Foto: Vitor Penteado
Foto: Vitor Penteado

Cirandando Liberdades

com Coral Cênico Cidadãos Cantantes

Por uma vida mais louca – democracia e luta antimanicomial

24 de Maio

Duração: 30 minutos

L

atividade presencial

Grátis

Local: Térreo

Datas e horários

De 05/10 a 05/10

05/10 • Quarta • 12h00
05/10 • Quarta • 12h45
Foto: Vitor Penteado
Foto: Vitor Penteado

O Coral Cênico Cidadãos Cantantes representa um ícone de defesa da cidadania plena e na luta contra as desigualdades que provocam o sofrimento físico e psíquico de grande parte da população brasileira. As vozes que se reúnem no Coral cantam e bradam contra a barbárie, a violência, a discriminação e a medicalização da desigualdade. “Cirandando Liberdades” é a máxima do grupo desde a sua criação, numa convivência potencializadora de criação e ação. Atua-se na composição sonora que atravesse e inaugure um novo paradigma de saúde e cultura. 

Em 2022, o Coral Cênico Cidadãos Cantantes celebra seus 30 anos de existência com apresentações que rememoram a trajetória antimanicomial do grupo.  Na apresentação “Cirandando Liberdades” com um repertório contra a barbárie e a medicalização da desigualdade, o Coral Cênico canta em defesa das Liberdades e do Sonho Possível, numa grande Ciranda em que ninguém solte a mão de ninguém. 

Coral Cênico Cidadãos Cantantes surge em 1992 como desdobramento das atividades dos Centros de Convivência e Cooperativa da Secretaria de Saúde do Município de São Paulo. Conta com apoio da Galeria Olido e do Centro de Referência da Dança SMC/SP e parceria com o PACTO – Laboratório de Estudos e Pesquisa em Arte e Corpo e Terapia Ocupacional da USP. O Coral possui uma composição heterogênea, reunindo pessoas com sofrimento psíquico, pessoas em situação de vulnerabilidade e a população em geral, interessados na construção artística. A ferramenta de trabalho dos Cidadãos Cantantes é a promoção de encontros nos quais se possa cantar um repertório popular e ancestral, buscando em sua dramaturgia a harmonização das dissonâncias para afinar diferenças e sustentando uma experimentação na interface entre canto coral, arte e saúde na contemporaneidade.  

Regência e Coordenação Musical de Julio Giudice Maluf
Coordenação Geral de Cris Lopes
Preparação corporal e vocal de Rebeca Maluf
Violoncelo – Erica Navarro
Violão – João Guilherme
Percussão – Wesley Monteiro

Atividade integra o projeto “Por uma vida mais louca – democracia e luta antimanicomial”, que ocorre de 18 de maio (Dia Nacional da Luta Antimanicomial) a 10 de outubro (Dia Mundial da Saúde Mental), desenvolvido na intersecção das áreas de Educação para Acessibilidade e Direitos Humanos do Sesc-SP, em parceria com o Desinstitute.

Clique aqui e acesse o livreto do projeto.

Utilizamos cookies essenciais, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.