Imagem: divugação
Imagem: divugação

Ellen Oléria

Apresenta o show Ago - Jovelina e Clementina

24 de Maio

Duração: 90 minutos

12

atividade presencial

Local: Teatro -1

Imagem: divugação
Imagem: divugação

Jovelina e Clementina são o marco de uma revolução estética, agora atualizada na potente voz da cantora Ellen Oléria. Acompanhada de sua banda – teclados, guitarra, baixo, bateria e percussões – a artista apresenta as canções combinadas a um cenário de luzes e efeitos sonoros. E como não poderia faltar, algumas boas histórias sobre as divas do samba. No repertório do show, algumas pérolas: Luz do repente, O dia se zangou, Na hora da sede, Filosofia de bar, No mesmo manto, Sonho meu, Na linha do mar, Madrugada,
Sai de baixo entre outras.

Ellen Oléria é uma cantora e compositora brasileira. Com mais de 20 anos de carreira, a artista acumula prêmios em festivais e 6 discos lançados. Já fez apresentações em cidades de norte a sul do Brasil e em outros países como Espanha, França, Angola, Estados Unidos, Inglaterra, Rússia, Japão e Taiwan. Em seu recente projeto musical, a artista combina com maestria ritmos brasileiros como o samba, o forró, o carimbó, o afoxé, o maracatu com os timbres e arranjos contemporâneos que apontam para um encontro urbano de identidades e discurso do protagonismo das comunidades negras no Brasil. A versatilidade de Ellen estende-se também ao seu ativismo político que pudemos acompanhar no Estação Plural, talk show criado pela TV Brasil para tratar de pautas de comportamento e temas do universo LGBT em que Ellen Oléria atuou como apresentadora.

Sobre as homenageadas:
Jovelina Pérola Negra nascida em 1944 foi a potente voz que integrou a consolidação do pagode no Rio de Janeiro. Suas composições se tornaram sucessos na voz de grandes nomes da música brasileira, como “O bagaço da laranja”, “Luz do repente”, “O dia se zangou”, “No mesmo manto”. A revolução do samba de quintal e do pagode da MPB teve ativa participação de Jovelina, a dama do samba. Em 1985, uma década depois de completar 40 anos, fez sua estreia musical com três músicas na coletânea Raça Brasileira.

Clementina de Jesus nasceu em Valença, Rio de Janeiro, em 1901. “Tina” saiu do bairro valenciano de Carambita para a capital carioca com canções, tambores, crenças e costumes que impactaram o samba. Clementina subiu aos palcos pela primeira vez aos 63 anos e reinou como Rainha Quelé, a Rainha Ginga até sua morte em 1987. Ela homenageou o Brasil e o continente África com cantos religiosos iorubás e canções de peregrinação e clássicos como Benguelê (escrita por Pixinginha e Gasto Viana em 1946) e Yaô (escrita por Pixinginha e Gasto Viana em 1938).

Utilizamos cookies essenciais, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.