Sesc SP

Esta atividade faz parte da

Tecnologias e Artes em Rede: Tecnologias Negras - Cursos, oficinas e bate-papos que valorizam o protagonismo da pessoa negra e sua relação com as artes visuais e as tecnologias saiba mais

tecno 1200

Em um mundo cada vez mais conectado, instantâneo e efêmero, a velocidade de difusão pode criar tendências massificadoras a partir da comunicação não-presencial. No entanto, encontramos a resistência de pensamentos, saberes e formas de se comunicar e aprender da cultura popular que estão necessariamente ligados à oralidade, à convivência com os mais velhos e com o tempo dilatado de aprendizagem. Neste encontro, lideranças de diferentes grupos de capoeira angola discutem os caminhos atuais dessa manifestação da cultura popular, considerando a tendência contemporânea de comunicação e a difusão de informações da Era da internet.

Mestra Janja é professora do Departamento de Estudos de Gênero e Feminismo da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Mestra de Capoeira Angola, é co-fundadora e coordenadora do Instituto Nzinga e Estudos da Capoeira Angola e Tradições Educativas Banto no Brasil/INCAB.
Mestra Cristina é pedagoga da Secretaria de Educação de Niterói, atuando em uma creche municipal no alto do Morro do Estado. Mestra de Capoeira Angola, fundadora do Grupo de Capoeira Angola Mocambo de Aruanda; Instrutora de Yoga Integral e Kemetic Yoga; artesã co-fundadora e parceira da NKûmba, especializada em joias artesanais inspiradas na cultura africana e indígena.
Mestra Alcione é percussionista , DJ e Produtora Cultural. Possui vivências em cultura popular desde 1992. Formada mestra de capoeira angola por mestre Rogério da Associação de Capoeira Angola Dobrada em 2017, é a primeira Mestra Angoleira a ser formada de Minas Gerais. Idealizadora do Coletivo Couro Encantado e Bloco Encantado, que tem como base musical o Maracatu de Baque Virado, ministra aulas  regulares. Fundadora do Grupo Candeia de Capoeira Angola juntamente com Mestre Índio e Mestre Alexandre em  2018.
Renatinha Zabelê é professora do curso de Dança da Universidade Federal de Goiás e do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Performances Culturais, e líder do Núcleo de Pesquisa e Investigações Cênica Coletivo 22. Doutora em Artes pela Unicamp, é capoeirista e treinel do Centro de Capoeira Angola Angoleiro Sim Sinhô.

Data: 24/10, quinta-feira, das 19h30 às 21h00.

Local: Área de Convivência

Tecnologias e Artes

Culturas tradicionais em meios digitais: a capoeira angola e os desafios na era da comunicação Com Mestra Janja Araújo (BA), Mestra Cristina (RJ), Mestra Alcione (MG). Mediação: Renata Lima L

Sesc Pompeia ver no mapa compartilhar

24/10

QUI
19H30 ÀS 21H
  • Grátis