Sesc SP

Esta atividade faz parte da

Refúgios Musicais - Apresentações músicos e artistas refugiados e imigrantes, que se instalaram no Brasil e aqui desenvolvem seu trabalho e sua arte. saiba mais

vozes

Refugiados da guerra civil que assolou seu país por mais de três décadas, jovens angolanos com deficiência visual, vieram ao Brasil em busca de melhores condições de vida e, em 2015, depois de uma forte campanha junto à mídia, conseguiram visto permanente. Hoje, jovens adultos, contam e cantam suas histórias de vida e motivam aos presentes com seu talento.
No repertório eclético, costumam apresentar cantigas folclóricas em dialeto africano, música popular brasileira, gospel e composições autorais, cantadas à capela ou com o acompanhamento de teclado, violão e percussão.
Suas inspirações vem de nomes como Salif Keita, Brenda Fassie, Papa Wemba, Awilo Longomba, Elias Diá Kimuezo, Coral Jovem da África do Sul, Black Company, Michael Jackson, Milton Nascimento, Tim Maia, Roupa Nova, entre outros.

Ficha Tecnica
Amarilis Américo (Delfina) - mezzo soprano
Isabella D' Leon - soprano
Jacob Cachinga - baixo e tecladista
Mila Cussama (Emília) - mezzo soprano
Manuela Reis (Rosa) - mezzo soprano
Prudêncio Jefferson - barítono
Rui Kelson.- tenor
Viviane Kubo:  regente e preparadora
Marcia Machado: produtora

[Foto: Divulgação]

saiba mais

Música

Vozes de Angola Coral de jovens deficientes visuais, todos imigrantes da Guerra Civil Angolana. 10

Essa atividade aconteceu em 06/12/2018 no Sesc Belenzinho.

Mas nossa programação não para!
Quer fazer uma nova busca?
Clique em Programação e fique por dentro de tudo o que está acontecendo nas Unidades do Sesc em São Paulo