Sesc SP

alfarrabio1200x488

Neste espetáculo, duas obras icônicas da literatura brasileira Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa, e Morangos Mofados, de Caio Fernando Abreu, são apresentadas em diálogo por meio da canção: esse é o mote do projeto Alfarrábio Sonoro, do Sesc Vila Mariana.

A narrativa das interpretações consiste na leitura de fragmentos das obras e na importância das palavras na apresentação de canções inspiradoras ou inspiradas posteriormente no trabalho de cada autor; na presença dos corpos e nas vozes dos artistas convidados, e na representação dos sentimentos presentes nos escritos.

O espetáculo apresenta, primeiramente, as principais características de cada obra, introduzindo o público no universo imagético de cada autor, enfatizando as diferenças de linguagens. Em seguida, evolui para o diálogo entre as canções e os textos, e, por fim, reúne os dois trabalhos literários numa única mensagem inspirada na essência do ser humano.

O show-recital será desenvolvido redesenhando o formato dos antigos desafios poéticos, e receberá dois intérpretes para cada livro escolhido. Assim como um alfarrábio, nome dado para um livro ou um conjunto de livros antigos, esse espetáculo propõe um encontro entre o clássico e o atual por meio de paisagens sonoras.

O cenário, iluminação, figurino e arranjos musicais acompanham a diferença entre as duas obras que dialogam e se cruzam no decorrer da apresentação. A escolha de dois textos literários antagônicos e a intersecção entre os mesmos ocorre de forma atemporal.

Sempre surgem referências que remetem ao bem e ao mal, a deus e ao diabo, ao amor e ao ódio. A escolha do repertório inclui canções criadas exclusivamente para o espetáculo, além das já existentes trazidas durante o processo de criação.

Repertório do espetáculo

1) Flora
(Climério / Dominguinhos / Ednardo)
Sobre o amor misterioso, avassalador e secreto que floresceu no sertão, cenário do da obra “Grande Sertão: Veredas”, entre as personagens Riobaldo e Diadorim.

2) Mares da Espanha
(Angela Ro Ro)
Música citada por Caio Fernando Abreu como trilha sonora para leitura do conto “Os Sobreviventes”, do livro “Morangos Mofados”.

3) Que queres tu de mim?
(Evaldo Gouveia / Jair Amorim)
Música cantada pela personagem Isadora no conto “Sargento Garcia”, do livro “Morangos Mofados”.

4) A rã
(João Donato / Caetano Veloso)
Sobre as experiências linguísticas de Guimarães Rosa, através do som das palavras dos personagens, plantas e bichos, presentes nas Veredas percorridas pela obra.

5) Désespoir agréable
(Erik Satie)
Música citada por Caio Fernando Abreu como trilha sonora para leitura do conto “Pela passagem de uma grande dor”, do livro “Morangos Mofados”, e presente nos diálogos do conto.

6) Canto XX – Ilíada – Trilha original
(Homero na tradução de Manuel Odorico Mendes)
Sobre o passado mítico na construção da obra “Grande Sertão: Veredas”. Através das vendetas, o protagonista incorpora mitos das histórias das civilizações.

7) Tu me acostumbraste
(Frank Domínguez)
Música cantada e tocada pelo personagem Raul no conto “Aqueles Dois”, do livro “Morangos Mofados”.

8) Sangue de Bairro
(Chico Science/ Ortinho)
Sobre as batalhas em “Grande Sertão” travadas entre os grupos de jagunços na busca do traidor Hermógenes, assassino de Joca Ramiro e encarnação do demônio.


9) “Terça-feira Gorda” – Trilha original
Paisagem sonora composta com fragmentos do conto “Terça-feira Gorda”, do livro “Morangos Mofados”.

10) Terceira margem do Rio
(Caetano Veloso / Milton Nascimento)
Música composta em homenagem ao autor Guimarães Rosa inspirada no conto “Terceira margem do Rio”.


11) Strawberry Fields Forever
(John Lennon / Paul McCartney)
Referência e inspiração para criação da obra “Morangos Mofados”, a primeira estrofe da música esta presente no subtítulo da terceira parte do livro.

12) Tua boca
(Itamar Assumpção)
Alusão ao encontro entre as diferentes linguagens dos dois autores João Guimarães Rosa e Caio Fernando Abreu.


13) Redemoinho – Trilha original
Paisagem sonora composta com os diferentes nomes que representam o diabo, todos citados pelo autor no decorrer da obra “Grande Sertão: Veredas”.

14) Dedo de Deus
(Arrigo Barnabé / Mário Manga)
Referência ao processo de construção das duas obras onde os autores levantam a presença do conflito entre deus e o diabo na realização criativa.

15) O Chamado
(Marina Lima / Giovanni Bizzotto)
Música citada pela amiga pessoal do autor, Marina Lima, como uma das preferidas de Caio Fernando Abreu.


Ficha Técnica
Pesquisa e Concepção: Sesc Vila Mariana (Núcleo de Artes Performáticas), José Paes de Lira, Priscila Melo e  Isadora Gallas
Direção Geral: José Paes de Lira
Assistente de Direção: Mariah Teixeira
Direção de Produção: Priscila Melo
Direção de arte: Isadora Gallas
Intérpretes: Ava Rocha, Anelis Assumpção, Letícia Sabatella e José Paes de Lira
Cenário: Serpentes, de Kleber Matheus
Produção: Patricia Mortari
Assistente de Arte: Luiz Parisi
Banda: Michelle Abu, Lelena Anhaia, Paulo Braga, Juliano Holanda e Thomas Harres
Iluminação: Jathyles Miranda
Técnico de PA: Gustavo Potumati
Técnico de Monitor: Canrobert Marques
Roadies: Paulo Sergio Sangiorgio Junior, Rodolfo Duarte e Felipe Ribeiro

Agradecimentos à viúva do autor João Guimarães Rosa a quem a obra foi dedicada, Aracy Moebius de Carvalho Guimarães Rosa, à Nonada Cultural Ltda. Copyright Nonada Cultural Ltda.

Local: Teatro

Limitado a 4 ingressos por pessoa.

(Foto: Divulgação)

Música

Alfarrábio Sonoro - Grande Sertão Veredas & Morangos Mofados Com Letícia Sabatella, Anelis Assumpção, Ava Rocha & Lirinha 12

Essa atividade aconteceu em 17/06/2018 no Sesc Vila Mariana.

Mas nossa programação não para!
Quer fazer uma nova busca?
Clique em Programação e fique por dentro de tudo o que está acontecendo nas Unidades do Sesc em São Paulo