Fotos Divulgação Prog.
Fotos Divulgação Prog.

Cortejo e auto do Bumba meu Boi

com Grupo Cupuaçu Danças Brasileiras

Bom Retiro

Duração: 60 minutos

L

atividade presencial

Grátis

Local: PRAÇA DE CONVIVÊNCIA

Sem retirada de ingressos.

Data e horário

De 12/02 a 12/02

Domingo

Das 16h às 17h.

Fotos Divulgação Prog.
Fotos Divulgação Prog.

O auto do Bumba meu Boi é um teatro de rua, é uma das manifestações mais antigas que acompanha o povo africano, desde os povos que pastoreavam bois e búfalos em terras africanas cantando aboios. 
 
Quando chega na América Latina ganha as entidades indígenas que o protegem, encantam a manifestação. Um auto do Boi é a história de um povo, sua trajetória encenada, cantada, com força, ironia e malícia de personagens e seres encantado. Ela se torna encantada aos olhos do público.  
 
Inicia por um cortejo, depois do “guarnicê” do Boi, quando se ascende a fogueira e esquentam, ou afinam, os instrumentos. Depois do guarnicê (cantando e tocado), o amo do Boi começa e pede licença à dona da casa para  
começar a brincadeira. 
 
Fazem parte da festa: o Amo do Boi, que é o dono da fazenda e dono do Boi mais estimado; o Vaqueiro, que conduz o boi; o Miolo, que dança embaixo de nosso boneco do Boi; os Rajados que dançam com chapéus com fitas coloridas, as dançarinas índígenas, os dançarines Caboclos de Pena, que são entidades indígenas, e os tocadores de pandeirão, matracas e tambor onça.  
 
Tem os personagens do auto, que são Pai Franciso e Catirina, também os seres  
encantados: Cazumbas, Burrinha e podem ter outros ainda. 
 
O Grupo Cupuaçu faz, há quase quarenta anos, a Festa do Boi no Morro do Querosene, em São Paulo, ela tem como criadores e mestres Tião Carvalho, Ana Maria Carvalho e Graça Reis, assim como Henrique Menezes e Bartira Menezes.  
 
Ficha Técnica 
Amo do Boi, cantador e líder da brincadeira: Tião Carvalho, Graça Reis e Henrique Menezes 
Tocadores de matracas, tambor onça e pandeirões: José Marcos Pires Bueno, Marilena Fajersztajn , André Fajersztajn, Cristiano Ribeiro, Alfredo Madredeus. 
Miolo do Boi: Iuri Carvalho 
Vaqueiro do Boi: Leandro Dias 
Dançarines Índígenas: Bartira Menezes, Mary Mesquita, Sofia Fajersztajn, Gabriela Costa de Melo e Beatriz Cristina 
Caboclo de Pena dançarino: Juliana Bueno, Ana Flôr Carvalho, Leandro Mendes 
Rajados dançarinos: Rosana Araújo, Rodrigo Cristalino, Bruno Pereira, Barbara Nascimento, Isabel Carvalho, Joice Temple e VandaLúcia Barbosa 
Pai Franciso e Catirina: Eduardo Roberto e Elizabeth Lapud 
Cazumbas: Rosana Nascimento, Juan Velasquez e Mariana Zanetic 
Burrinha: Ana Digues

Utilizamos cookies essenciais, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.