Sesc SP

Esta atividade faz parte da

Dramaturgias 2 - Panorama da produção dramatúrgica brasileira contemporânea saiba mais

portal1200x488 dramaturgias2

Conversa sobre a dramaturgia produzida nos anos 80 e 90.

Mário Bortolotto é escritor (2 romances, 3 livros de poesia, 1 livro de artigos de jornal, 3 livros de crônicas), compositor (3 discos com a banda "Saco de Ratos", 1 disco com a banda "Tempo Instável", 1 disco com o músico Sergio Mello, parcerias com Paulo de Carvalho "Velhas Virgens", Edu K (Defalla) e Madan), diretor (mais de 80 peças - 50 de sua autoria e peças de Tracy Letts, Sam Shepard, Jon Fosse, Nick Silver, Reinaldo Moraes, Marcelo Mirisola, Daniel Galera, Lourenço Mutarelli, Daniel Pelizzari, Marçal Aquino e Cristiano Baldi), Dramaturgo (com mais de 50 peças escritas) ator (mais de 80 peças), sonoplasta e Iluminador. Fundou o Grupo Cemitério de Automóveis de Teatro em 1982 e atua e dirige o Grupo até hoje. Ganhou os prêmios Shell de "Melhor autor" de Teatro em 2000 e Prêmio APCA de 2000 pelo "Conjunto da obra".

Pedro Granato é diretor formado em Cinema e Vídeo pela ECA-USP. Participou do Directors LAB com diretores do mundo todo no Lincoln Center em Nova Iorque em 2014. É Coordenador de Centros Culturais e Teatros da Cidade de São Paulo e dirige o teatro Pequeno Ato. Foi presidente do MOTIN - Movimento dos Teatro Independentes. Dirigiu e escreveu as peças: "Fortes Batidas" premiado pela APCA como "melhor espetáculo em espaço não convencional" e "prêmio especial pela experimentação de linguagem" no Prêmio São Paulo, "11 SELVAGENS" indicado ao Prêmio São Paulo como "melhor dramaturgia" e entre as "melhores peças de 2017" pela Revista Veja SP, "Distopia Brasil" ganhadora do Prêmio Cleyde Yaconis,&nbs p;"Você não está aqui.", "As Lágrimas Quentes de Amor que Só meu Secador Sabe Enxugar" e "Vermelho Labirinto".

Renato Borghi é ator, dramaturgo, diretor, produtor e pesquisador teatral, completa 61 anos de carreira em 2019. Ganhador de três prêmios moliére (consagração máxima do teatro nacional) e todas as outras grandes honrarias da cena teatral, em diversas modalidades (ator, dramaturgo, diretor, produtor e pesquisador), Renato Borghi fundou o teatro oficina em 1958, juntamente com José Celso Martinez Corrêa, onde protagonizou trabalhos que marcariam para sempre o teatro brasileiro. Durante a década de 1980, lançou-se como dramaturgo e escreveu diversas peças. Em 1993, criou o teatro promíscuo com o ator Élcio Nogueira Seixas, companhia que alterna clássicos de Shakespeare, Tchekhov, Brecht, beckett e outros autores ilustres com obras de novos dramaturgos do brasil e da américa latina.  

Celso Frateschi é ator, diretor e autor. Estreou no Teatro de Arena, em 1970, em Teatro Jornal 1a Edição, de Augusto Boal. Trabalhou com os principais diretores do teatro brasileiro, como Fernando Peixoto, José Renato, Elias Andreato, Márcio Aurélio, Enrique Diaz, José Possi Neto, Daniela Thomas, Roberto Lage, Rubens Rusche, Gabriel Vilela e Rudifran Pompeu. Premiado em "Os Imigrantes" de Celso Frateschi, em 1977, Prêmio Mambembe de Melhor Projeto, "Eras" de Heiner Muller, em 1978, Prêmio Shell de Melhor Ator, "Do Amor de Dante por Beatriz", de Dante Alighieri, Prêmio Apetesp de Melhor Ator em 1996. Desde 1999, com Sylvia Moreira, dirige o Ágora Teatro.

Local: Praça  

 

Teatro

Roda de Conversa: Espaços da Dramaturgia Com Celso Frateschi, Renato Borghi e Mario Bortolotto. Mediação de Pedro Granato L

Essa atividade aconteceu em 09/08/2019 no Sesc Ipiranga.

Mas nossa programação não para!
Quer fazer uma nova busca?
Clique em Programação e fique por dentro de tudo o que está acontecendo nas Unidades do Sesc em São Paulo