Espetáculo questiona a heteronormatividade a partir de memórias do ator Vinicius Bustani. Divulgação
Espetáculo questiona a heteronormatividade a partir de memórias do ator Vinicius Bustani. Divulgação

Criança ferida ou de como me disseram que eu era gay

com Vinicius Bustani

Santo Amaro

Duração: 80 minutos

16

atividade presencial

Local: Teatro

Venda presencial nas bilheterias a partir de 5/10, às 17h

Espetáculo questiona a heteronormatividade a partir de memórias do ator Vinicius Bustani. Divulgação
Espetáculo questiona a heteronormatividade a partir de memórias do ator Vinicius Bustani. Divulgação

Por meio de situações cotidiana, que misturam relatos biográficos e ficção, com humor, sarcasmo e poesia, a peça evoca momentos e imagens da infância do ator que marcam o começo da percepção do bullying, que afirma que ser divergente da heteronormatividade é errado, e versa sobre os tipos de danos que isso causou e pode causar em crianças e adolescentes que começam a aprender sobre si desta forma.

Ficha técnica

Texto e atuação: Vinicius Bustani
Direção e dramaturgia: Paula Lice
Direção musical: Heitor Dantas
Direção de arte: Lia Cunha e Tiago Ribeiro
Desenho de luz: Larissa Lacerda
Arte gráfica: Lia Cunha
Operação de luz: Larissa Lacerda/Juliana Molla
Operação de som: Daniel Silveira
Produção: Tais Bichara e Vinicius Bustani

Utilizamos cookies essenciais, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.