Sesc SP

Esta atividade faz parte da

Ounje- Alimento dos Orixás - Uma imersão artística na culinária e na cultura das religiões afro-brasileiras. saiba mais

ounje

O modo de preparar uma comida de terreiro, uma oferenda ao Orixá, é peculiar de cada casa de candomblé. Há em comum, entre essas casas que abrigam as comunidades de santo, a atribuição de significados aos detalhes de seu processo de cozimento e a disposição ao servir o alimento. Narrativas, símbolos, rezas, designações, cantos e danças estão contidas em cada prato oferecido aos Orixás. Esta atividade convida pessoas de terreiros para contarem sobre essas narrativas encarregadas da essência das comidas de santo e suas influências fundamentais na culinária do Brasil.

Vilson Caetano de Sousa Junior é doutor em Ciências Sociais pela PUC SP e pós doutor em Antropologia pela Universidade Estadual Paulista. Atualmente é professor da Universidade Federal da Bahia onde desenvolve pesquisas na área de antropologia das populações afro-brasileiras e alimentação e cultura. Autor de vários livros dentre eles: Banquete Sagrado, notas sobre os de comer em terreiros de Candomblé; Comida de santo que se come; Corujebó, candomblé e polícia de costumes; Ijexa, o povo das Águas, dentre outros. É Babalorixa do Ile Oba L Okê .

Reginaldo Prandi, sociólogo e escritor, é Professor Emérito da Universidade de São Paulo. Publicou mais de 30 livros, entre os quais se destacam Mitologia dos orixás, Aimó, Os candomblés de São Paulo, Segredos Guardados, Os Príncipes do Destino, Ifá o Adivinho, Contos e Lendas Afro-Brasileiros, Contos e Lendas da Amazônia e Minha Querida Assombração. Recebeu em 2001 o Prêmio Érico Vannucci Mendes, outorgado pelo CNPq, SBPC e Ministério da Cultura por seu trabalho de preservação da memória cultural brasileira, e em 2017 o Prêmio Cátedra 10, da Unesco, por Aimó, entre outras premiações.

Bel Coelho é chef do Clandestino e apresentadora do Receita de Viagem. Formada pelo Culinary Institute of America, trabalhou com grandes chefs em alguns dos mais importantes restaurantes do mundo, como o El Celler de Can Roca e DOM de Alex Atala, adquirindo experiência e um repertório rico em técnicas clássicas e de vanguarda. Em seu restaurante, aberto somente uma semana ao mês, Bel serve menus degustação criados a partir de pesquisas sobre produtos nativos e cultura brasileira.
A chef tem um importante estudo sobre os Orixás, deuses do Candomblé, religião afro-brasileira que influenciou e enriqueceu enormemente a cultura gastronômica brasileira, especialmente a baiana.

Nancy de Souza e Silva, Vovó Cici, carioca, radicada há muitos anos na Bahia, encantou-se ao longo de sua vida no contexto do Candomblé com histórias afro-brasileiras. Assim, ela virou contadora de histórias no Espaço Cultural Pierre Verger. Hoje todas as pessoas se encantam com seu dom de contar histórias que falam de Orixás, pessoas, plantas e bichos.

Local: Galpão

Para saber mais sobre a mostra Ounje - Alimento dos Orixás leia matéria na EOnline.

 

 

Alimentação

A influência do Candomblé na culinária brasileira Com Reginaldo Prandi, Dona Cici, Vilson Caetano Jr e Bel Coelho L

Essa atividade aconteceu em 24/07/2019 no Sesc Ipiranga.

Mas nossa programação não para!
Quer fazer uma nova busca?
Clique em Programação e fique por dentro de tudo o que está acontecendo nas Unidades do Sesc em São Paulo