Sesc SP

Esta atividade faz parte da

Conversas na Praça: o urbanismo de Jorge Wilheim - Exposição em homenagem ao arquiteto, urbanista e gestor público Jorge Wilheim saiba mais

jorge-wilheim-bate-papo-arquitetura-urbanismo-morar

Lugar de trânsitos, encontros, atritos, desvios, contatos. A cidade se apresenta como uma forma difícil de captar. Perspectivas geográficas, históricas, sociológicas, urbanísticas e literárias debruçam-se sobre esse espaço em perpétuo movimento na tentativa de capturá-lo. Longe de conseguir seu objetivo, essas perspectivas inscrevem na cidade ainda mais percursos, desta vez, discursivos, que a resignificam. Essa dimensão discursiva não é alheia a nossa experiência de cidade, ela também se realiza nessa trama de saberes e discursos que se referem ao espaço urbano, que o representam e o imaginam. A literatura da América Latina, do início do século XX até hoje, tem explorado até a exaustão a relação com a cidade, alimentando com alto potencial de significação a nossa experiência urbana. Poetas e cronistas como Oliverio Girondo, Roberto Arlt, Mário de Andrade, Maples Arce, Jorge Luis Borges, etc. exploraram os vínculos entre literatura e cidade e traçaram as suas derivas urbanas em função da nova sensibilidade que comportava a experiência de modernidade das primeiras décadas do século XX. Se essas referências foram decisivas na configuração de um imaginário de cidade moderna, cabe colocar a pergunta sobre a experiência de cidade dos escritores de hoje. Até que ponto os efeitos padronizadores da globalização neutralizam as potências de significação da deriva urbana moderna? Em que medida o avanço da lógica capitalista não fez da cidade uma cena de restos, dejetos, ruínas, sobras que apaga as singularidades das cidades e, portanto, da experiência? Que cartografias urbanas traçam os escritores contemporâneos? As crônicas e relatos de escritores latino-americanos como Carlos Monsiváis, Juan Diego Incardona, Juan Villoro, Pedro Lemebel, entre outros, permitem pensar algumas dessas questões. O encontro pretende refletir sobre a relação literatura e cidade atendendo a esses dois momentos da literatura da América Latina. 

Ana Cecília Olmos é professorada disciplina Literatura Hispano-Americana. Mestre em Teoria Literária pela UFSC (1994) e doutora em Língua Espanhola e Literaturas Espanhola e Hispano-Americana pela USP (2000). Especialista em literatura e cultura hispano-americana do século XX, atualmente concentra sua pesquisa no ensaio de escritores, na narrativa contemporânea e nos discursos críticos latino-americanos. Publicou livros em português e espanhol e diversos artigos em revistas especializadas, de difusão cultural e capítulos de livros.


Local: Convivência (térreo).

Foto: Cristiano Mascaro

Literatura

Literatura e Cidade na América Latina Com Ana Cecília Olmos 16

Sesc Consolação ver no mapa compartilhar

30/11

SAB
14H ÀS 18H
  • Grátis