Sesc SP

Esta atividade faz parte da

Mediações - Promove encontros sobre a temática das ações em torno da leitura. saiba mais

ninho cantante - larissa rocha

Entre caixinhas de música e apitos de pássaros, Ninho Cantante nasce de uma necessidade inventada de trançar espaço de aconchego em itinerância para pousos e nutrição de encontros poéticos, lúdicos e afetivos. Inspirada na poética das miudezas de Manoel de Barros, a instalação evoca a importância do singelo, da receptividade atenta no olhar e na escuta, propondo um retorno à era da “invencionática”, convidando pássaros adultos e crianças a adentrarem um ninho em tamanho de gente grande para alçar vôos extra-cotidianos.

A instalação foi Idealizada pela artista Camila de Sá.

Ninho Cantante: Andrea Lopes,Camila de Sá e Lucas Lopes

Camila de Sá é artista-criadora de multilinguagens, compositora e preparadora musical. Graduada em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo, estudante de Artes Visuais na UNESP. Cursou técnico em Canto Popular na ETEC de Artes e Teoria Musical na Fundação das Artes de São Caetano do Sul. Estudou instrumentos complementares como pandeiro, percussões brasileiras e violão em aulas particulares e em projetos sociais. Foi arte-educadora integrante do Artinclusiva de extensão cultural da UNESP, ONG Transformar para o Desenvolvimento da Pessoa com Deficiência e Centro de Convivência da Pessoa com Deficiência de Embu das Artes. Foi preparadora musical do coletivo de teatro Filhos de Dita (ocupação Pombas Urbanas). Já atuou no coletivo feminino de poetas Terra Vermelha, com intercâmbio contemplado pelo Ministério da Cultura. Co-idealizadora do coletivo Amoràterra de artes integradas e do projeto "Transvista: Poesia pra transver mundo", revista sazonal de poesia e arte inspirada na poética de Manoel de Barros. É diretora musical do coletivo Encarnadas e integrante do coletivo Mira, atuando como atriz e musicista, bem como na organização de saraus de poesia. Em parceria com o músico Giovanni Di Ganzá, está gravando seu primeiro álbum autoral "Riacho dos Quatro Ventos". Idealizadora do primeiro "Ninho cantante: uma instalação afetivo-poética" com cantigas e poemas haicais já premiados. Vice-campeã do VII Certame de Poesia da Universidade Estadual de São Paulo. Na linguagem plástica, desenvolve o projeto Úterra, com peças de cerâmica inspiradas nas temáticas do feminino.

Andrea Lopes é atriz e arte-educadora formada pelo INDAC. Como atriz participou dos espetáculos: Calabar  - Direção Heron Coelho; Breviário (de Chico Buarque e Ruy Guerra), no SESC Paulista , " Desmonte"- A Grande Obra (Cia de Domínio Público),Prêmio Myriam Muniz de Teatro da Funarte; Em Cena: Ações!!!, no SESC Ipiranga (Leituras Cênicas e Musicais).Obras de Vinícius de Moraes, Plínio Marcos e Gianfrancesco Guarnieri (tributo), com a participação de Carlos Lyra e Mariana de Moraes; Da senzala à favela, Geraldo Filme - Carnaval e Tradição, no Sesc Ipiranga, que contou com a participação da cantora Marília Medalha direção: Heron Coelho(Cia de Domínio Público); "Operetas", de Noel Rosa, direção coletiva Cia de Domínio Público, A Resistível Ascensão de Arturo Ui, de Bertolt Brecht com a Cia. Teatro de Narradores; Os Pecados Mortais, de Márcio Marciano, dir. Paula Coelho; Brinquedos Quebrados, de Maurício Marques; Assassinato do Anão do Caralho Grande, de Plínio Marcos, dir. Marco Antonio Rodrigues; e Couro de Piolho, adap. do texto de Câmara Cascudo, dir. de Paula Coelho. Ministrou oficinas de teatro pelo projeto Circuito Leste da Cia. Teatro de Narradores no Teatro Martins Penna, Liga das Senhoras Católicas e na Associação Comunitária Micael. Trabalhou na Cooperativa Paulista de Teatro no Projeto "Caravana Paulista de Teatro" na equipe de produção. Atualmente trabalha como mediadora de leitura no Ninho Cantante-Uma instalação afetivo-poética. apresentando em diversas unidades do Sesc, na Capital, litoral e interior, no Programa "Fábricas de Cultura" como Arte-educadora de teatro, na Escola Waldorf Alecrim Dourado e também participa como poeta do Coletivo Borboletra. Como atriz participa da nova montagem de um espetáculo do Coletivo Corpo Aberto, à partir do universo de Manoel de Barros.

Lucas Lopes é mineiro formado em Artes Visuais pela Universidade Federal de Uberlândia. Trabalha como arte-educador orientando ateliês e oficinas de Artes Visuais e Fotografia. Em paralelo, também desenvolve trabalhos de criação e direção de arte: com o Coletivo Grão, dirigido por Cintia Alves, fez a direção de arte do espetáculo FEIO voltado ao público surdo e cego em temporada no SESC Vila Mariana (2016), e também o material visual para o projeto Coisolândia realizado no CCSP em 2015. Foi também diretor
de arte do do espetáculo FEIO voltado ao público surdo.

Local: Biblioteca

[Foto: Larissa Rocha]

Literatura

Ninho Cantante L

Essa atividade aconteceu em 20/11/2018 no Sesc Belenzinho.

Mas nossa programação não para!
Quer fazer uma nova busca?
Clique em Programação e fique por dentro de tudo o que está acontecendo nas Unidades do Sesc em São Paulo