Foto: Magali Dougados
Foto: Magali Dougados

A hora do lobo – um debate com o filme Dogville de Lars von Trier

De Christiane Jatahy

Consolação

Duração: 112 minutos

A16

atividade presencial

Local: Teatro Anchieta

Você também adquirir seu ingresso nas bilheterias a partir das 17h do dia 13/9

Foto: Magali Dougados
Foto: Magali Dougados

O espetáculo conta a história de Graça que foge do Brasil em 2021, no momento em que o fascismo cresce sob o governo de extrema direita. Ela busca um novo lugar. Uma nova possibilidade de vida. Um movimento de mudança.

Ela está em um teatro, no palco os personagens do filme “Dogville” retomam a história do filme, a sua própria história, com o desejo de mudá-la, de não repetir os erros do passado. Eles propõem uma experiência, refazer o filme e provarem que são capazes de aceitar “o outro”, o “estrangeiro”. Graça aceita participar da experiência.

Mas a vida no palco, onde teatro e cinema se misturam, se transformam em um laboratório humano implacável. Os personagens dessa história, pouco a pouco, vão repetindo os mesmos impulsos covardes do passado. E o filme que está sendo feito ao vivo, como parte da experiência, começa a ser invadido pelos fantasmas do passado.

Na cena e no filme, tudo é visível: os atores filmando e sendo filmados, as relações entre eles, a música ao vivo, a montagem do filme, a discussão sobre o roteiro. E a possibilidade, mesmo que utópica, de mudar, de não repetir o mesmo ciclo eternamente.


“A hora do lobo” é a primeira parte da Trilogia do Horror. Foi criado na Comédie de Genève com um elenco misto suíço-francês-brasileiro, num diálogo com o Dogville de Lars Von Trier. Sua estreia foi no Festival de Avignon 2021 e segue desde então em uma extensa turnê.

 

Ficha técnica

A partir do filme Dogville de Lars von TrierAdaptação, encenação e direção do filme Christiane JatahyColaboração artística, cenografia e luzes Thomas WalgraveDireção de fotografia e montagem ao vivo Paulo CamachoMúsica Vitor AraujoFigurinos Anna Van BréeSistema de vídeo Julio Parente e Charlélie Chauvel
Som Jean KeraudrenDiretora assistente Stella Rabello
Operadora de luz Samya Peruchi
Operador de som Pedro Vituri
Diretor de Palco Aymrik Pech
Contra-regras Tiago Moro e Edmo Rocha
Camareira Alessandra Ribeiro
Fotos Magali Dougados
Assessoria de imprensa Factoria (Vanessa Cardoso)
Assessoria jurídica Dra Martha Macruz de Sá
Assistente de produção Rick Nagash
Direção de produção Henrique Mariano

Com Azelyne Cartigny Delphine HecquetJulia Bernat, Matthieu Sampeur, Paulo Camacho, Philippe Duclos, Valerio Scamuffa ,Véronique Alain, Vincent Fontannaz, Viviane Pavillon

Com a participação de Harry Blättler BordasAgradecimentos Martine Bornoz, Adèle Lista, Arthur Lista

Construção do cenário original Ateliers da Comédie de Genève
Reconstrução do cenário no Brasil Claudia Calabi e Ju di Grazia

Produção original Comédie de GenèveCo-produção Odéon-Théâtre de l’Europe – Paris, Piccolo Teatro di Milano-Teatro d’Europa, Théâtre national de Bretagne – Rennes, Maillon Théâtre de Strasbourg – Scène européenne

Produção Brasil Axis Produções Artisticas Ltda (Cia Vertice)

Lars Von Trier é representado na Europa francófona por Marie Cécile Renauld, MCR Agence Littéraire em acordo com Nordiska ApS.

Christiane Jatahy é artista associada do Odéon-Théâtre de l’Europe, do Centquatre-Paris, do Schauspielhaus Zürich, do Arts Emerson Boston e do Piccolo Teatro di Milano Teatro d’Europa.

A Cia Vértice é apoiada pela Direção Regional de Assuntos Culturais de Île-de-France (DRAC-IDF), Ministério da Cultura da França.


Espetáculo em francês e português (com legendas em português)

 

Saiba mais sobre o espetáculo e a programação expandida aqui.

Utilizamos cookies essenciais para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando você concorda com estas condições, detalhadas na nossa Política de Cookies de acordo com a nossa Política de Privacidade.