Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Ciclo de conversas dá voz a iniciativas do centro de São Paulo

"A Coopere-Centro já está na atividade da reciclagem há 17 anos. […] Temos 60 famílias que dependem desse trabalho de reciclagem, onde não só se recicla material para reciclagem como se recicla a vida também, porque temos um trabalho com a inclusão social. São pessoas que são excluídas da sociedade, que estão procurando uma chance, um trabalho pra pagar o aluguel, manter seus filhos na escola, manter seu sustento." O relato de Eliete Pereira dos Santos, da Coopere-Centro, reflete a realidade do território central da cidade de São Paulo, que é marcado por uma multiplicidade de vozes. 

Ações como a da Coopere-Centro ganham visibilidade no projeto "Vozes do Centro", do Sesc Consolação, que propõe a escuta das vozes que não são ouvidas nesse território. São instituições e lideranças que desenvolvem projetos de assistência socioeconômica para pessoas em extrema vulnerabilidade da região central (população em situação de rua, carroceiras/os e trabalhadoras/es da coleta de recicláveis, população LGBTQIAP+, população negra, mulheres, dentre outras) e que, por meio dessas ações, trabalham por uma cidade mais justa e solidária.

A proposta do ciclo de conversas é conhecer as experiências e projetos, entender os desafios e dificuldades que estão sendo enfrentadas nesse período de pandemia e formas pelas quais podemos colaborar para o desenvolvimento das ações. Além de fomentar a escuta atenta, a ideia é entender como podemos unir esforços e criar redes para o desenvolvimento desses trabalhos com a população mais vulnerável, essencial nesse momento.

Na primeira conversa, no dia 27/04, terça, às 19h, vamos conversar com três cooperativas de reciclagem que atuam na região central sobre o trabalho que estão desenvolvendo nesse momento, as dificuldades advindas da crise de saúde que assola o país e os impactos positivos (ambientais e sociais) provenientes desse trabalho. A conversa será com Eduardo Ferreira de Paula (Coopamare), Eliete Pereira dos Santos (Coopere-Centro) e Maria Aparecida Dias Costa (Cooper Glicério).

No dia 04/05, terça, às 19h, vamos conhecer o trabalho realizado por instituições e lideranças no atendimento a pessoas em situação de rua em todo o município de São Paulo, especialmente na região central. Vamos conversar sobre os principais projetos que estão sendo desenvolvidos nesse momento, os impactos da pandemia para a população em situação de rua e formas de colaborarmos com esse trabalho. Contaremos com a participação do Padre Júlio Lancellotti (Pastoral do Povo de Rua), Marta Marques (Núcleo “Consultório na Rua” do Bompar) e Maria Eulina Hilsenbeck (Clube de Mães do Brasil).  

Acompanhe a programação completa aqui e nas redes sociais do Sesc Consolação (@sescconsolacao):


Bate-papo ao vivo
Cooperativas de Reciclagem 
Com Eduardo Ferreira de Paula (Coopamare), Eliete Pereira dos Santos (Coopere-Centro) e Maria Aparecida Dias Costa (Cooper Glicério)
Bate-papo sobre o trabalho importante que tem sido desenvolvido por algumas cooperativas de reciclagem com atuação no centro de São Paulo. Serão abordados os impactos positivos do trabalho que é desenvolvido por essas cooperativas e pelos catadores de recicláveis - na geração de renda e nos impactos socioambientais, os desafios que as cooperativas estão experimentando nesse momento de crise de saúde e econômica, e discutir formas de a população apoiar o trabalho que é desenvolvido por essas iniciativas.
27/04, terça, às 19h
YouTube do Sesc Consolação
 

Bate-papo ao vivo
População em Situação de Rua
Com Padre Júlio Lancellotti (Pastoral do Povo de Rua), Marta Marques (Núcleo “Consultório na Rua” do Bompar) e Maria Eulina Hilsenbeck (Clube de Mães do Brasil)
Roda de conversa sobre a atuação de instituições e lideranças que desenvolvem trabalhos no atendimento a pessoas em situação de rua no município de São Paulo, especialmente na região central. Vamos dialogar sobre a natureza do trabalho que é desenvolvido por essas iniciativas, impactos da pandemia e formas de colaborar para esse importante trabalho.
04/05, terça, às 19h
YouTube do Sesc Consolação

 

 


 

A Coopamare (Cooperativa de Catadores de Papel e Papelão e Materiais Reutilizáveis) tem mais de 30 anos de existência. Desenvolve um trabalho de organização dos catadores de materiais recicláveis, incorporando também as pessoas em situação de rua. Atualmente conta com aproximadamente 20 cooperados.  


A Coopere-Centro nasceu em 2002, a partir de um trabalho de mobilização da população em situação de rua. Hoje é uma das maiores cooperativas de reciclagem do município de São Paulo e conta com mais de 60 cooperados.  


A Cooper Glicério, criada em 2006, atua na Baixada do Glicério com a organização dos catadores de materiais recicláveis da região e o desenvolvimento de parcerias com empresas e instituições do território. Atualmente conta com a participação de mais de 30 cooperados. 


Padre Júlio Lancellotti é coordenador da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de São Paulo. Desenvolve há décadas projetos de atendimento a pessoas em situação de rua e em vulnerabilidade social, e tem participação ativa na luta pelos direitos e defesa das pessoas em situação de vulnerabilidade. Participa do projeto "Pão de Povo de Rua".  


O Bompar (Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto), fundado em 1946, atende mais de 10 mil pessoas por dia, em todas as faixas etárias e especialmente pessoas em situação de rua. Uma das frentes de trabalho é o Núcleo "Consultório na Rua", que desenvolve atendimento psicossocial, de assistência e saúde aos moradores de rua em todo o município.  


O Clube de Mães do Brasil é uma instituição filantrópica que atende pessoas em situação de rua e em vulnerabilidade social, no centro da capital paulista e outros bairros do entorno. Desenvolve diversos projetos sociais baseados no tripé econômico, social e ambiental, e busca o resgate da cidadania e autoestima das pessoas atendidas.