Sesc SP

Esta atividade faz parte da

No Braço Dessa Viola - Sonoridades e contextos da viola caipira atualmente, seja por trabalhos consagrados do mercado fonográfico ou trabalhos independentes. saiba mais

Orquestra%20Paulistana%20de%20Viola%20Caipira_foto%.jpg

Fundada em 1997, a Orquestra Paulistana de Viola Caipira (OPVC) é um grupo musical que executa um único instrumento, a viola caipira de dez cordas, porém em formação orquestral (dividida em naipes distintos de atuação). Essa formação permite que a OPVC explore um repertório eclético: da tradicional música caipira de raiz, berço do instrumento, à incursões inusitadas e originais na música erudita e MPB, sejam estas cantadas ou instrumentais.

As apresentações da OPVC no projeto No Braço Dessa Viola contam com a regência do maestro Rui Torneze e as participações de As Galvão (23/2), Irmãs Barbosa (dia 24/2) e Maria Gadú (dia 25/2).

Com mais de 70 anos de carreira e 300 músicas gravadas, As Galvão são uma dupla forma pelas irmãs Mary e Marilene Galvão. Aos 7 e 5 anos de idade já estavam cantando em programas de rádio de todo o país. Quando tinham 14 e 12 anos, lançaram o primeiro disco, que lhes rendeu o primeiro sucesso: “Carinha de Anjo”.Atualmente, somam mais de 300 músicas gravadas e recentemente foram homenageadas com o “Memorial Irmãs Galvão”, em Paraguaçu Paulista/SP. Suas belas vozes ultrapassaram fronteiras, sendo tocadas em Portugal, no Canadá, na Suíça e no Japão.

As Irmãs Barbosa formam outra dupla de referência para o sertanejo. Desde cedo, o talento das filhas teve o reconhecimento de seu Osvaldo Barbosa, clarinetista e sanfoneiro, que deu a orientação vocal: Edna faria a segunda voz e Dinah, a primeira. Nascidas em São Paulo, Edna e Dinah levantaram, a seguir, vários prêmios em festivais de música sertaneja. Um deles, decisivo na carreira, foi o Festival Arizona, da Rádio Globo na década de 1980. Em 2016 lançaram o seu mais recente trabalho, intitulado "Morena Bonita", com regravações de clássicos do gênero.

Maria Gadú é cantora paulistana e aqui se apresenta ao lado do maestro Rui Torneze, da Orquestra Paulistana de Viola Caipira e que foi um dos seus professores de música. A artista começou cedo na música, fez aulas de violão e, desde os 13 anos, começou a fazer shows em bares e festas de família. Mudou-se para o Rio de Janeiro no início de 2008, quando começou a tocar em bares da Barra da Tijuca e da Zona Sul. Sua carreira passou a ter ascensão ao despertar atenção de famosos ligados ao meio musical, como Caetano Veloso, Milton Nascimento, João Donato, dentre outros.

Limitado a quatro ingressos por pessoa.

Local: Teatro

(Foto: Divulgação)

>> Ouça e siga a playlist instrumental Chora Viola: Spotify | Deezer

>> Leia a Zumbido, publicação digital do Selo Sesc que, em sua segunda edição, aborda o gênero musical que mais vende no Brasil, o sertanejo.


 

Música

Orquestra Paulistana de Viola Caipira Participações: As Galvão (Dia 23/2), Irmãs Barbosa (Dia 24/2) e Maria Gadú (Dia 25/2) 12

Essa atividade aconteceu em 25/02/2018 no Sesc Vila Mariana.

Mas nossa programação não para!
Quer fazer uma nova busca?
Clique em Programação e fique por dentro de tudo o que está acontecendo nas Unidades do Sesc em São Paulo