Ilustração: Joseph de la Nezière - Exposição colonial de 1931 - credito em creative commons.
Ilustração: Joseph de la Nezière - Exposição colonial de 1931 - credito em creative commons.

Uma história da branquitude nas artes visuais

Reflexões sobre o poder

Contextos

Centro de Pesquisa e Formação

Duração: 600 minutos

16

atividade presencial

R$ 15,00 Credencial Plena
R$ 25,00 Meia entrada
R$ 50,00 Inteira

Local: Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo.

Inscrições a partir das 14h do dia 26/8, até o dia 13/9. Enquanto houver vagas.

Data e horário

De 14/09 a 05/10

14/09 • Quarta • 10h00
Ilustração: Joseph de la Nezière - Exposição colonial de 1931 - credito em creative commons.
Ilustração: Joseph de la Nezière - Exposição colonial de 1931 - credito em creative commons.

Partindo da premissa de que as obras de arte, para além de refletirem os valores de uma sociedade, são também capazes de construí-los, o curso propõe uma investigação histórica sobre a hierarquia racial que estrutura a arte no Ocidente. De que maneira a cultura visual configura nosso imaginário comum?

Com Mariana Leme (curadora e pesquisadora, interessada no cruzamento entre branquitude, colonialidade e cultura visual).

Utilizamos cookies essenciais, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.