Inauguração do Sesc Av. Paulista

Sesc Av. Paulista

29/04/18

 

A inauguração de uma nova unidade do Sesc é sempre uma ocasião muito especial e tem muitos significados. Significa a materialização de um sonho maturado por anos, concebido e construído coletivamente, que tem como objetivo colaborar para a qualidade de vida dos trabalhadores do comércio, serviços e turismo, seus dependentes e da sociedade.

Significa cumprir os objetivos de bem-estar social para os trabalhadores traçado na década de 40 do século passado pelos empresários do Comércio e Serviços que criaram, mantêm e administram esta Instituição.

Significa, principalmente, aproximar o Sesc das pessoas, espalhar suas ações pelos territórios, aumentar as possibilidades dos encontros.

Isso é verdade para todos os equipamentos que o Sesc inaugurou ao longo de sua existência. Mas podemos dizer que o dia de hoje se torna único porque o surgimento do Sesc Avenida Paulista reúne características que não se repetem em outras ocasiões.

Nesse sentido, devemos reconhecer a inegável potência desse lugar:

Uma avenida que se estende por um dos pontos mais altos da capital paulista, dividindo com sua exuberância os caminhos das águas paulistanas.

Uma avenida plena de memórias, que nasceu salpicada de casarões do café, para depois ser rabiscada por arranha-céus de um novo centro, e agora se infla de cultura e diversidade.

Uma avenida por onde passam ou para onde se dirigem milhões de pessoas todos os dias, paulistanos ou não: porque precisam trabalhar ou querem relaxar, porque namoram e amam, porque gritam e lutam, se apropriando do espaço urbano. Caminhando ou correndo, de bicicleta ou skate, de ônibus ou metrô, de carro ou helicóptero, de todo e qualquer jeito.

Uma avenida-trabalho. Uma avenida-passeio. Uma avenida-encontro. Uma avenida-arte e cultura!
Vivemos um dia especial por um segundo motivo: o Sesc não está chegando agora à Avenida Paulista. Estamos retornando para uma das principais avenidas da América do Sul!

O Sesc chegou aqui em 1955 como centro social, o Centro Social Horácio de Melo, ocupando um casarão de arquitetura eclética no número 967.

Reapareceu em 1978 para estabelecer sua administração central e compartilhar do endereço que nos acolhe agora com a Federação do Comércio do Estado de São Paulo.

Reinventou-se em 2005, aberto aos públicos, como unidade provisória, experimental e inovadora.

Neste 29 de abril, o Sesc volta à Avenida Paulista para ficar.

Isso é motivo de celebração!

Nosso prédio se vestiu com sua melhor roupa.

Trata-se de delicada alfaiataria:
costurada com o comprometimento do presidente do Conselho Regional do Sesc em São Paulo, o caro Presidente Abram Szajman que sempre incentivou toda nossa atividade em busca de uma competência cada vez maior, assim como costurada também com o comprometimento de todos os membros do Conselho Regional.
Alinhavada com a energia dos nossos quase 7.500 funcionários espalhados por todo o Estado de São Paulo
Bordada meticulosamente com os sinais de diversos corpos, artes e tecnologias.

Sabemos, a partir da experiência que acumulamos, que esse novo equipamento chamado Sesc Avenida Paulista, que vem se somar às dezenas de espaços desse corredor cultural, é um traje que precisa ser vestido para existir plenamente.
São as pessoas, com seus usos e apropriações, e sua enorme diversidade, que darão vida a essa roupa, que revelarão suas possibilidades e sonharão seus futuros.

Porque a paisagem humana é que de fato embeleza a cidade.

Sejam todas e todos muito benvindos!

Obrigado.

Danilo Santos de Miranda
Diretor Regional do Sesc São Paulo