Foto: Ana Castello
Foto: Ana Castello

Esgotado

Agô: corpo e ancestralidade africana


Esgotado

Centro de Música

Consolação

Duração: 540 minutos

14

atividade presencial

R$ 20,00 Credencial Plena
R$ 20,00 Meia entrada
R$ 40,00 Inteira

Local: Sala Gama (7º andar)

Data e horário

De 08/02 a 13/02

Terça a Domingo

14h à 15h30

Esgotado

Foto: Ana Castello
Foto: Ana Castello

Inspirada nas danças dos orixás, a oficina objetiva despertar a corporeidade africana e indígena contida na nossa ancestralidade corporal afro-brasileira. A experiência passa por conexões com o simbólico de cada dança e o sensorial de cada ritmo, toque ou energia, o que estimula novas maneiras corporais de reconexão e expressão consigo, com o outro, com o mundo. A musicalidade é determinante nessas danças; toques específicos marcam o sentido da movimentação – em função disso, os encontros serão com música ao vivo. Com Regina Santos.

Regina Santos é bailarina, educadora, artista da cena, performer, historiadora e pesquisadora da cultura tradicional africana e brasileira. Com formação em Danças Brasileiras e Africanas no Brasil (Casa de Cultura Tainã, Instituto Brincante, Centro de Referência da Dança, Funceb) e no exterior (École des Sables-Senegal, Centre Momboye-Paris). Aulas e cursos com Leticia Doretto, Irineu Nogueira, Augusto Omulu, Vera Passos, Rosangela Silvestre, Fanta Konate, Mariama Camara, Djanko de Faranah, Youssouf Koumbassa, Aissata Assetou e outros/as. Possui formação em canto coral e popular e em percussão brasileira e africana, com mestres como Rafael Fazzion, Bangaly Konate Bolokada Conde e Babara Bangoura. Como artista realizou espetáculos como Em Obras, com grupo Batuntã, Un Neaveau Pas (dir. Nora Chipaumire – Ecoles de Sables, Senegal), Próximo Passo – O espetáculo (dir. Ivaldo Bertazzo). Idealizadora e fundadora da Cia. Candaces de Arte Negra. Como coreógrafa já criou e interpretou composições próprias e sob encomenda para artistas como Iara Rennó (MacunaOpera TransCriação – 2019), Leo Cavalcanti (clipe O que se cala, de Elza Soares – 2018), dentre outros. Como educadora fez parte do Programa Curumim do Sesc SP, Programa Vocacional e Fábrica de Cultura. Foi do Bloco Afro Ilú Inã e do Bloco Afro Ilú Obá de Min desde 2014-2020. Professora de Dança Afro na sede do mesmo Bloco. Foi Educadora do NEER – Núcleo de Estudos Étnicos Raciais da SME- Secretaria Municipal de Educação de São Paulo. É formadora do Coletivo IRETÍ – Formação em Cultura Negra para educadores (ProAC Cultura Negra 2014 e 2015). Atualmente é integrante da Cia Sansacroma de Dança Negra Contemporânea e bailarina convidada da Corpórea Cia. de Corpos.

Pessoas com mais de 12 anos deverão apresentar comprovante de vacinação contra COVID-19, evidenciando DUAS doses ou dose única para ingressar em todas as unidades do Sesc no estado de São Paulo.

O comprovante pode ser físico (carteirinha de vacinação) ou digital e um documento com foto.

O uso da máscara é obrigatório durante toda sua permanência na Unidade.

Para atividades com ingresso, será necessário apresentar o QR Code na entrada da atividade.

Consulte antecipadamente em sescsp.org.br sobre o funcionamento do estacionamento da unidade promotora do evento.

Utilizamos cookies essenciais, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.