Sesc SP

roupas

O curso tem como objetivo puxar a linha da memória a fim de descobrirmos questões que abraçam o universo das várias estéticas negras que moram no Brasil, voltando o olhar para um passado que não foi legitimado e que ecoa em um presente ainda por ser descoberto.


Fios condutores da oficina

De onde viemos e quem são os nossos mais velhos
Pesquisar, contar e se perguntar: quem são as pessoas que vieram antes de nós? Sabemos da história de nossa família? Lembrança de roupas e objetos de família. Pensar nas avós costureiras e bordadeiras, nas memórias afetivas das roupas de nossas mães, tias e avós. Uma reverência e busca pela história e memória de nossos mais velhos. 

As linhas antigas – as nossas estéticas vêm de longe
Pensamentos sobre como as estéticas, adornos e jeitos de se vestir africanos permaneceram através de nós, mesmo com o histórico de escravidão e tentativas de apagamento de memórias. 

Uma beleza política – como usamos dos adornos e roupas para contestar uma realidade e contar uma outra nossa história
Tentativas de combate ao racismo através da beleza: a retomada do turbante, as tranças, os afro-empreendedores e os tecidos africanos que servem como tentativa de resgate de uma estética africana que se mantém no nosso imaginário.

Hanayrá Negreiros
Metade paulista e metade maranhense, Hanayrá é formada em Moda e mestranda em Ciência da Religião pela PUC-SP, onde atualmente desenvolve pesquisa sobre os processos identitários e a importância da indumentária para um terreiro de candomblé angola paulista. Também organiza os projetos Mulheres da Família, onde resgata a memória de algumas mulheres mais velhas de sua família e o Mulheres Banto: estéticas africanas em terras paulistas, uma cartografia de mulheres angolanas imigrantes no Brasil e suas estéticas. É co-coordenadora de projetos do AfroTranscendence, um programa de imersão em processos criativos, com foco na cultura afro-brasileira contemporânea e foi colaboradora de pesquisa e produção no Brasis, uma rede de pesquisadores que juntos pesquisam cultura e cotidianos do país. 

Local: Oficina 3 / 1º pavimento.

[Foto: Hanayrá Negreiros] 
Tecnologias e Artes

Estéticas afro-brasileiras: como contamos nossas histórias através da vestimenta com Hanayrá Negreiros 16

Essa atividade aconteceu de 12/01/2017 a 02/02/2017
no Sesc Belenzinho.

Mas nossa programação não para!
Quer fazer uma nova busca?
Clique em Programação e fique por dentro de tudo o que está acontecendo nas Unidades do Sesc em São Paulo