jazz de St. Moritz (Suíça), o Duc des Lombards em Paris e o Teatro São Luiz de Lisboa. No Brasil, o Duo Gisbranco já marcou presença na Sala Cecília Meireles, Auditpório Ibirapuera e no MIMO – Mostra Internacional de Musica de Olinda, entre outros. Nos concertos que fazem no Festival Sesc de Música de Câmara, as pianistas contam com a presença de Jaques Morelenbaum. Um dos grandes músicos brasileiros da atualidade, Morelenbaum é violoncelista, arranjador, maestro, produtor musical e compositor. Foi parceiro de Tom Jobim na Nova Banda e na década de 1990 integrou o Quarteto Jobim Morelenbaum. Como arranjador, colaborou com trabalhos de artistas nacionais e internacionais, tais como o grupo Madredeus. Morelenbaum ainda atuou como maestro convidado de orquestras sinfônicas da Bahia (OSBA), do Rio de Janeiro (Petrobrás Sinfônica), de São Paulo (Sinfonia Cultura) e de Brasília (Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional). 

Duração: 60 minutos (sem intervalo).

PROGRAMA

Heitor Villa-Lobos (1887-1959)

Bachianas Brasileiras n.4 (1930-1941 / ca. 15’)

Prelúdio

Coral

Ária

Miudinho

Egberto Gismonti (1947)

Maracatu (ca. 5’37”)

Heitor Villa-Lobos

Choros n.5 – Alma Brasileira (1925 / ca. 5’)

 Egberto Gismonti

Forrobodó (ca. 5’43”)

A Fala da Paixão (ca. 5’)

O Sol que move o céu e as estrelas (ca. 5’30”)

Sete Anéis (ca. 6’)

Heitor Villa-Lobos

Ária, das Bachianas Brasileiras n.5 (1938-1945 / ca. 5’)

Bianca Gismonti (1982)

Festa no Carmo (2010 / ca. 5’)

Arranjos de: Gisbranco, Jaques Morelenbaum e Egberto Gismonti
 
Sobre o programa:
Heitor Villa-Lobos é considerado o maior compositor brasileiro de todos os tempos. O genial músico carioca é, em certo sentido, o “inventor” de uma música clássica reconhecida como brasileira dentro e fora do país. Villa teve pouco estudo formal e, em oposição, uma larga experiência como músico prático, seja tocando violoncelo em pequenas orquestras, companhias teatrais ou ainda nas muitas noitadas ao violão com os chorões cariocas. Muito de sua produção, aliás, inspira-se em fontes populares urbanas do Rio de Janeiro e de outras partes do Brasil. Pois se Villa-Lobos bebeu em fontes populares e se tornou o maior compositor clássico brasileiro, alguns de nossos maiores compositores populares têm nele grande fonte de inspiração. É o caso de Antônio Carlos Jobim ou ainda de Egberto Gismonti, homenageado nesse programa ao lado de Villa. Multi-instrumentista, arranjador e compositor, Gismonti nasceu em Carmo, pequena cidade do interior do Rio de Janeiro. A despeito do talento nato, sua formação é ampla e inclui estudos formais em conservatório, uma temporada com os índios no Xingu e aprimoramento com eminentes nomes da música francesa – Jean Barraqué e Nadia Boulanger. 
O concerto alterna a música desses dois mestres, começando com as Bachianas Brasileiras n.4. De Villa-Lobos, o programa ainda traz outras duas peças bastante conhecidas: o Choros n. 5 – Alma brasileira e ária das Bachianas Brasileiras n.5. De Egberto Gismonti é executada primeiramente Maracatu, peça original para piano na qual o compositor recria a variedade e riqueza rítmica de um gênero popular brasileiro. Depois, na sequência, Forrobodó, A Fala da Paixão, O Sol que move o céu e as estrelas e Sete Anéis. Uma peça de autoria de sua filha, Bianca Gismonti, encerra a apresentação, como uma homenagem a este grande artista: Festa no Carmo, segundo Bianca, é como se a família toda celebrasse a música na cidade.

Duração: 60 minutos (sem intervalo)

Duo Gisbranco - integrantes
Claudia Castelo Branco, piano
Bianca Gismonti, piano
Convidado especial:
Jaques Morelenbaum, violoncelo

Autidório. 126 lugares. 

(Foto: Aurelio Oliosi / Divulgação) 

saiba mais

Música

Duo Gisbranco E Jaques Morelembaum (BRA) 14

Essa atividade aconteceu em 26/11/2016 no Sesc São José dos Campos.

Mas nossa programação não para!
Quer fazer uma nova busca?
Clique em Programação e fique por dentro de tudo o que está acontecendo nas Unidades do Sesc em São Paulo