Foto: Sian Sene
Foto: Sian Sene

André Geraissati

Instrumental Sesc Brasil

Consolação

L

atividade presencial e online

Local: Teatro Anchieta

Youtube do Instrumental Sesc Brasil

Você também pode adquirir seu ingresso nas bilheterias a partir das 14h do dia do show.

Foto: Sian Sene
Foto: Sian Sene

Em 2022 o violonista e compositor paulistano André Geraissati completa 71 anos, sendo 51 deles vividos para a criação e desenvolvimento de uma linguagem musical única, que estabeleceu um marco na história da música instrumental brasileira. Com apuro técnico, sensibilidade e vigor, ele retorna após o afastamento imposto pela pandemia. O repertório do show solo a ser apresentado no Instrumental Sesc Brasil reflete a trajetória musical do artista, construída desde a década de 1980 e marcada pela inovação, e o reafirma como autor-instrumentista virtuoso e criativo.

Em sua carreira Geraissati criou caminhos e soluções próprias que o levaram a ser admirado pelo público e reconhecido por grandes instrumentistas brasileiros e internacionais como Naná Vasconcelos, Egberto Gismonti, Larry Coryell, Philip Catherine e John McLaughlin, dentre outros. Em 1979 ele criou o grupo D’alma, trio de violões que deixou sua marca na história da música instrumental paulistana, brasileira e internacional, apresentando um trabalho autoral de grande refinamento artístico.  A crítica admirou o apuro técnico e a ótima interpretação do trio, o que levou o D’alma ao II Festival Internacional de Jazz de São Paulo de 1980, ao Free Jazz Festival de 1986 e a turnês no Brasil e no exterior. Entre 1982 e 1985, André Geraissati saiu em turnê com Egberto Gismonti, com os discos Fantasia e Cidade Coração. Nesse mesmo período, Gismonti participou da gravação do primeiro disco solo de Geraissati, Entre Duas Palavras, de 1982.

Como produtor Geraissati também teve trajetória marcante, sempre buscando a valorização da música instrumental brasileira e de seus intérpretes. Em 1993 criou o selo independente Tom Brasil, que em parceria com o Banco do Brasil desenvolveu importantes projetos como o Brasil Musical – Música Viva, considerado pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) o melhor projeto de música popular do ano. Criou, atuou na direção artística e apresentou do projeto Jazz Meeting, que já circulou por vários estados do Brasil e que no momento, devido à pandemia, está em versão online. Sua discografia se estende até 2014, com o álbum Musician Magazine – História de Música Instrumental Vol. 2. 

Utilizamos cookies essenciais, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.