Em novembro, Oluwa Seyi media os encontros de leitura da obra de Conceição Evaristo. Foto: André Luiz Silva
Em novembro, Oluwa Seyi media os encontros de leitura da obra de Conceição Evaristo. Foto: André Luiz Silva

Lendo Conceição Evaristo: pluralidades femininas em verso e prosa

com Oluwa Seyi Salles Bento

Santo Amaro

Duração: 120 minutos

16

atividade presencial

Grátis

Local: Biblioteca

Datas e horários

De 01/11 a 06/12

01/11 • Terça • 19h00
08/11 • Terça • 19h00
22/11 • Terça • 19h00
29/11 • Terça • 19h00
06/12 • Terça • 19h00
Em novembro, Oluwa Seyi media os encontros de leitura da obra de Conceição Evaristo. Foto: André Luiz Silva
Em novembro, Oluwa Seyi media os encontros de leitura da obra de Conceição Evaristo. Foto: André Luiz Silva

Ao longo de cinco encontros, a pesquisadora e poeta Oluwa Seyi media a leitura de obras de Conceição Evaristo. Além de celebrar a longeva potência artística da escritora em foco, pretende-se refletir sobre as possibilidades de construção de personagens femininas no seio da produção de Conceição. Por séculos, a literatura canônica cristalizou a imagem ficcional das mulheres, em especial das mulheres negras, em lugares de submissão e silenciamento.

A obra de Conceição, na contramão dessa realidade (e ao lado de outras vozes igualmente revolucionárias), recorrentemente lança mão de personagens femininas que, por meio da autodeterminação, redefinem os lugares possíveis para as mulheres na Literatura Brasileira. Assim, elegemos textos de Evaristo para fruição e discussão acerca de algumas facetas da figura feminina enquanto mãe, divindade, sujeito amoroso, criança e pessoa que busca a liberdade.

Os textos em questão, contos e poemas, estão presentes nas obras “Poemas da recordação e outros movimentos” (2008), “Insubmissas lágrimas de mulheres” (2011), “Olhos d’água” (2014) e “Histórias de leves enganos e parecenças” (2016).
_

* Oluwa Seyi Salles Bento é mulher negra, nascida na zona norte de São Paulo, na década de 90. É graduada, mestra e doutoranda em Letras pela Universidade de São Paulo, refletindo sobre a presença dos orixás em obras literárias de escritoras negras. Também é editora da Revista Crioula, publicação científica dos alunos e alunas do Programa de pós-graduação em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa da USP. Enquanto poeta, publicou seu zine, estudo poético do corpo (2021), o qual organizou e também ilustrou. Em breve, publicará seu primeiro livro de poemas pela editora Urutau. Tem poemas, contos, artigos e ensaios publicados em revistas e antologias literárias e acadêmicas do país.

Utilizamos cookies essenciais, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.