Provocações Artísticas em Dança – Encontros com Carmen Luz 

16/02/2023

Compartilhe:

Em março de 2023, a programação online e presencial de Dança do Sesc Campinas traz coreógrafa, cineasta, artista visual e cênica carioca Carmen Luz. Ela é a entrevistada da vez no segundo episódio do podcast Histórias do Corpo #série 2, que pode ser acessado a partir da plataforma sesc.digital. O episódio irá ao ar a partir do dia 8/3.

Quem for de Campinas ou puder vir à cidade poderá acompanhar e conhecer mais sobre o trabalho de Carmen Luz acompanhando a residência aberta “Olho de Água”, que Carmen Luz desenvolverá com artistas da Dança.

Se você for um artista da Dança, olha com atenção a oportunidade descrita abaixo: 

Olho de Água

 De 8 a 11/3/2023, terça a sexta, das 18h30 às 21h30 e sábado das 10h30 às 13h30 e das 15h às 18h.

A partir de chamada de trabalhos e seleção, a cineasta e coreógrafa Carmen Luz troca com pessoas da dança da região que desenvolvem seus próprios trabalhos em diálogo com os temas por ela e as convida a ativar presencialmente uma instalação coreográfica recriada a partir dessas trocas. Os trabalhos ou projetos e pesquisas selecionados serão abordados com a participação dos proponentes a partir das trocas feitas pela artista convidada no Teatro do Sesc Campinas entre 8 a 11/3/2023, terça a sexta, das 18h30 às 21h30 e sábado das 10h30 às 13h30 e das 15h às 18h. Todos os encontros da residência poderão ser acompanhadas pelo público interessado.

Olho de Água – Encontros com Carmen Luz 

De 8 a 10/3, quarta a sexta, das 18h30 às 21h30 
Dia 11/3, sábado, das 10h30 às 13h30 e das 15h às 18h 

Residência composta por encontros abertos ao público e ativações e deslocamentos entre as práticas, as técnicas e as pesquisas de artistas selecionadas/dos em chamamento feito pelo Sesc Campinas e a pesquisa artística, prática multidisciplinar, técnicas e materiais recorrentes no trabalho da coreógrafa, cineasta e diretora Carmen Luz. A residência irá considerar a pesquisa específica de Carmen Luz sobre a bailarina e coreógrafa Mercedes Baptista, criadora do balé afro-brasileiro e primeira bailarina negra a integrar o corpo de baile do Teatro Municipal do RJ. 

Se você considera que seu trabalho de pesquisa ou criação artística se dialoga de alguma maneira com o trabalho de Carmen Luz e tiver interesse em participar, preencha o formulário a seguir.

Formulário de Inscrição

Serão aceitos apenas os formulários preenchidos até às 23h59 do dia 1/3/2023.

O Sesc Campinas dará um retorno por email ou Whatsapp até o dia 5/3/2023. As atividades presenciais no teatro do Sesc Campinas começam no dia 8/3.

Os trabalhos enviados passarão por uma seleção e quatro pessoas serão selecionados para participarem da residência artística no entre 8 a 11/3/2023, terça a sexta, das 18h30 às 21h30 e sábado das 10h30 às 13h30 e das 15h às 18h, no Teatro do Sesc Campinas.

Caso não haja disponibilidade para comparecer ao Sesc nesses horários, por favor indique no formulário preenchido.
A seleção será feita pela própria Carmen Luz com apoio da equipe do Sesc Campinas.


Sobre Carmen Luz

Carmen Luz nasceu e mora na cidade do Rio de Janeiro. É coreógrafa, cineasta, artista visual e cênica. Atua nos campos da criação, direção, atuação, dramaturgia, reflexão, pesquisa, consultoria, gestão, curadoria, mentoria e ensino. Sua pesquisa artística e teórica especula sobre a centralidade do racismo na cultura ocidental e se desdobra na criação e realização de obras inter e multidisciplinares em diversos meios e suportes, que abordam, especialmente, as existências africanas, as biografias e os imaginários afrodescendentes.

Algumas de suas obras foram exibidas em festivais, eventos e mostras de dança, performance, artes visuais e cinema no Brasil, EUA, Alemanha, Cabo Verde, Benin, Mali e Burkina Faso.

Além de artista, Carmen Luz possui uma sólida prática como gestora pública, educadora e curadora. Foi diretora artística do Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro (2009–2011) e do Centro Cultural José Bonifácio – Centro de Referência da Cultura Afro-brasileira na Cidade do Rio de Janeiro (2001 – 2006), em ambos os espaços também exerceu as funções de programadora e curadora. De 1997 a 2010, criou e coordenou no morro do Andaraí, favela da zona norte carioca, uma série de projetos de arte-educação e capacitação profissional em arte e cultura.

Integra, com frequência, comissões de seleção e júris de artes cênicas e cinema. Dentre eles os júris da 51ª e 52ª edições do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e o Comitê artístico do Festival Dança em Trânsito. Foi curadora da 12ª edição do Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul – Brasil, África, Caribe e outras diásporas e da 11ª Mostra de Cinema e Audiovisual da Universidade Estadual de Goiás. Foi curadora convidada do Cineclube da Escola de Cinema Darcy Ribeiro e co-curadora da 4 a edição da Mostra Sesc EntreDança. Integra o júri do Prêmio APTR/Associação de Produtores Teatrais. Colabora com diversos artistas e instituições na criação e desenvolvimento de projetos de arte, cultura, educação e ativismo comunitário.

É fundadora, coreógrafa e diretora artística da Cia. Étnica de Dança. Atua como professora nos cursos de graduação e mestrado profissional da Faculdade Angel Vianna.

Mais sobre o trabalho de Carmen Luz nas matérias:

TÉCNICAS DE VIDA E MORTE: BREVES NOTAS PARA DANÇAR – Revista O Menelick 2° Ato

Uma conversa com Carmen Luz sobre o cinema feminino em movimento – Portal Geledés

Conteúdo relacionado

Utilizamos cookies essenciais, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.