Divulgação
Divulgação

Diversidade e intolerância religiosa

Com Padre Júlio Lancelotti, Mãe Carmen de Oxum, Ventura Profana e Lusmarina Campos Garcia

DH Fest

Bom Retiro

12

atividade presencial

Grátis

Local: Praça de convivência

Data e horário

De 07/12 a 07/12

07/12 • Quarta • 18h30
Divulgação
Divulgação

Neste encontro interreligioso, artistas, pensadores e lideranças se unem para refletir sobre a intolerância religiosa no Brasil, historicamente associada ao colonialismo e, por isso, apontada para corpos que fogem ao padrão branco-hetero-cis normativo. Nos últimos anos, a fé tem sido associada ainda a projetos de autoritarismo e ao desrespeito às diferenças. Com falas do Padre Júlio Lancellotti, da yalorixá Mãe Carmen de Oxum e da artista visual Ventura Profana, este diálogo pretende retomar o espaço comum entre diferentes religiões: o amor, a solidariedade, a justiça e a esperança. Diálogo com mediação da pastora e teóloga Lusmarina Campos Garcia.

Convidados:
Mãe Carmen de Oxum é mineira, Mãe Carmen de Oxum lidera, há mais de 40 anos, o terreiro Ilê Olá Omí Asé Opô Araká, localizado em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. É também membro do Fórum Inter-Religioso para uma Cultura de Paz e Liberdade de Crença da Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo, criado para combater a intolerância religiosa e disseminar a convivência harmoniosa entre as diferentes fés.

Padre Júlio Lancellotti é autor, pedagogo e presbítero católico brasileiro, vem dedicando sua vida às causas sociais. Foi um dos fundadores da Pastoral das Crianças e um dos formuladores do Estatuto da Criança e Adolescente (ECA). Ele está à frente da Pastoral do Povo da Rua de São Paulo, que defende a população em situação de rua.

Ventura Profana é compositora, escritora e artista visual. Doutrinada em templos batistas, a artista também se apresenta como pastora missionária e cantora evangelista, que profetiza a multiplicação e abundância da vida negra, indígena e travesti. Suas releituras de narrativas bíblicas, que foram historicamente apropriadas por projetos políticos de embranquecimento populacional e concentração de poder, questionam as implicações do deuteronomismo no Brasil através da difusão das igrejas neopentecostais.

Mediação:
Lusmarina Campos Garcia é pastora evangélica, teóloga eco-feminista e pesquisadora. É doutora em Direito (2022). Sua trajetória no âmbito nacional e internacional é marcada pelo ativismo na defesa de grupos minoritários em situação de vulnerabilidade, pelo diálogo interreligioso, pela preservação do meio-ambiente, pela justiça de gênero e pelo Estado Democrático de Direito.

Utilizamos cookies essenciais, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.